A estreia do Brasileiro de Turismo

Gabriel Casagrande e Felipe Fraga dominaram a estreia do Brasileiro de Turismo
Gabriel Casagrande e Felipe Fraga dominaram a estreia do Brasileiro de Turismo

Depois de toda polêmica envolvendo a reforma malfeita do autódromo de Brasília, pode não parecer, mas até houve algumas corridas por lá neste fim de semana. Uma delas foi a estreia do Brasileiro de Turismo, categoria criada para ser o campeonato de acesso da Stock Car nos próximos anos.

E quem venceu a primeira corrida do novo campeonato foi Felipe Fraga, que até outro dia estava na Europa correndo de F-Renault. Aliás, os dois primeiros colocados trocaram o automobilismo europeu de monopostos pelos carros de turismo aqui no Brasil neste ano, já que Gabriel Casagrande terminou com a segunda posição.

Esse resultado foi um prato cheio às críticas de que praticamente não há categorias de base nos monopostos aqui no Brasil, além de não haver nenhum programa de apoio aos jovens que estão lá fora.

Obviamente, é claro que falta tudo isso, mas é preciso tomar cuidado neste momento. Ao contrário de Guilherme Salas, outro garoto competindo no Brasileiro de Turismo, Fraga e Casagrande não estão no Brasil porque não tiveram apoio para continuar lá fora. Pelo contrário, eles optaram por voltar ao país neste momento da carreira, mesmo tendo orçamento necessário para ficar no continente europeu por mais alguns anos.

Casagrande, por exemplo, fez uma temporada de estreia no automobilismo europeu muito boa no ano passado, tendo terminado o campeonato da F-Renault Norte-Europeia na oitava colocação, mesmo tendo perdido a rodada de Nurburgring e andando por uma equipe pequena. Por isso, ele tinha mercado para continuar por lá, mas optou por voltar devido aos custos elevados do automobilismo, principalmente na F1 e GP2.

Fraga, por sua vez, tinha negociado para disputar a F-Renault Eurocup pela equipe Tech 1 – a mesma com a qual havia andado no ano passado –, mas acabou fechando com a MP. Depois de não ficar satisfeito com o trabalho do time durante a pré-temporada, ele optou por deixar a escuderia e voltar ao Brasil.

Até outro dia, os dois estavam na Europa
Até outro dia, os dois estavam na Europa

Ah, mas se nós tivéssemos uma categoria de base forte aqui no país, então esses pilotos não precisariam ter ido para a Europa, alguém pode dizer. Não é verdade. Quando a F-Futuro acabou, escrevi aqui no World of Motorsport que um dos problemas de ter um campeonato aqui no país é a concorrência desleal dos certames europeus.

Enquanto aqui temos grids que sequer chegam a dez carros, lá na Europa os pilotos correm contra garotos que já tem o apoio de equipes da F1, como Ferrari, McLaren, Lotus, Caterham, Red Bul… por isso, onde você acha que eles vão escolher correr? Foi o que aconteceu com os dois garotos.

P.S.: ironicamente, enquanto Fraga e Casagrande corriam aqui no Brasil, quatro campeonatos diferentes de F-Renault foram à pista no último fim de semana. A Eurocup, a Norte-Europeia, a Inglesa e a Argentina. A corrida do campeonato europeu, em Spa-Francorchamps ainda teve vitória de Oliver Rowland, da MP

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s