A F4 Inglesa inicia sua nova temporada com um atrativo a mais: em 2022, são três os pilotos confirmados que fazem parte de alguma academia da F1.

Com um grid que vem enfrentando dificuldades para superar os 15 carros nos últimos anos, a categoria costumava passar longe do radar dos times da F1. A última vez que as esquadras do principal campeonato do automobilismo mundial haviam colocado seus pupilos no torneio britânico tinha sido em 2018 quando a Red Bull escalou Jack Doohan e Dennis Hauger (hoje, ambos na F2) para defender a Arden.

Desta vez, os representantes de academias da F1 são Ugo Ugochukwu (McLaren), Daniel Guinchard (Mercedes) e Oliver Gray (Williams).

Em comum, de uma maneira ou de outra, os três enfrentam desconfianças, mesmo fazendo parte de programas de jovens pilotos da F1, e terão a chance de mostrar na F4 Inglesa que podem, sim, um dia chegar à principal categoria do automobilismo mundial.

Ugo Ugochukwu

Do trio, Ugochukwu, que assinou pela tradicional Carlin, é o mais conhecido internacionalmente. No kartismo, conquistou resultados como o título do Europeu, na divisão OKJunior, em 2020, e foi o quarto colocado no Mundial no ano passado, na OK. Também ganhou destaque ao trocar a academia da Sauber pela de McLaren no ano passado.

Atualmente, a McLaren conta apenas com o americano em seu programa de jovens pilotos, por isso há expectativa de que ele possa seguir os passos de Lewis Hamilton e Lando Norris e um dia defender a esquadra britânica na F1.

Ugochuwku vem de uma família badalada do mundo da moda. Sua mãe é a supermodelo Oluchi Onweagba-Orlandi, e seu pai é o designer Luca Orlandi, que durante muitos anos correu de F3.

Daí quem vem a desconfiança sobre o jovem competidor. Será que foram os contatos de sua família que abriram portas para ele ou é o talento que tem falado mais alto? Com base no desempenho no kartismo, provavelmente seja a segunda opção.

Para se preparar para a estreia na F4, Ugochukwu vem participando de um programa de testes extensivo pela Carlin desde meados do ano passado. Durante muito tempo, o britânico Oliver Gray é que tinha a função de ser o piloto de referência. Isto é, por ser mais experiente, atuava como um coach e também era responsável por iniciar o acerto do carro.

Oliver Gray

Só que Gray agora virou adversário. Em março, acertou com a reformulada academia da Williams.

Mas seus resultados até agora não justificaram tanto essa promoção. Na temporada passada da F4 Inglesa, foi o sétimo colocado na tabela de pontos, com somente dois pódios em 30 corridas — curiosamente, foram duas vitória em Thruxton.

Gray é mais conhecido pelos resultados no kartismo, tendo sido campeão de dois importantes torneios do Reino Unido em 2019: o British Kartmasters Grand Prix e o X30, na divisão Junior.

Daniel Guinchard

Falando em piloto que teve sucesso no kartismo britânico, é aí que entra Daniel Guinchard. O jovem foi contratado de forma surpreendente pela Mercedes após uma temporada quase perfeita nas competições de seu país.

No ano passado, levantou a taça do campeonato britânico de kart e também de torneios como o Ultimate Karting Championship, o British Kartmasters GP e o X30, sempre na divisão Junior.

O problema para ele é que os campeonatos europeus costumam ser mais fortes que os britânicos, por reunirem competidores de todo o mundo. Por isso, ainda resta ver como Guinchard se sairá correndo contra adversários com mais bagagem.

Além disso, a Mercedes já conta com um prodígio do kartismo em sua academia: Andrea Kimi Antonelli, bicampeão do Europeu de Kart, entre muitos outros títulos, e considerado favorito ao título da F4 Italiana em 2022.

Ou seja, mesmo que Guinchard consiga se destacar, ainda precisará levar a melhor no duelo contra Antonelli dentro da academia da Mercedes se um dia quiser pilotar os carros prateados na F1.

Assim, fica a dúvida. Será que os três conseguirão fazer jus às academias e lutarem por vitórias e por títulos na F4 Inglesa em 2022? Eles terão 30 corridas para nos dar essa resposta.

Agora que você conhece os principais nomes da F4 Inglesa 2022, pode clicar aqui para conferir como o grid foi formado.

Oliver Gray recentemente assinou com a academia da Williams – foto: williams