Para quem achava que o mercado de pilotos da Indy em 2021 já tinha sido bastante maluco com a chegada de Romain Grosjean, Scott McLaughlin e Jimmie Johnson, o da temporada 2022 não está deixando nada a desejar.

Nesta quarta-feira, dia 20 de outubro, a novidade foi a confirmação do acerto de Christian Lundgaard, da academia de jovens pilotos da Alpine, com a RLL. O dinamarquês será o substituto de Takuma Sato no time.

Lundgaard já tinha estreado na Indy em 2021. Ele tomou parte da segunda etapa disputada no circuito misto de Indianápolis, pela mesma RLL, e impressionou ao garantir a quarta colocação no grid de largada. Havia até a expectativa de que ele poderia ter ido ainda melhor caso tivesse mais tempo de adaptação ao equipamento. É que somente um único treino livre foi realizado antes da tomada de tempo, diferentemente das outras rodadas da temporada, com as sextas-feiras geralmente reservadas a esse tipo de teste.

O novo contratado da RLL desembarca nos EUA após um ano abaixo do esperado na F2. Considerado um dos favoritos ao título de 2021, vem tendo um campeonato marcado por erros e problemas mecânicos, tanto que ocupa somente a 11ª posição na tabela, com três pódios obtidos até agora.

Lundgaard, aliás, faz parte de uma nova invasão europeia, digamos assim, que pode chegar à Indy em 2022.

Além dele, quem já se garantiu no grid foi Callum Ilott, atual vice-campeão da F2 e piloto de testes da Ferrari. O britânico acertou, de forma até mesmo surpreendente, com a Juncos, uma das equipes mais fracas do grid e que está retornando à Indy de maneira integral em 2022.

Callum Ilott e Nico Hulkenberg na Indy 2022?

Ilott disputou as três últimas corridas de 2021 pelo time, mostrou alguns flashs de que pode ser competitivo, mas acabou limitado pelo equipamento na maior parte do tempo. Caberá a ele conseguir equilibrar a adaptação ao automobilismo americano na próxima temporada com a responsabilidade de liderar a pequena esquadra argentina ao meio do grid.

Para terminar a invasão europeia, a McLaren vai alinhar um terceiro carro para Nico Hulkenberg nos testes de pós-temporada em Barber. Será uma oportunidade para o alemão, recordista na F1, conhecer a Indy e ver se está disposto a repetir os passos de Romain Grosjean e seguir carreira nos EUA.

Agora que a invasão europeia está devidamente apresentada, voltando a Lundgaard, talvez ter ido mal na F2 neste ano tenha sido uma oportunidade disfarçada para ele.

Para o dinamarquês, tão ruim quanto estar longe das brigas por vitória tem sido ver Oscar Piastri e Guanyu Zhou, seus colegas na academia da Alpine, liderar a tabela e lutar pelo título.

Mas resta somente uma vaga aberta no grid da F1 para 2022: a de companheiro de Valtteri Bottas na Alfa Romeo. No momento, Colton Herta é apontado como o principal candidato a ficar com ela. Assim, caso se confirme a chegada do americano à principal categoria do automobilismo mundial, nem Zhou, nem Piastri serão promovidos. Por isso, foi uma boa para Lundgaard já ter se ajeitado na Indy.

Mas não deixa de ser um fracasso para a F2 e para seus organizadores que provavelmente nenhum dos pilotos do grid deste ano consiga subir para a F1 no ano que vem. Não é uma surpresa, portanto, ver tantos europeus buscando oportunidades na Indy em 2022.

Você pode clicar aqui para ver como o grid da temporada 2022 da Indy está sendo formado.

Romain Grosejan, Indy, 2021, horários, resultados, onde assistir, Laguna Seca, MotoGP, MotoE, Nascar
O sucesso de Romain Grosjean em 2021 fez com que diversos pilotos europeus prestassem atenção na Indy – foto: honda/divulgação