Agenda da velocidade 2015 (3)

Publicado março 26, 2015 por Felipe Giacomelli
Categorias: World of Motorsport

Tags: , , , , , , , , , , ,
Lewis Hamilton corre em busca da segunda vitória em 2015 na Malásia

Lewis Hamilton vai em busca da segunda vitória em 2015 na Malásia

Agenda do fim de semana:

Quinta-feira, 26 de março:
23h00 – F1 – GP da Malásia – treino livre 1

Sexta-feira, 27 de março:
3h00 – F1 – treino livre 2
9h00 – USF2000 – São Petersburgo – treino livre 1
9h45 – Pro Mazda – São Petersburgo – treino livre 1
10h30 – Indy Lights – São Petersburgo – treino livre 1
13h30 – Indy – São Petersburgo – treino livre 1
15h00 – USF2000 – treino livre 2
15h45 – Pro Mazda – treino livre 2
16h30 – Indy Lights – treino livre 2 – cancelado/chuva
17h15 – Indy – treino livre 2 – cancelado/chuva
17h45 – Nascar – Martinsville – classificação
18h45 – Pirelli World Challenge – São Petersburgo – classificação
22h55 – V8 Supercars – Symmons Plains – classificação 1
23h20 – V8 Supercars – classificação 2

Sábado, 28 de março:
1h15 – V8 Supercars – corrida 1
1h30 – TCR – Malásia – classificação
3h00 – F1 – treino livre 3 – SporTV
3h15 – V8 Supercars – corrida 2
4h30 – TCR – corrida 1 – streaming no YouTube
6h00 – F1 – classificação – SporTV
9h00 – USF2000 – classificação
9h45 – Pro Mazda – classificação
10h30 – Indy Lights – classificação
11h15 – USF2000 – corrida 1
12h10 – Pirelli World Challenge – corrida 1
13h30 – Indy – treino livre 3
14h30 – Pro Mazda – corrida 1
15h25 – Indy Lights – corrida 1
15h46 – Nascar Truck Series – Martinsville – corrida – FS2?
17h15 – Indy – classificação
21h55 – V8 Supercars – classificação 3

Domingo, 29 de março:
0h00 – V8 Supercars – corrida 3
1h35 – TCR – corrida 2 – streaming no YouTube
4h00 – F1 – GP da Malásia – Globo
9h55 – USF2000 – corrida 2
10h50 – Pro Mazda – corrida 2
11h45 – Pirelli World Challenge – corrida 2
13h45 – Indy Lights – corrida 2
14h13 – Nascar – corrida – FS2
16h30 – Indy – corrida – Bandsports?

João Paulo de Oliveira de volta às pistas

Publicado março 24, 2015 por Felipe Giacomelli
Categorias: Outras Categorias

Tags: , , , , ,
João Paulo de Oliveira participou dos treinos do Super GT em Fuji

João Paulo de Oliveira participou dos treinos do Super GT em Fuji

João Paulo de Oliveira parece estar completamente recuperado da cirurgia que sofreu no polegar da mão esquerda por causa de uma lesão que teve no inverno no hemisfério norte.

Depois de perder os treinos coletivos da Super Formula, no início do mês, ainda se recuperando da operação, o brasileiro esteve presente nos dois dias de atividades do Super GT, marcados para esta segunda e terça-feira, dias 23 e 24, em Fuji.

E JP não demorou para mostrar ao que veio. Ele cravou o melhor tempo da segunda-feira, ao registrar 1min28s970 na parte da tarde, quando as equipes faziam simulações de corrida.

O brasileiro, que divide o carro de número 12 com Hironobu Yasuda, foi apenas 0s011 mais rápido que Andrea Caldarelli, o segundo colocado no equipamento da TOM’S.

O italiano, no entanto, deu o troco nesta terça, ao ver o parceiro, Ryo Hirakawa, cravar 1min28s182 na parte da tarde, a melhor marca dos dois dias de atividade e abaixo do recorde do traçado japonês. Oliveira, por sua vez, foi o sexto colocado no Nissan mais bem classificado.

A categoria nipônica agora faz uma pausa de pouco mais de uma semana e volta às pistas para a abertura do campeonato no dia 5 de abril, em Okayama. Você poderá acompanha todos os resultados de JP no Japão na Agenda de velocidade aqui no World of Motorsport.

Mais um pit-stop para Brian Vickers

Publicado março 22, 2015 por Felipe Giacomelli
Categorias: Nascar

Tags: , , , , ,
Brian Vickers seria patrocinado pela clínica onde fez tratamento neste fim de semana

Brian Vickers seria patrocinado pela clínica onde fez tratamento neste fim de semana

Brian Vickers mais uma vez está afastado das pistas devido a coágulos no sangue.

O piloto americano da Nascar revelou neste sábado, dia 22, que ficará longe das corridas por ao menos três meses, pois está fazendo tratamento com anticoagulantes. Enquanto estiver fazendo uso desse medicamento, ele não poderá correr devido ao risco de sangramento caso se envolva em um acidente.

Essa é a quarta vez que o piloto precisará dar um tempo na carreira por causa da doença.

A primeira vez foi em 2010, quando os coágulos foram percebidos após um acidente em Talladega. Vickers perdeu as últimas 26 etapas daquela temporada e precisou passar por uma cirurgia no coração.

Em 2013, o americano ficou de fora das últimas cinco corridas em virtude de coágulos na perna. No fim do ano passado, ele precisou refazer a cirurgia no coração porque seu corpo começou a rejeitar o tratamento anterior.

Assim, desde 2010, ele só disputou todas as etapas de uma temporada da principal divisão da Nascar duas vezes. Em que pese a Nationwide ter sido o seu principal programa em 2012.

Ironicamente, Vickers seria patrocinado neste fim de semana, em Auto Club, pela clínica onde tem se tratado. A corrida do sábado da Xfinity foi chamada de Drive4Clots, ou “pilotando para combater os coágulos.”

A equipe de Michael Waltrip ainda não anunciou quem irá substituir o piloto nos próximos três meses. Neste fim de semana, Brett Moffitt volta ao carro número 55, com o qual conquistou o oitavo lugar na etapa de Atlanta. O jovem, no entanto, não está confirmado para todas as corridas.

Treinos da F3 Euro 2015 em Valência

Publicado março 21, 2015 por Felipe Giacomelli
Categorias: Fórmula 3

Tags: , , , , , , , , , , , ,
Antonio Giovinazzi sobrou na Espanha

Antonio Giovinazzi sobrou na Espanha

Antonio Giovinazzi foi o mais rápido nos treinos coletivos da F3 Euro, na última semana, em Valência.

Durante a pré-temporada, o italiano teve a opção de subir para a World Series by Renault, junto com Sean Gelael e o patrocinador Jagonya Ayam. No entanto, ele escolheu continuar na F3 para tentar brigar por melhores resultados agora que tem mais experiência.

A estratégia já está se mostrando acertada. Nos dois dias de treinos na Espanha, ele foi o único a andar abaixo de 1min25s, tendo cravado 1min24s755 na tarde do primeiro dia.

A segunda colocação ficou com George Russell, da equipe principal da Carlin. O atual campeão da F4 Inglesa mostrou todo o talento da época do kart e ficou apenas 0s250 atrás do companheiro de esquadra.

Vice-campeão da F-Renault Alps em 2014, Charles Leclerc assumiu o carro de Max Verstappen na Van Amersfoort e fechou em terceiro. O monegasco foi o mais veloz com a pista molhada, na quinta-feira, mas não conseguiu superar os adversários na soma dos tempos.

Maximilian Günther, vindo da Adac Masters, foi o representante da Mücke com melhor posicionamento, seguido por Alex Albon. A equipe Signature, que conta com inglês de origem tailandesa, vem tendo uma pré-temporada muito mais tranquila com relação à do ano passado. Em 2014, por causa da falta de potência dos motores Renault, eles andaram nas últimas colocações.

Pietro Fittipaldi com as novas cores da Fortec

Pietro Fittipaldi com as novas cores da Fortec

Iniciando o sexto ano na F3, Felix Rosenqvist apareceu em sexto pela Prema. A equipe italiana não foi bem nas Espanha, com Jake Dennis, Brandon Maisano e Lance Stroll completando em 14º, 15º e 21º, respectivamente.

No entanto, o time é conhecido por esconder o jogo durante a pré-temporada, por isso não será uma surpresa se o quarteto estiver lutando pela vitória em Silverstone, na abertura do campeonato.

Vindo diretamente do karts, Callum Illot teve o sétimo melhor tempo na soma dos resultados, seguido por Arjun Maini. Atual campeão da Adac Masters, Mikkel Jensen foi o nono, agora contando com apoio de fábrica da Mercedes.

Sergio Sette Câmara, que estreou nos monopostos apenas na metade do ano passado, terminou em décimo, sendo sempre bem mais veloz que os companheiros de Motopark. Levando em conta o bom desempenho que teve na Toyota Racing Series, em janeiro, o piloto mineiro parece ter encontrado alguns segredos de desempenho durante o inverno europeu.

Pietro Fittipaldi foi o outro brasileiro presente nas atividades. O atual campeão da F-Renault Inglesa fechou com o 18º posto no combinado, sendo o mais veloz entre os representantes da Fortec.

Os dois brasileiros, porém, não foram bem no segundo dia de atividades, quando a pista molhada comprometeu o programa de testes das equipes.

O grid em Valência ainda contou com o retorno de Nicolas Beer, que havia sofrido uma concussão nos testes privados da última semana, mas agora parece estar recuperado. A outra novidade foi Gelael, que ao contrário de Giovinazzi subiu para a World Series, mas deve competir em algumas etapas da F3 por quilometragem.

Os treinos da F3 Euro continuam no dia 7 de abril, em Silverstone.

Confira a soma dos tempos:

tempos f3valencia

A volta da F2?

Publicado março 20, 2015 por Felipe Giacomelli
Categorias: Fórmula 2

Tags: , , , , ,
Será essa a cara da nova F2?

Será essa a cara da nova F2?

O Conselho Mundial da FIA deu luz verde na última sexta-feira, dia 20, para a nova F2.

A intenção da entidade mundial em reorganizar o campeonato acabou vazando no fim do ano passado. Na ocasião, o ranking de pontos para obter a nova superlicença apontava a F2 – extinta – como torneio mais importante.

Ao mesmo tempo, Stefano Domenicali, responsável da FIA pelas categorias de base, começou a trabalhar para viabilizar a F2. O Conselho Mundial ficou satisfeito com o que viu até agora e espera que o antigo chefe da Ferrari apresente um projeto mais detalhado em julho, na nova reunião do conselho.

E quem está interessa na nova categoria é a Renault. A montadora francesa foi a principal perdedora com a nova superlicença ao ter a World Series e as F-Renault distribuindo menos pontos que F3 Euro e F4, respectivamente.

Ao invés de se abater, a fabricante procurou a FIA para negociar a organização do novo campeonato. Durante o Salão de Genebra, no começo do mês, o CEO da Renault Sport, Patrice Ratti, confirmou a intenção de transformar a WSR na nova F2, mas desde que as F-Renault sejam mantidas.

No ano passado, a Renault anunciou a renovação de contrato da World Series com diversos fornecedores, como Elf e Michelin, por três temporadas, até 2017.

Diversas equipes da World Series também fazem parte da GP2, como Arden, Carlin e Dams, o que pode acelerar o processo, caso a Renault seja escolhida para organizar a nova versão da F2.

Agenda da velocidade 2015 (2)

Publicado março 19, 2015 por Felipe Giacomelli
Categorias: World of Motorsport

Tags: , , , , , , , , , , , , ,
Os carros da United SportsCar voltam à pista neste fim de semana

Os carros da United SportsCar voltam à pista neste fim de semana

Depois de a F1 ter começado na última semana com tanto Felipe Massa quanto Felipe Nasr no top-5, agora chegou a vez de o esporte a motor iniciar para valer no Brasil. Na verdade, a principal categoria do automobilismo do país – a F3 Brasil – já havia dado a largada, mas agora é a vez de os outros certames da World Series by Vicar terem a primeira etapa.

A Stock Car, claro, é o grande destaque com a corrida de duplas de Goiânia. Entre os convidados estão Mark Winterbottom, Álvaro Parente, António Félix da Costa, Laurens Vanthoor, Ricardo Rosset e Ingo Hoffmann.

Olho também no grid do Brasileiro de Turismo, com a presença de Gustavo Lima, Felipe Guimarães, Felipe Donato, Gustavo Myasava e os irmãos Dirani.

No exterior, as 12 Horas de Sebring serão disputadas neste sábado. Augusto Farfus, Oswaldo Negri, Augusto Farfus e Bruno Junqueira são os brasileiros presentes.

Você já sabe, mas não custa lembrar: conforme as sessões do fim de semana forem acontecendo, eu vou atualizar este post com os resultados. Daí é só você voltar ao World of Motorsport, clicar nos links na cor laranja ali embaixo e saber de tudo o que aconteceu. Além disso, vale aqui o horário de Brasília.

Vanthoor e Valdeno Brito serão rivais no resto do ano

Vanthoor e Valdeno Brito serão rivais no resto do ano, mas hoje são companheiros – foto de duda bairros/vicar

Agenda do fim de semana:

Quinta-feira, 19 de março:
14h20 – Stock Car – Goiânia – treino livre 1

Sexta-feira, 20 de março:
13h50 – Brasileiro de Marcas – Goiânia – classificação
14h20 – Stock Car – treino livre 2
16h30 – Stock Car – treino livre 3
17h20 – United Sportscar – 12h de Sebring – classificação
20h50 – Nascar – Auto Club – classificação

Sábado, 21 de março:
8h00 – Stock Car – treino livre 4
11h40 – United Sportscar – 12h de Sebring – corrida
12h00 – Stock Car – classificação
13h10 – Brasileiro de Turismo – Goiânia – classificação
15h15 – Brasileiro de Marcas – corrida 1
16h25 – Brasileiro de Turismo – corrida 1
17h10 – Mercedes Challenge – Goiânia – classificação
17h16 – Nascar Xfinity – Auto Club – corrida

Domingo, 22 de março:
8h42 – Brasileiro de Turismo – corrida 2
10h30 – Stock Car – corrida em duplas
12h37 – Mercedes Challenge – corrida
14h15 – Brasileiro de Marcas – corrida 2
16h46 – Nascar – corrida

Automobilismo inclusivo

Publicado março 17, 2015 por Felipe Giacomelli
Categorias: Outras Categorias

Tags: , , , , ,
Alex Zanardi e o carro adaptado

Alex Zanardi e o carro adaptado

O automobilismo, nos últimos anos, tem tentado ser um esporte inclusivo para pessoas com deficiência física.

Pelo segundo ano consecutivo, Michael Johnson, piloto cadeirante após ter sofrido uma fratura na coluna em um acidente de moto, vai disputar a Pro Mazda.

Irmão mais novo de Lewis Hamilton, Nicolas competiu na da Clio Cup Inglesa em 2011 e 2012. No ano seguinte, o britânico, que tem paralisia cerebral, participou de algumas etapas do ETCC, o campeonato europeu de carros de turismo.

O caso mais emblemático, porém, é de Alessandro Zanardi. O italiano, que perdeu as duas pernas em um grave acidente da Champ Car, voltou ao esporte a motor no WTCC, de 2005 a 2009, guiando um carro adaptado, em que tanto a aceleração quanto a frenagem eram feitas pelas mãos.

O mesmo tipo de mecanismo foi usado no ano passado, quando Zanardi retornou ao automobilismo para competir na Blancpain Sprint Series pela BMW.

O problema é que o italiano era o único competidor do grid que não corria em dupla. Como ele tinha um carro adaptado e levava mais tempo que os outros concorrentes para a troca de pilotos, acabava não tendo um parceiro.

No entanto, essa limitação está prestes a acabar. A BMW anunciou nesta terça-feira, dia 17, que Zanardi vai disputar as 24 Horas de Spa-Francorchamps deste ano, etapa válida pela Blancpain Endurance Series.

Com dois companheiros que ainda serão anunciados, o trio também vai tomar parte dos 1000 km de Paul Ricard como preparação para a tradicional prova belga. Se tudo der certo, enfim Zanardi enfim estará de fato incluído no automobilismo novamente.

A estreia de Felipe Nasr na F1

Publicado março 15, 2015 por Felipe Giacomelli
Categorias: Fórmula 1

Tags: , , , , ,
Felipe Nasr levou a melhor no duelo contra Daniel Ricciardo e Kimi Raikkonen

Felipe Nasr levou a melhor no duelo contra Daniel Ricciardo e Kimi Raikkonen

Felipe Nasr levou apenas cinco ou seis voltas do GP da Austrália para deixar o estigma de piloto pagante para trás na F1.

Contratado pela Sauber para a temporada 2015 principalmente por causa do patrocínio do Banco do Brasil, o brasileiro não demorou a mostrar do que é capaz.

Para quem o acompanhou na GP2, ver Nasr fazendo boas largadas não é nenhuma novidade. Ele havia se classificado em 11º em Melbourne, mas herdou uma posição para a prova deste domingo, dia 15, com a ausência de Valtteri Bottas, vetado pelos médicos.

Depois, o brasiliense tracionou bem após as luzes verdes, ganhando algumas posições. Ele ainda foi tocado por Kimi Raikkonen na segunda curva, sendo arremessado na direção de Pastor Maldonado. O venezuelano perdeu o controle da Lotus e foi parar no muro, chamando o safety-car.

Nasr, que estava em sexto neste momento, teve uma boa relargada na saída do carro de segurança e superou Carlos Sainz Jr, mesmo com a asa traseira móvel ainda proibida.

O piloto da Sauber passou a ser pressionado por Daniel Ricciardo e Raikkonen, mas soube economizar o equipamento – outra característica da época da GP2 – e abrir uma breve vantagem antes da parada nos boxes. Após o pit-stop, ele manteve o mesmo ritmo e foi um dos cinco pilotos a cruzar a linha de chegada na volta do líder.

Com o resultado, Nasr se tornou o brasileiro com melhor estreia na história da F1, em que pese 15 carros terem largado para a prova e apenas 11 terminado. Ainda que o número de competidores tenha sido pequeno, o piloto da Sauber não cometeu erros e conseguiu conquistar o primeiro top-5 da carreira.

É improvável que as próximas corridas tenham duas Lotus, uma Red Bull, uma Williams e uma McLaren abandonando antes de a primeira volta ser completada. Por essa razão, é difícil que Nasr consiga repetir o resultado de Melbourne em situações normais, mas o brasileiro já mostrou um belo cartão de visitas na F1.

O problema é que tudo é muito rápido no principal campeonato do automobilismo mundial. Da mesma forma que em apenas seis voltas ninguém mais o chamava de pagante, basta dois ou três erros feios nas próximas corridas para que as críticas voltem a aparecer.

O melhor agora é continuar focado e trabalhando duro para marcar pontos sempre que possível, mesmo que seja apenas um ou dois por prova.

P.S.: Com os dez pontos marcados na Austrália, Nasr igualou a pontuação obtida por Pedro Paulo Diniz e Maurício Gugelmin na carreira. Os dois, no entanto, correram em época cuja regra era diferente e apenas os seis melhor colocados somavam pontos.

P.S.2: Você pode clicar aqui para conferir os resultados completos da F1 na Austrália, além das outras principais categorias do automobilismo mundial neste fim de semana.

Grid de largada do GP da Austrália de 2015

Publicado março 14, 2015 por Felipe Giacomelli
Categorias: Fórmula 1

Tags: , , , , , , ,
Lewis Hamilton larga na frente na Austrália

Lewis Hamilton larga na frente na Austrália

A temporada 2015 da F1 começa neste domingo na Austrália. Além da briga pela vitória – provavelmente envolvendo apenas os carros da Mercedes –, há outras boas histórias para serem acompanhadas.

Confira o grid de largada do GP da Austrália, com uma breve análise do que poderemos ver na corrida:

1) Lewis Hamilton, Mercedes nº 44 – Embora favorito, nunca subiu ao pódio em Melbourne correndo pela Mercedes. Nas duas últimas corridas, acumulou um quinto lugar e um abandono. A única vitória na Austrália veio na campanha do título de 2009.

2) Nico Rosberg, Mercedes nº 6 – Foi o mais rápido nos treinos livres de sexta-feira. Se vencer na Austrália, vai empatar com o local Mark Webber com nove triunfos na carreira.

3) Felipe Massa, Williams nº 19 – É um piloto que tipicamente corre melhor na segunda metade da temporada. Tem sete abandonos em Melbourne, incluindo no ano passado, e o melhor resultado por lá foi o terceiro lugar pela Ferrari, em 2010.

4) Sebastian Vettel, Ferrari nº 5 – Trouxe de volta o Red Five de Nigel Mansell ao escolher o numeral e ter se juntado à Ferrari. O inglês, porém, nunca guiou um carro da equipe de Maranello com o número 5. Foi 27 em 1989 e 2 em 1980.

5) Kimi Raikkonen, Ferrari nº 7 – Conquistou a melhor posição de largada desde o ano passado igualando o quinto posto no grid do GP do Bahrein, quando terminou em décimo.

6) Valtteri Bottas, Williams nº 77 – Bottas foi o astro da prova da Austrália no ano passado ao fazer diversas ultrapassagens. Dessa vez, corre o risco de não participar por causa de uma lesão nas costas.

7) Daniel Ricciardo, Red Bull nº 3 – Largando em sétimo e com os problemas do motor Renault na Red Bull, vai ser difícil vê-lo sorrindo o tempo todo no domingo. Ou não.

8 ) Carlos Sainz Jr, Toro Rosso nº 55 – Melhor novato de 2015 no grid de largada, tendo estreado no Q3 na primeira tentativa.

9) Romain Grosjean, Lotus nº 8 – Era patrocinado pela Total em uma equipe cujo principal patrocinador é a PDVSA e usa combustível Petronas. Não por acaso perdeu o investidor francês.

10) Pastor Maldonado, Lotus nº 13 – O último abandono oficialmente em razão de acidente foi no GP de Mônaco de 2013. Faz tempo, hein?

11) Felipe Nasr, Sauber nº 12 – Enrique Bernoldi, Gino Bianco, Raul Boesel, Luiz Pereira Bueno, Luciano Burti, Lucas Di Grassi, Fritz D’Orey, Ingo Hoffmann, Tarso Marques, Alex Dias Ribeiro e Ricardo Rossett foram os brasileiros que correram na F1, mas não conseguiram somar pontos. Felipe Nasr vai tentar evitar entrar neste grupo a todo custo.

12) Max Verstappen, Toro Rosso nº 33 – Aos 17 anos e cinco meses, pode se tornar o piloto mais jovem da história da F1 a pontuar. Na verdade, ele tem tempo, até meados de 2017 para bater esse recorde.

13) Daniil Kvyat, Red Bull nº 26 – Largou em oitavo ano passado na Austrália, quando pilotava pela Toro Rosso. Piorou ao ser promovido.

14) Nico Hulkenberg, Force India nº 27 – Sem contar a McLaren, a Force India foi a grande decepção da classificação na Austrália. Em 2014, o alemão havia largado em sétimo e terminado em sexto. Quanta diferença em apenas um ano.

15) Sergio Pérez, Force India nº 11 – A exemplo de Hulkenberg, vai precisar apostar em uma tática diferenciada nos boxes se quiser marcar pontos.

16) Marcus Ericsson, Sauber nº 9 – Ericsson segue sem alcançar o Q2 na carreira na F1.

17) Jenson Button, McLaren nº 22 – Na primeira parceria entre McLaren e Honda, a estreia foi no GP do Brasil de 1988, com pole (de Ayrton Senna) e vitória (de Alain Prost). Agora os dois carros da McLaren dividem a última fila.

18) Kevin Magnussen, McLaren nº 20 – Certamente Fernando Alonso não está muito contente em ver seu carro largando na última colocação do grid.

O primeiro vencedor da GP3 está de volta à categoria

Publicado março 13, 2015 por Felipe Giacomelli
Categorias: GP3

Tags: , , ,
Já faz algum tempo que Pal Varhaug venceu pela primeira e única vez na GP3

Já faz tempo que Pal Varhaug venceu pela primeira e única vez na GP3

Primeiro vencedor da história da GP3, Pal Varhaug anunciou nesta sexta-feira, dia 13, que retornará à categoria em 2015.

O problema é que entre o triunfo do norueguês, em 2010, e a primeira corrida de Barcelona – marcada para o mês de maio – terão se passado seis anos.

O nórdico, assim, vem sendo criticado pelo tempo em excesso que terá gasto na categoria, algo similar com o que a GP2 enfrentou nos últimos anos. O principal certame de acesso da F1 tem sido dominado por pilotos veteranos, muitos sem perspectivas de chegar ao campeonato principal.

O caso de Varhaug, no entanto, é diferente. Ele não ficou as cinco temporadas passadas na GP3. Pelo contrário. Após o ano de estreia, ele se mandou para a GP2, mas não conseguiu somar pontos em 2011 ao ser companheiro de equipe de Romain Grosjean, na Dams.

Depois, rodou pela Auto GP e ensaiou um retorno à principal categoria de acesso da F1 até perceber que havia cometido um erro e queimado passos importantes da carreira.

Para corrigir essa falha no desenvolvimento como piloto, Varhaug decidiu voltar para onde não deveria ter saído tão rápido: a GP3. No ano passado, o norueguês de 24 anos disputou a categoria pela equipe Jenzer, mas somando apenas 12 pontos. O melhor resultado foi um quinto lugar na corrida principal de Spa-Francorchamps.

Por mais absurdo que pareça o retorno de Varhaug à GP3, ele está fazendo o que se espera de qualquer jovem piloto. Se uma lição na carreira não foi bem assimilada, melhor não tentar dar um passo maior que a perna e só deixar o campeonato quando estiver realmente pronto.

É claro que as chances de ele chegar à F1 dependem exclusivamente do dinheiro que tiver. No entanto, uma boa formação pode significar uma carreira bem sucedida nos principais campeonatos de GT e endurance do mundo.

Os outros dois pilotos da Jenzer para a GP3 2015 serão Matheò Tuscher e Ralph Boschung.


Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 131 outros seguidores