Corram no estádio nacional!

Por que a gente não pega os carros aqui e coloca no estádio ali?
Por que a gente não pega os carros aqui e coloca no estádio ali?

Durante cinco anos da minha vida morei em Brasília. Por isso, fico muito triste toda vez que leio alguma notícia sobre o péssimo estado do autódromo de lá ou das reformas porcas que são feitas em cima da hora e que praticamente vão na contramão do que é feito em qualquer outra pista no mundo.

Embora essas notícias sejam tristes, elas não surpreendem. Para quem não viu, a Stock Car correu na capital federal neste fim de semana e teve problemas com uma zebra malfeita, que se soltava praticamente todas as vezes que um carro passava em cima. O cúmulo foi o primeiro treino livre, que chegou a ter seis horas de duração.

E a verdade é que o problema não é só aquela zebra. Só para citar alguns exemplos, o traçado interno deixou de ser usado, faz vários anos, por falta de segurança, enquanto o asfalto jamais foi recapeado desde que o autódromo foi construído. Isso sem falar no péssimo estado de conservação dos arredores da pista, dos guard-rails e de outros equipamentos de segurança.

Quando o Brasileiro de Marcas correu por lá, há dois meses, um dos pilotos disse que a reforma que havia sido feita foi tão ruim, que trocou áreas de escape de asfalto por bolsões com terra, que não freiam o carro e tornam as pancadas ainda mais perigosas.

E sabe o que acontece toda vez que alguém vai cobrar alguma explicação dos dirigentes? Eles vêm com promessas bizarras para desviar o foco. “O autódromo nunca foi recapeado? Mas estamos em contato com o Emerson Fittipaldi para trazer uma grande categoria”. “A reforma foi malfeita? Mas vamos fazer uma supermudança na estrutura para poder trazer a MotoGP”.

Resultado, as notícias que saem no dia seguinte é que Brasília se prepara para ter a Indy ou a MotoGP. Sabe quando isso vai acontecer enquanto o autódromo estiver desse jeito? Nunca.

Por isso, eu tenho uma solução. Acho que todas as corridas em Brasília deveriam acontecer no Estádio Nacional. Ele não custou R$ 1 bilhão? Então, corram lá, oras. Que façam um caminho passando pelo gramado, pelo entorno, pelo Nilson Nelson, pelo Buriti, tanto faz. Mas corram no elefante branco.

Obviamente isso vai estragar o gramado, mas dá para esperar a Copa do Mundo passar antes de colocar os carros lá. E o melhor é que o isso fará o estádio ser usado. Veja você. Este ano, contando entre Brasileiro de Marcas, Stock Car e F-Truck, o autódromo de Brasília vai/está recebendo cinco fins de semana com corrida. Já o estádio teve a final do Candangão, a despedida do Neymar e terá mais apenas a abertura da copa das confederações. Ou seja, para não ficar mal aproveitado, que corram nele!

10 comentários sobre “Corram no estádio nacional!

  1. Concordo em tudo o que foi dito sobre o péssimo estado do autódromo. Já fui kartista, amo automobilismo e a minha cidade. Ver um patrimônio desses jogado assim é um crime. Contra a população e contra o patrimônio de todos. Ter maus políticos parece ser mesmo um problema comum a todas as cidades Brasileiras. Brasília não se resume a Esplanada dos Ministérios, vivem pessoas aqui além de políticos, mas parece que poucos se dão conta disso. A população de Brasília, que não fica aqui apenas 3 dias por semana, também merece boas áreas tanto para o automobilismo, como também para fomentar outros esportes, como o próprio Futebol daqui dentre outros eventos como shows. Então não posso concordar apenas em se chamar o Estádio de “elefante branco”, pois em se tratando de uma “ARENA”, teremos em Brasília um espaço digno e confortável aos seus cidadãos. Não apenas para Copa das Confederações ou do Mundo, ou mesmo para o campeonato Candango. Da mesma forma que acho um absurdo o custo final do Estádio (que ainda nem terminou de ser orçado), sendo uma montanha de dinheiro que certamente não corresponde ao real custo da obra. Infelizmente há sempre corrupção e alguém levando vantagem nesse nosso País do jeitinho e das leis que só atendem aos interesses de poucos. Nossa esperança é que essa nossa “democracia” amadureça e deixe de ser uma cobertura aos corruptos!! E espero que nossos governantes daqui tenham o mínimo de respeito de preservar e recuperar nosso Autódromo, devolvendo ao público mais um importante espaço de nossa história.

    Curtir

    1. Aí eu discordo um pouco. Eu não acho nada necessário a reforma do estádio nacional e também não acho que Brasília mereça um estádio decente.

      Não existe futebol em Brasília. Ninguém vai aos jogos do Gama ou da Brasiliense? Entaõ para que ter um estádio? ‘Ah, para trazer times da primeira divisão’. Uai. Desde que o Bezerrão foi reformado, foram apenas 3 jogos de primeira divisão no DF. Vale a construção de um novo estádio? Eu acho que não.

      Curtir

      1. Olhe, Felipe, sob o seu angulo de que nao existe futebol em Brasilia para uma reforma deste estadio poderia ser uma afirmacao aceitavel mas acredito que um povo se faz com cultura, historia e memoria (quem disse “povo sem memoria eh povo sem historia?…nao lembro!). Ja recebi opiniao de amigos que dizem que minha ideia eh boa de construir pistas de competicao dentro de estadios. Podemos pensar inclusive que estas pracas de esporte poderiam dividir pista de competicao de carros, pista de competicao de karts, campo de futebol e servir como pistas atleticas para tantas modalidades. Penso nisto ja que as afirmacoes sao de que nao existem suficientes pilotos para a reforma da pista bem como nao existem jogadores de futebol (ou times) para um estado daquele tamanho (ou categorias de futebol) para justificar Talvez dentro deste prisma o suporte necessario que deve vir do(s) governo(s) alcance um volume de ruido maior que possa chegar aos ouvidos (insensiveis) de quem somente pensa em tirar vantagem e de quebra poderiamos ir formando novos pilotos, novos jogadores, novos atletas. Talvez o exemplo de outros paises (nao cabe mencionar mas sao bastante conhecidos) nao deva ser mencionado mas sim o fato de vemos diariamente brasileiros “pes-descalcos” ganhando maratonas ou se destacando com seus tenis furados. Eh neste ponto que eu acho que comeca a cultura do esporte.

        Curtir

      2. Talvez nao se tenha times descentes ou publico pra eles porque nao se tinha justamente um espaço descentes. E nao se trata apenas de um estádio, é uma arena multi-uso. Acho que a única coisa que nao se justifica Felipe é a montanha de dinheiro gasta. O futebol talvez nao esteja a altura do estádio. Mas a população daqui merece um espaço como esse. Abraço!

        Curtir

        1. Você só pode estar de sacanagem. Poxa, pessoal, vamos ser mais razoáveis. Como assim nunca teve um espaço decente? O Mané Garrincha antigo foi durante décadas um estádio decente. Quantos times surgiram com ele? Zero. O Bezerrão teve uma reforma completa há alguns anos, se colocando próximo do que é o padrão fifa. O que aconteceu com o Gama? Só caiu.

          Se você acha que a população do DF merece ter um estádio desse tamanho apenas para ver o que acontece, o que eu posso dizer contra? Sendo alguém que morou aí até o ano passado, eu adoraria que esse R$ 1 bilhão fosse investido em outras formas culturais. Ignorando que exista uma crise de falta de leito incluindo no sistema privado de saúde e o transporte público seja uma piada, não entendo por que não constroem um CT e uma arena decente para o basquete, por exemplo. Onde, aliás, não só há um time, como ele também está entre os dois ou três melhores do Brasil.

          Curtir

          1. Concordo com você plenamente. O que disse sobre o estádio é de se ter um decente. O que não tem como se justificar é o tanto de dinheiro investido em uma obra dessas. Certamente esse dinheiro todo poderia ter atendido inúmeras demandas urgentes da cidade, como saúde e educação. Falo apenas da qualidade da obra. Seu custo é um crime! E espero que o autódromo seja reformado, mas que se tenha mais respeito com os recursos públicos e que se veja as prioridades da população, o que não se viu com o Mané Garrincha. Abraço!

            Curtir

  2. A ideia poderia se levada a serio mesmo se pelo menos o estadio tivesse o sistema de construcao de estadios “a la antiga”, isto eh, com um anel atletico ao redor do campo. Poderiamos entao ter uma corrida de oval em pelo menos 1/4 de milha. Agora, falando serio mesmo, tomem os ultimos tres ou quatro governadores do Distrito Federal e vejam se nao estao sendo processados por improbidade administrativa (que eh uma boa e educada palavra para roubo, corrupcao administrativa, mau uso do dinheiro publico entre outros). Alem disto somem o fato de que Brasilia nao eh a casa de ninguem importante ja que quem vota as leis, reformas ou projetos de reformas nao vive la. “Eles” passam a semana la e voltam para seus estados. Nao sei quem que criticou o Nelson Piquet na sua luta desde 1995 (um pouco depois de deixar a F1) para acabar com os empregos vitalicios na CBA e nas Federacoes de Automobilismo. Na epoca Nelson Pirquet fundou a Liga do Kartismo (que estava dando certo) e ja ia para a Liga do Automobiismo quando o machado da CBA comecou a ser mostrado com mais assiduidado aos pilotos numa ameaca aberta de que seriam desfiliados. Por isto nao se espante, Felipe, por nenhum piloto ter posto a boca no trombone. As ameacas foram “veladas” mas existem.

    Curtir

  3. O post pode ser satírico, mas a ideia não é de todo absurda. Inclusive, proporciona conforto aos torcedores. O problema é se acreditarem nisso e todas as corridas passarem a ser nos estádios…

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s