Burger King Racing Nascar
O Burger King é um dos patrocinadores da Nascar há alguns anos

Faltando somente cerca de duas semanas para o início da temporada 2012 da Nascar, a categoria ainda é cercada por alguns rumores sobre o novo campeonato.

O mais quente deles diz respeito ao futuro da antiga equipe da Red Bull. Em meados do ano passado, o time dos energéticos anunciou que ia deixar a categoria devido aos fracos resultados alcançados.

Desde então, diversos times tentaram negociar com os dirigentes rubro-taurinos de olho nos pontos acumulados pela equipe em 2011 e, consequentemente, uma vaga no top-35 e a garantia de participar das cinco primeiras etapas do novo campeonato. Paralelo a isso, Jay Frye, o diretor da equipe, tentava fazer uma proposta de compra da própria Red Bull.

A partir daí, pouco a pouco os demais times começaram a sair das negociações. Ao mesmo tempo, o boato de que a equipe teria sido vendida crescia.

Durante a semana do Media Tour, quando as equipes promovem festas para os jornalistas para fazer os anúncios de última hora, descobriram que os antigos caminhões da Red Bull – os chamados haulers – estavam estacionados na sede que pertencera a Randy Moss. Além dos equipamentos, havia alguns funcionários trabalhando por lá em novos carros, mas tudo ainda desconhecido.

Nesse momento, houve a confirmação de que um time estava planejando entrar na Sprint Cup com o que sobrara da Red Bull. Quase ao mesmo tempo, a equipe Front Row anunciou a contratação de Landon Cassill, mas o negócio foi desfeito algumas horas depois, pois o piloto tinha a opção de anular o contrato caso fosse chamado por alguma equipe para disputar a temporada completa.

A Front Row confirmou que foi isso o que aconteceu, mas os dirigentes não puderam confirmar o destino de Cassill. O piloto tinha ido para essa equipe misteriosa.

Burger King Racing Nascar
Depois de David Reutimann e Tony Stewart contarem com o gordo patrocínio do Burger King, será a vez de Landon Cassill?

Aos poucos os detalhes desse novo time foram vazando. Ao que tudo indica, a Red Bull de fato foi vendida, mas não para Frye. A nova equipe será comandada por Thomas Ueberall que era um dos diretores da Red Bull e arquitetou todo o processo de compra. Ao lado do dirigente estão os investidores Ron Devine e Wayne Press, que trabalhavam na TRG – aquela equipe que inscreve 50 Porsche na GrandAM –, mas que fechou as portas na Nascar na última temporada. Outro que estará presente é Harry McMullen (ex-Roush-Fenway), que será o diretor da equipe (General Manager).

O quarteto de dirigentes, portanto, comprou os equipamentos, contratou Landon Cassill e mais um piloto – Brian Vickers e Travis Kvapil aparecem como favoritos – e decidiu manter a equipe funcionando na Nascar. Cassill, por sua vez, já afirmou que a equipe não vai entrar na prática do start-and-park e, portanto, vão disputar todas as corridas completas.

O último ingrediente dessa equipe misteriosa foi revelado nesta sexta-feira, dia 10. De acordo com a Fox americana, nas próximas semanas o time anunciará que se chama BK Racing, pois a rede de lanchonetes Burger King faz parte do negócio.

Ainda não está certa qual é a participação dos restaurantes nessa história. Se eles vão seguir como a Red Bull, sendo proprietários do time, ou se são apenas os patrocinadores. Outra hipótese – e essa parece ser a mais aceitável – é que algum dos sócios do Burger King (ou talvez um dono de algumas franquias) seja um dos investidores da equipe. Assim, a rede de restaurantes se aproveitaria do marketing de dar nome à escuderia.

É claro que existe a possibilidade de a Fox ter errado, e o Burger King não ter nada a ver com o novo time. Mas é uma especulação válida. Caso ela se confirme, é bastante interessante ver uma nova marca gigante entrar no esporte e exatamente no momento que outra grande deixa a categoria.

Afinal, com a saída da Red Bull, a Nascar não perdeu só uma empresa patrocinadora, mas uma empresa mundialmente conhecida pela presença no esporte a motor e que comandava uma equipe. A chegada do Burger King, por mais estranha que possa parecer, serve para compensar justamente nesse nível de atuação.

Para encerrar, talvez um detalhe ainda mais curioso, é que a Red Bull pode continuar no cardápio da Nascar. Um dos boatos em relação a essa nova equipe é que Brian Vickers seja o piloto do segundo carro. Caso isso se confirme, não está descartada a presença do energético como patrocinador do piloto em certas etapas.