Red Bull Junior Team 2018

Se em outros anos o anúncio da nova formação do Red Bull Junior Team, o programa de pilotos da equipe de F1, trazia algumas surpresas, o desta segunda-feira, dia 15, foi protocolar.

Já se sabia que Pierre Gasly tinha deixado o Junior Team ao ser promovido para a F1, onde será titular da Toro Rosso. E também que Niko Kari, da GP3, e Richard Verschoor, da F-Renault Eurocup, haviam sido dispensados por não terem conquistado os resultados esperados na temporada passada.

A ida de Dan Ticktum para a F3 Euro, onde vai correr pela Motopark, também já havia sido anunciada, assim como a chegada dos kartistas Jack Doohan e Dennis Hauger à F4 Inglesa, na qual andarão pela Arden.

Faltava apenas definir os destinos de Neil Verhagen – segue na F-Renault Eurocup, mas agora pela Tech 1 – e de Jonny Edgar e Harry Thompson, que sobem da divisão OKJ para a OK do kartismo. O americano, aliás, foi apontado pelo World of Motorsport como uma das cinco jovens promessas para ficar de olho em 2018.

Como Gasly e Brendon Hartley devem continuar na Toro Rosso por mais três temporadas, dá tempo de Ticktum passar por F3 Euro, F3/GP3 e F2 até conseguir a promoção à categoria principal, por volta de 2021.

Aí fica em aberto quem seria seu eventual companheiro de equipe. Verhagen, de apenas 17 anos, precisaria nas mesmas três temporadas avançar por F-Renault, F3 e F2, enquanto Doohan e Hauger estão ainda mais distantes.

Daí não será uma surpresa se a segunda vaga for para algum piloto indicado pela Honda, nova fornecedora de motores da Toro Rosso. Nirei Fukuzumi, que disputou a GP3 na última temporada e participará tanto da F2 quanto da Super Formula neste ano surge como possibilidade. Ele será patrocinado pela Red Bull, mas não fará parte do Junior Team em 2018.

KARTISTAS

Nos últimos anos, dá para dizer que o Red Bull Junior Team fracassou. Tirando Max Verstappen, que passou cerca de seis meses no programa antes da promoção à Toro Rosso, apenas Carlos Sainz conseguiu vingar.

E não apareceu ninguém para substituir o espanhol na F1. Com vários pilotos dispensados nesse tempo, incluindo o brasileiro Sergio Sette Câmara, a solução foi recorrer a um antigo conhecido: Hartley, que havia feito parte do programa na época de Jaime Alguersuari e Sébastien Buemi.

Para evitar que essa situação se repetisse, o Red Bull Junior Team mudou a abordagem no fim do ano passado, apostando em desenvolver seus pilotos desde o kartismo até a F1.

Essa estratégia não é nova. A Red Bull já a havia feito com Sainz e Daniil Kvyat. E, apesar das várias demissões que o russo enfrentou, dá para dizer que deu certo. Kvyat acumula dois pódios na carreira, enquanto Sainz conseguiu um contrato como piloto de fábrica da Renault e é especulado no lugar de Daniel Ricciardo na própria Red Bull.

Assim, quatro kartistas se juntaram ao programa no fim do ano passado: Jack Doohan (filho de Mick Doohan, lenda da MotoGP), Dennis Hauger, Jonny Edgar e Harry Thompson.

Os dois primeiros já vão para a F4 neste ano, enquanto os dois últimos devem ficar ao menos mais uma temporada no kartismo.

Também é uma forma de diminuir a volatilidade do programa – cheio de contratações e demissões – e apostar na continuidade dos jovens pilotos.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s