Nick Cassidy é o primeiro campeão de 2012

Nick Cassidy
Nick Cassidy foi campeão da Toyota Racing Series em um final de semana que voltou a ter polêmica

Nick Cassidy é o primeiro campeão no automobilismo em 2012. Depois de cinco semanas, o jovem neozelandês de apenas 17 anos conquistou o título da Toyota Racing Series de maneira inquestionável. O garoto venceu cinco corridas e foi o maior pontuador em três etapas para garantir a taça daquele que é conhecido como o primeiro campeonato do ano.

Cassidy não teve muitas dificuldades ao longo do final de semana decisivo em Manfield, estando entre os ponteiros desde as primeiras atividades. Nos treinos livres, terminou na frente ao lado de Mitch Evans, Josh Hill e do brasileiro Bruno Bonifácio. Depois, na complicada definição da pole-position, com o treino dividido em três etapas, ficou em segundo, sendo superado apenas pelo pole Evans. Aliás, ainda falando no grid de largada, Hannes van Asseldonk ficou com a terceira colocação e Bonifácio foi o quarto.

As duas primeiras corridas da rodada tripla foram bastante chatas. Na primeira, Evans ganhou de ponta a ponta, com o pódio completado por Van Asseldonk e por Cassidy. Bruno Bonifácio vinha em quinto – depois de mais uma péssima largada – quando escapou na curva 1 e terminou a prova em sétimo.

Como a regra do grid invertido para a segunda corrida só vale para os seis primeiros, o brasileiro perdeu a chance de sair primeira fila, e foi obrigado a partir apenas da sétima posição. Melhor para o porto-riquenho Felix Serralles, que herdou a pole-position e a converteu em vitória.

Nessa segunda prova, um dos destaques foi Evans, que saiu em sexto e terminou na segunda colocação. Josh Hill completou o pódio. Com a quinta colocação e o abandono de Van Asseldonk, Nick Cassidy garantiu matematicamente o título. Bonifácio, que mais uma vez pecou nas largadas e relargadas encerrou em oitavo.

Equipe Gilles Toyota Racing Series
Os seis integrantes da equipe Gilles na TRS 2012: Mitch Evans, Lucas Auer, Félix Serralles, Bruno Bonifácio, Hannes Van Asseldonk e Nick Cassidy

A última corrida do final de semana foi, sem dúvidas, a melhor. O chamado GP da Nova Zelândia – uma das poucas provas no mundo fora da F1 que a FIA permite ser chamada de GP – também se encaminhava para uma disputa monótona como as corridas anteriores.

No entanto, com a distância total sendo de 35 voltas, muitos pilotos não souberam poupar equipamento e/ou se concentrar por tanto tempo. O primeiro a abandonar foi Jordan King, depois Hill e Raffaele Marciello deixaram a prova e, por fim, Damon Leitch e Shanaan Engineer tiveram problemas.

Mas o grande destaque acabou sendo o desempenho de Evans. O neozelandês dominou até sete voltas para o final, quando teve um problema no motor – no momento em que detinha uma vantagem de 6s – e lentamente foi forçado a se encaminhar à área de escape.

Com Evans fora da disputa, Cassidy e Van Asseldonk duelaram pela vitória, com o holandês tentando atacar até o final, mas sem sucesso. Assim, além do título, Nick também ficou com a vitória no tradicional GP da Nova Zelândia. A terceira colocação foi de Lucas Auer, com Bruno Bonifácio terminando em quarto.

Pronto, fim da temporada, podemos voltar à vida normal, certo?

Errado! Ainda não falei do mais legal. Por algum motivo, durante a etapa da Toyota Racing Series em Manfield, a Ferrari não ficou satisfeita com o que aconteceu com Raffaele Marciello, que é piloto em desenvolvimento da equipe italiana, e resolveu, digamos, soltar os cachorros.

Pelo Twitter, Luca Baldisseri, responsável pela FDA criticou pesadamente a organização do campeonato. O dirigente disse: “Um adeus a todos os fãs e organizadores da TRS na Nova Zelândia… não tenho certeza se a FDA vai ver vocês novamente depois da má organização em 2012. Um simples aviso para o futuro: mantenha com você os pilotos neozelandeses nas competições na Nova Zelândia.. é um bom jeito de vencer”.

Raffale Marciello
O carro de Raffale Marciello com os pneus invertidos. Bom, não dá para notar nada mesmo..

É claro que ninguém faz ideia sobre o que Baldisseri estava se referindo, mas há algumas pistas. Marciello teve um péssimo resultado em Manfield porque a equipe da qual ele fez parte montou o carro de forma errada e colocou os pneus traseiros na frente e vice-versa. Talvez frustrado pelo amadorismo, o dirigente resolveu protestar. Paciência né? Esse tipo de coisa acontece. Acho que Enrique Bernoldi teve problemas com algo assim no GT1 e, bom, quem não se lembra do macaco no carro de Rubens Barrichello na F1 em 2002? A Ferrari não é tão inocente assim…

A segunda hipótese é um pouco mais aceitável. Seria em referência a uma possível proteção da organização aos pilotos neozelandeses – algo que eu já havia falado sobre no post da primeira etapa da temporada, que você pode clicar aqui para relembrar. Agora, neste final de semana, além do domínio de Cassidy, Mitch Evans chegou como queria e se colocou entre os ponteiros com tremenda facilidade.

Verdade seja dita, Evans é bom piloto mesmo, conhece as pistas e o carro da categoria como ninguém, então o domínio já era esperado. No entanto, isso acaba queimando um pouco o campeonato. Como a TRS cresceu bastante em 2012, atraindo pilotos como Marciello, Lucas Auer, Hannes Van Asseldonk e Nathanael Berthon, ela acabou recebendo mais atenção. Mas aí, ao invés de disputa justa entre esses pilotos, o cara que ganha as últimas corridas é o filho do dono da principal equipe. Aí você junta a isso o suposto protecionismo aos neozelandeses e o resultado são essas polêmicas.

Mas no final das contas todos nós sabemos que a reclamação da Ferrari acontece porque Marciello não ganhou. Talvez os italianos estejam percebendo que o garoto está muito longe de ser um fora de série e agora precisam arrumar uma justificativa pela falta de vitórias.

No outro ponto da tabela, eu destacaria Hannes Van Asseldonk e Felix Serralles como os destaques do campeonato. O holandês foi o único que conseguiu desafiar Cassidy e Evans ao longo da temporada. Serralles, por sua vez, representou os pilotos de Porto Rico (tem algum outro?) muito bem, sendo deveras consistente. O garoto só não terminou a competição em terceiro, pois predeu três corridas devido a um grave acidente sofrido em Hamptons Downs. Para compensar, venceu no retorno, em Manfield.

Quanto a Bruno Bonifácio, o brasileiro supreendeu ao andar no ritmo dos mais rápidos, liderando várias e várias sessões de treinos livres. Porém, ele errou muito nas corridas, principalmente em largadas e relargadas e também comprometeu resultados com treinos classificatórios não tão bons. No entanto, é preciso lembrar que essa foi a primeira competição de verdade que o brasileiro competiu na carreira. Ano passado ele disputou literalmente sozinho a divisão Light a F3 Sudam e algumas etapas da F-Abarth, que apesar de ser uma boa categoria ele pegou já pela metade. Pela falta de experiência, a décima classificação no geral e o segundo posto entre os novatos – atrás apenas e Lucas Auer – foi um bom resultado.

Para ver a classificação final da temporada 2012 basta clicar aqui. Agora todos nós esperamos para o campeonato retornar no próximo ano – caso o mundo não acabe – com ainda mais jovens pilotos. Digo, todos nós menos o cara enfurecido da Ferrari.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s