Verdade ou mentira?

 

Kimi Raikkonen e Juan Pablo Montoya
Kimi Raikkonen resolveu seguir os passos do antigo companheiro Juan Pablo Montoya e se mandou para a Nascar

Abril é um mês especial. Começa com o dia da mentira, que é quando jornalistas, blogueiros, desocupados ou todas as anteriores inventam histórias sem pé nem cabeça para tentar arrancar um riso dos leitores. Eu fiz isso. Escrevi o post sobre o Marcello Antony ter fechado com a equipe de Laerte Zatta na Nascar East e posso dizer que foi um sucesso.

Se você não leu nos comentários lá, eu coloquei que algum leitor aqui do blog leu aquele post e resolveu mandar um e-mail para o canal Speed, durante a corrida da Truck Series em Martinsville, perguntando da veracidade do acordo entre o engenheiro brasileiro e o ator global.

Evidentemente, a história foi uma criação minha de primeiro de abril e, portanto, é falsa. Só que separei aqui três causos do automobilismo nesses últimos dias. Será que elas são verdade? Ou são invenções também? Você consegue adivinhar?

1)      Kimi Raikkonen trocou o WRC pela Nascar para correr pela equipe de Kyle Busch. O acordo diz que o piloto tem que pagar US$ 100 mil para o patrão toda vez que disputar uma corrida. Esse tipo de negociata foi a mesma utilizada por Jacques Villeneuve, em 2007, e serve para captar patrocínio, algo que o ex-piloto de F1 não tem desde que deixou a equipe júnior da Citroen no rali.

 

Kimi Raikkonen chorando
Kimi Raikkonen chorou quando soube o quanto teria que pagar para Kyle Busch. Peraí, Kimi demonstrando emoções? Deve ser fake..

Pois é. Essa foi fácil. A notícia é verdadeira. O jornal canadense Rue Frotenac revelou esse detalhe do contrato de Raikkonen com Busch. O finlandês está ‘alugando’ uma vaga na Truck Series apostando em fazer boas corridas para fechar com um patrocinador para correr a temporada 2012 da Nationwide ou mesmo da Sprint Cup.

2)      Mike Coughlan, o engenheiro da McLaren que recebia as informações da Ferrari no Spygate em 2007 – que culminou na saída de Alonso da equipe inglesa e na desclassificação do time no campeonato – resolveu largar a vida de engenheiro automobilístico e foi trabalhar na criação de carros militares, inspirados no filme Transformers, para o governo dos Estados Unidos. Só que ele também se encheu dessa vida e resolveu ir para a Nascar, onde será engenheiro do time de Michael Waltrip.

 

Ocelot
Esse Transformer aí em cima é o Ocelot, criado pelo Mike Coughlan. Perceba a peça ali em cima é o símbolo dos Autobots

Engenheiro banido na F1 ir para o governo americano para criar Transformers. Difícil acreditar nessa. Só que é verdade. Mike Coughlan estava desenvolvendo um veículo chamado de Ocelot para as forças militares americanas, cujo objetivo é matar geral poder auxiliar, entre outras coisas, no acesso e resgate em áreas de difícil acesso. Por isso, o carro é mais maleável que o normal.

3)      Rodrigo Pessoa, medalhista de ouro nas Olimpíadas de Atenas de 2004, resolveu trocar o hipismo pelo automobilismo. Mas ao contrário de Marcello Antony, Kimi Raikkonen  e Mike Coughlan, o cavaleiro não foi para a Nascar. Mesmo com experiência de ter andado no DTM, Pessoa vai disputar algumas provas da Porsche Cup, aqui no Brasil.

 

Rodrigo Pessoa
O cavaleiro Rodrigo Pessoa e um carro patrocinado pela Mobil 1. Será um Porsche? Será o Mercedes do DTM? Será o transportador de cavalos?

Eu sei que meus leitores são espertos e não iriam cair nessa pegadinha. Como as outras duas eram verdade, essa deve ser também. Só que a parte do DTM pode ter te confundido. Pois é. Mas é realmente verdade isso. O cavaleiro vai correr nas etapas de Curitiba, Rio de Janeiro e São Paulo da Porsche Cup neste ano. Mas bem antes disso, em 2006, ele testou um Mercedes  do DTM supervisionado por Bernd Schneider.

Conclusão: a vida real é tão estanha, mas tão estranha que saber quando é 1º de abril e quando não é ficou realmente muito difícil. Reflexos de 2012.

4 comentários sobre “Verdade ou mentira?

  1. Prezado Felipe, eu li a matéria na qual o ator Mracelo Anthony correria na NASCAR e acreditei. Depois vi que era uma piada e não gostei disso.
    Não gostei nem um pouco.

    Vocês, blogueiros, são responsáveis pelo que escrevem e, por isso, deveriam escrever com responsabilidade e comprometimento.

    Seu blog está ligado a um site sério de automobilismo e eu frequento este site para me manter informado sobre o esporte que gosto.
    Não tenho tempo para tentar decifrar o que é verdadeiro ou falso, de acordo com o gosto do autor da notícia.
    Leio para me distrair.

    Não gosto de me sentir um “bobalhão” por acreditar numa notícia falsa e não acho que alguém goste.

    Existem sites que são especializados em escrever mentiras e não entra na minha cabeça qual o propósito disso.

    Qual a graça de fazer piadas com quem você nem conhece?
    Rir sozinho?

    Sei que algumas pessoas de cabeça vazia acharão graça da sua piada, mas me pergunto o que você, realmente, leva disso tudo?

    O que você, realmente, ganha ao fazer isso com seus leitores?

    Quer escrever piadas?
    Escreva um blog de piadas.

    Quer escrever sério?
    Então escreva a sério.

    Qual, afinal, é a proposta do seu blog?
    Deixe isso claro para as pessoas, comprometa-se com isso e respeite seus leitores.

    Curtir

      1. Felipe, eu não sei e você é um jornalista “profissional” (no sentindo de ganhar a vida com isso) ou se escreve apenas por Hobbie.

        Eu não espero que você goste do que eu escrevi, mas eu estou defendendo a importância do comprometimento com a notícia.

        Na posição de alguém que divulga uma notícia num veículo de informação sério, é esperado que a notícia tenha fundamento.

        Eu não espero que você “me agrade ou não”, só espero poder confiar no que leio nos meios de comunicação.

        A partir do momento que você se dispõe a fazer parte do mundo da comunicação, o comprometimento com a notícia deve ser respeitado, caso contrário, você está traindo as pessoas que confiam no seu trabalho, mesmo que bem intencionado.

        Eu gosto do seu blog e o frequento há tempos, mas achei que era um trabalho sério. Achei que havia um compromisso seu com o esporte que você divulga.

        O fato da notícia ter chegado numa rede de TV, mostra que você contribuiu para confundir as pessoas.

        Sei que automobilismo como notícia, não tem o mesmo peso que economia ou política, mas notícia é notícia.

        Posso estar sendo “duro” demais, mas acredito firmemente em minha colocação.

        Eu acho seu blog bom pacas, mas queria poder confiar em seu trabalho.

        Curtir

  2. Mais um texto muito bom, gostoso de ler, com bom humor sem exagero. Cê tá de parabéns!!! Quanto a mentirinha do blog ter chego ao speed, eu estava assistindo a corrida e gargalhei aqui de ver que não eram poucos os que cairam.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s