Com a F1 se preparando para voltar das férias de verão no fim de semana, com o GP da Bélgica, chegou a hora de relembrar as notícias que movimentaram esse período sem corridas, além dos boatos que estão tomando conta do mercado de pilotos para a temporada 2023.

Veja abaixo como as esquadras com motor Mercedes estão se preparando para alinhar na F1 2022.

Para não deixar este texto muito longo, dividi as dez escudeiras da principal categoria do automobilismo mundial em partes. A segunda parte, fala de Ferrari, Alfa Romeo e Haas. Já a terceira é sobre Red Bull, AlphaTauri e Alpine.


Mercedes na F1 2023

2022 – Lewis Hamilton e George Russell
2023 – Lewis Hamilton e George Russell

Com George Russell com contrato até 2023 e tendo um bom desempenho na atual temporada da F1 — na qual já obteve cinco pódios e uma pole — a única dúvida da Mercedes é até quando Lewis Hamilton vai se manter na ativa.

O heptacampeão do mundo já afirmou que não quer ficar para sempre na F1. Pretende continuar a correr somente enquanto se sentir competitivo e não parece ter interesse em andar por uma equipe do meio do grid. Quando a aposentadoria vai acontecer? Hamilton nunca deu uma data, mas disse que ainda se vê correndo por mais alguns anos.

O grande nome da academia da Mercedes é Andrea Kimi Antonelli, que está dominando a F4 em 2022. Lidera tanto o campeonato da Itália quanto o da Alemanha, tendo acumulado 15 vitórias em 24 corridas até aqui. Olho nele.


McLaren na F1 2023

2022: Lando Norris e Daniel Ricciardo
2023: Lando Norris e Oscar Piastri (?), Daniel Ricciardo (?), Alex Palou (?), Colton Herta (?), Pato O’Ward (?), Felix Rosenqvist (?)

É uma brincadeira colocar todos esses pilotos como opções para a McLaren para a temporada 2023 da F1. É que a esquadra ficou marcada por fazer uma série de contratações, nos últimos meses, para sua divisão na Indy.

Na F1, a situação está encaminhada. Lando Norris recentemente renovou seu vínculo com o time até o fim de 2025, enquanto seu parceiro no próximo ano deverá ser o australiano Oscar Piastri, campeão da F2 em 2021.

Aí é que começam os problemas. O australiano chegou a ser anunciado pela Alpine, de quem integrava a academia de jovens pilotos, como titular para 2023, mas recusou a vaga, argumentando que não tinha assinado contrato com a montadora francesa. Será que não tinha mesmo ou a McLaren vai precisar pagar sua rescisão? Essa é uma questão que pode ir parar na Justiça.

Ao mesmo tempo, a escuderia de Zak Brown precisa definir o futuro de Daniel Ricciardo. Nesta altura do campeonato, o ex-Red Bull já sabe que não vai ficar para 2023 e busca uma compensação financeira para o encerramento prematuro do contrato — seu vínculo ia até o fim do próximo ano.

Já no improvável cenário de a McLaren rescindir com Ricciardo, mas não conseguir tirar Piastri da Alpine, não faltam interessados na segunda vaga da escuderia para 2023: Colton Herta, Pato O’Ward, Alex Palou…. todos com destaque nos EUA e que estão mais do que dispostos a receber uma chance na Europa.

P.S.: o post foi escrito antes de a McLaren anunciar a saída de Ricciardo, agora oficialmente confirmada.


Aston Martin na F1 2023

2022: Sebastian Vettel e Lance Stroll
2023: Fernando Alonso e Lance Stroll (?)

Foi a escuderia de Lawrence Stroll que colocou fogo no mercado de pilotos da temporada 2023 da F1 ao conseguir tirar Fernando Alonso da Alpine para substituir Sebastian Vettel, que vai se aposentar no fim do atual campeonato.

A própria cúpula da montadora francesa acreditava na renovação, mas acabou pega de surpresa quando a Aston Martin divulgou um press-release anunciando Alonso para 2023. A marca britânica tem um ambicioso plano de lutar por vitórias e títulos a médio prazo na F1 e, para alcançá-lo, tem investido em infraestrutura. Tanto que deverá inaugurar uma nova sede no começo do ano que vem.

Essa ambição foi uma das razões para que Alonso fosse atraído ao projeto. O companheiro de equipe do espanhol, surpresa, deverá ser Lance Stroll, filho do dono.

O que eu mais gosto é que todo ano a Aston Martin demora para anunciar o piloto canadense, como se ninguém soubesse que ele tem vaga cativa no time. Falando nisso, em breve a equipe pode ficar em uma situação delicada. Se espera lutar por vitórias, precisa que Stroll mostre resultados de forma consistente, o que até agora ele não vem alcançando na F1.


Williams na F1 2023

2022: Alex Albon e Nicholas Latifi
2023: Alex Albon e Nicholas Latifi (?), Theo Pourchaire (?), Logan Sargeant (?), Nyck de Vries (?)

Com a indefinição sobre quem vai pilotar o segundo carro da Alpine na F1 2023, a Williams correu para renovar o contrato de Alex Albon e retirá-lo do mercado.

Afinal, o tailandês vai tendo um ano bem positivo. É verdade que não tem brilhado como George Russell fazia em 2021 nas classificações, mas consegue andar no meio do pelotão com frequência, tanto que já pontuou duas vezes neste ano, sendo uma delas na Austrália ao empregar uma estratégia bastante curiosa de ir aos boxes para a troca obrigatório somente na penúltima volta.

Durante muito tempo, a Williams achava que ia ter Piastri – emprestado pela Alpine – em seu segundo carro. Mas o australiano deve mesmo correr na McLaren em 2023.

Assim, a lista de pilotos para a segunda vaga não é das mais extensas. Nicholas Latifi, apesar de levar patrocinadores, não vem agradando — tanto que ainda nem pontuou neste ano. Nyck de Vries, campeão da Formula E em 2021, é bem cotado pelos dirigentes da Williams, que estão dispostos a dar ao holandês uma chance na principal categoria do automobilismo mundial.

Já Logan Sargeant, que integra a academia de jovens pilotos da Williams, parecia que ia lutar pelo título da F2 em seu ano de estreia e poderia até mesmo já ser alçado à F1. Mas o americano perdeu rendimento nas últimas etapas antes das férias de verão e deve seguir no campeonato de acesso por mais um ano.

Agora que já falamos das quatro equipes com motor Mercedes, você pode clicar aqui para ler os rumores envolvendo Ferrari, Alfa Romeo e Haas. E aqui para conferir o texto sobre Alpine, AlphaTauri e Red Bull.

Mercedes número 44 de Lewis Hamilton, vista de frente, mas na sombra
Ainda está cedo para falar em aposentadoria de Lewis Hamilton, mas até quando o heptacampeão da F1 continuará a correr? – foto: daimler/divulgação