Sergio Pérez na GP2
Com quatro vitórias em 2010, Sergio Pérez ainda convive com as críticas de piloto pagante

O grande assunto da F1 nesta semana foi o anúncio de Sergio Pérez como piloto da Sauber para a temporada 2011, ao lado de Kamui Kobayashi. O mexicano se tornou o primeiro novato confirmado para o novo campeonato. Só que mais importante que a entrada do piloto, a imprensa em geral deu muita importância ao fato da Telmex, de Carlos Slim, ser o patrocinador do piloto.

É claro que a Telmex estar no negócio favoreceu a Pérez. Só que a impressão que passa é do novato ser apenas mais um piloto pagante sem nenhum talento como Sakon Yamamoto ou Zsolt Baumgartner, entre outros.

A carreira do mexicano prova que ele não é alguém que dependeu unicamente dos dólares de Slim para estar na pista. No currículo constam um sexto lugar na F-BMW alemã, o título da National Class da F3 Inglesa, o quarto lugar no campeonato principal do certame britânico quando levou a limitada T-Sport à disputa pelo título contra Jaime Alguersuari, Oliver Turvey, Brendon Hartley e Marcus Ericsson, o 12º lugar na estreia na GP2 e o provável vice-campeonato da categoria na atual temporada.

Na atual temporada da GP2, Pérez ganhou destaque ao liderar os segundanistas na tabela de pontos, sendo também a única ameaça a Pastor Maldonado na conquista do título. O mexicano venceu quatro corridas e cravou uma pole-position competindo com o bom carro da Barwa Addax.

É claro que a rápida evolução do piloto aconteceu muito por causa da grana da Telmex. Afinal, os típicos problemas para arrumar patrocínio não ocorreram com o garoto. Basicamente, ele pôde decidir onde queria correr. De qualquer forma, isso não tira o mérito nem conta contra o desempenho.

A facilidade de o piloto chegar à F1 evidentemente também é por conta da Telmex. Vejamos Lucas Di Grassi e Bruno Senna. Os dois tiveram desempenhos na GP2 tão bons quanto o de Sergio Pérez, mas hoje penam em equipes novatas e sequer têm vaga garantida para a temporada 2011.

Antes que alguém reclame, veja bem: a Telmex investe em pilotos mexicanos faz anos. Entre os pilotos da chamada “Escuderia Telmex” estão Esteban Gutierrez (vencedor da F-BMW em 2008 e atual campeão da GP3), Luis Dias (venceu a American Le Mans Series em 2009 na LMP2) e Memo Rojas (bicampeão da Rolex ao lado de Scott Pruett).

Mantidas as devidas proporções muito por conta do mercado que cada uma busca, ver a Telmex nas pistas vai se tornar quase tão comum quanto ver a Red Bull. E enquanto comentamos que ‘Checo’ Pérez só chegou à F1 por conta do patrocínio da gigante no ramo da telefonia móvel, vemos o quão próspera e cheia de investimentos é a nova geração de pilotos brasileiros.