Victor Corrêa F3
Victor Corrêa conquistou a primeira vitória da temporada 2011 da F3 logo na terceira corrida do ano, em Nevers Magny-Cours

Mesmo quem não acompanha assiduamente os campeonatos de F3 ao redor do mundo já ouviu sobre a boa fase pela qual Felipe Nasr passa na Inglaterra. No entanto, o brasiliense não é o único piloto do país a estar se destacando na Europa. Na F3 Espanhola, menos famosa, importante e hypeada que a irmã inglesa, Victor Corrêa e Fabio Gamberini estão em um momento tão bom ou até melhor que o piloto da Carlin.

Na etapa deste sábado, dia 14, em Nevers Magny-Cours (sim, é a F3 Espanhola, mas corre na França), Corrêa largou na terceira colocação e se aproveitou dos infortúnios dos líderes para cruzar a linha de chegada na frente. Mesmo não tendo feito a pré-temporada, o mineiro alcançou a primeira vitória em 2011 logo na terceira prova do certame. Um desempenho definitivamente bastante positivo. Na mesma corrida, Fabio Gamberini foi o vencedor na divisão Copa – o equivalente da National Class da F3 Inglesa – e acumulou o terceiro triunfo em três corridas no ano.

O desempenho de Gamberini, aliás, é bastante positivo. A exemplo do que já tinha acontecido durante a pré-temporada, o carro do brasileiro – da equipe West-Tec – sobra em relação aos adversários. O paulista terminou a corrida quase 40s na frente do rival mais próximo da divisão Copa e, de quebra, terminou a prova em sexto, o que lhe deixa na mesma sexta colocação na tabela de pontos da divisão principal.

Ainda que Corrêa tenha sido beneficiado pelo azar dos adversários (o que certamente faz parte de uma corrida), o rendimento dos dois brasileiros é bastante animador. Enquanto o mineiro deve brigar pelo título na divisão principal, apenas uma virada inesperada tira a taça do paulista na divisão de acesso.

Mesmo que a F3 Espanhola seja um caminho deveras alternativo à F1 – ainda mais para Victor Corrêa, que já está no terceiro ano em F3 – o título do certame tem certo peso no currículo ainda mais na hora de negociar vagas em categorias um pouco maiores, como a AutoGP, a F-Superleague, a F2 ou  até mesmo na World Series.

Em um ano que todos os olhos do Brasil, em se tratando de F3, estão voltados para a Inglaterra, o país pode acabar conseguindo outro (ou outros) títulos também na Espanha. O que pode ser um alento levando em conta o tempo de vacas magras que o automobilismo daqui andou passando.

P.S.: Na prova disputada neste domingo, dia 15, Fabio Gamberini largou na pole-position por causa da regra do grid invertido e terminou a corrida em um excelente segundo lugar na classificação geral, sendo superado apenas por Johan Jokinen, que compete na equipe atual campeã na divisão principal. Corrêa, por sua vez, finalizou em sétimo e segue no quarto lugar geral no campeonato.