As chances de milagre para Jimmie Johnson

Jimmie Johnson e Jeff Gordon
A pista de Martinsville inicia uma sequência de etapas em que Jimmie Johnson costuma sair-se vencedor

Com 50 pontos de desvantagem e faltando apenas quatro etapas para terminar a temporada 2011 da Nascar, Jimmie Johnson precisa praticamente de um milagre se quiser conquistar o inédito hexacampeonato consecutivo.

O piloto da Hendrick não está tendo um Chase tão sossegado quanto os dos últimos anos. Em seis corridas, enfrentou problemas em Chicagoland e em New Hampshire, bateu em Charlotte e não conseguiu avançar posições nas voltas finais de Talladega.

Apesar disso, se o retrospecto de Johnson nas corridas que fecham a temporada da Nascar for levado em conta, o piloto tem bons motivos para ficar otimista quanto a uma chance de milagre na busca pelo hexa.

Com o déficit de 50 pontos, Johnson primeiro precisa fazer a parte dele – isto é, vencer corridas – para depois ver o que acontece com Carl Edwards, Matt Kenseth e os demais candidatos ao título. Assim, todas as chances de conquistar o campeonato se baseiam em suposições do tipo ‘se JJ vencer as quatro corridas, Edwards precisa…’ e afins.

O lado bom par o piloto da Hedrick é que até o fim da temporada, ainda faltam as etapas de Martinsville, Texas, Phoenix e Homestead-Miami. Com uma ou outra alteração, é justamente nessa época do ano que o ainda pentacampeão conquistou as maiores sequências de vitória da carreira.

Em 2007, quando disputava o distante bicampeonato contra Jeff Gordon, Johnson venceu quatro vezes seguidas. Começou dominando em Martinsville, depois acumulou triunfos em Atlanta e no Texas e finalizou com a conquista da etapa de Phoenix. Essa sequência de resultados o deixou em uma posição tranquila para garantir o título em Homestead-Miami, onde terminou apenas na sétima colocação, administrando a vantagem para o companheiro de equipe.

Em 2004, quando o piloto fazia apenas a terceira temporada completa na Nascar, foi com uma sequência de três vitórias que Johnson entrou para a história da categoria. Não pelos triunfos em si, mas pelo que eles significaram. A exemplo de 2011, o piloto vinha de resultados ruins no recém-implantado Chase, mas conseguiu espantar a crise com o triunfo na etapa de Charlotte.

Na sequência, a Nascar chegou a Martinsville, e mais uma vitória do carro 48. Essa prova, no entanto, ficará para sempre marcada na categoria pelo acidente de um avião da equipe Hendrick, que se dirigia para a pista, matando todos os ocupantes. Ano passado, escrevi sobre esse episódio e você pode clicar aqui para relembrar como foi.

Após a tragédia, veio a etapa de Atlanta e Johnson venceu novamente. É possível imaginar a comemoração da equipe Hendrick pelo simbólico triunfo. Em termos de campeonato, porém, não foi o suficiente para garantir o primeiro título do americano, que acabaria o ano apenas oito pontos – dois na pontuação atual – atrás de Kurt Busch.

Pode ser que em 2011 também não dê tempo de Johnson esboçar uma reação, mas pelo menos ele já tem no que se inspirar.

Abaixo você pode ver o vídeo do próprio Jimmie Johnson falando sobre as corridas de Martinsville e de Atlanta de 2004:

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s