GP2
A temporada 2010 da GP2 finalmente começa

A temporada 2010 da GP2 começa neste segundo final de semana de maio, em Barcelona, sendo, como sempre, preliminar do Grande Prêmio da F1. Serão 24 carros competindo em onze rounds pelos próximos sete meses, começando na Espanha em terminando em Abu Dhabi. Parece normal certo?

Na verdade, a atual temporada tem um buraco de dois meses entre a etapa italiana, no fim de setembro, e a rodada do Oriente Médio. É difícil explicar como isso afeta a categoria, mas podemos dizer que o entusiasmo dos fãs não será o mesmo, que as equipes sem chance no campeonato devem substituir os pilotos e, no pior cenário, que haja um desinteresse total pelas duas últimas corridas caso já conheçamos o campeão por antecipação.

O outro fator político que mexe no campeonato 2010 é a escolha das 13 (será?) equipes do próximo campeonato, já que o pacote técnico irá mudar. Basicamente, as doze desse ano devem se manter na categoria caso assim desejem. Apenas a vaga que a Durango ocupou está em aberto. E não é segredo que times como a Mücke, a Carlin e a Lotus Jr tem um olho na categoria. Também não seria surpresa se abrirem vagas para completar 30 carros, assim como é a GP3.

Sobre a atual temporada, a GP2 finalmente conseguiu se livrar dos encostos dos pilotos que passaram anos na categoria. Nada mais de Lucas di Grassi, Giorgio Pantano, Javier Villa, Luca Filippi, Vitaly Petrov, Andreas Zuber e Roldan Rodriguez. A ordem para 2010 foi renovação. São dez estreantes de alto nível, começando com o favorito Jules Bianchi, que substitui Nico Hulkenberg no carro campeão da ART Grand Prix, e terminando com o búlgaro Vladimir Arabadzhiev, na Coloni ao lado de Alberto Valério.

ART Grand Prix
A ART trouxe os novatos Jules Bianchi e Sam Bird para confimar o favoritismo

Se a categoria perdeu tantos pilotos que criaram raízes, uma nova leva de veteranos começa a ser criada. Os mais velhos estão desde 2007 e são Pastor Maldonado, Ho Pin Tung e Adrian Zaugg, mas apenas o venezuelano vai fazer de fato a quarta temporada.

Falando em Maldonado, a experiência vem dando resultado. Nos testes da pré-temporada ele foi constantemente o mais rápido, resta saber se vai dar conta nas corridas, ou se fará uma temporada decepcionante, como em 2009, quando corria para a ART Grand Prix. O piloto forma a dupla sulamericana da Rapax (ex-Piquet) com Luiz Razia, que também começa 2010 entre os favoritos, embora com menos chances.

A ART Grand Prix continua como equipe a ser batida. Para 2010, trouxe dois novatos vindos da F3 Euro Series: o campeão Jules Bianchi  e o rápido Sam Bird, que deve fazer o papel de escudeiro do francês. Já a desafiante, a Addax (ex-Campos, não confunda com Rapax) terá dois pilotos de segundo ano: Giedo van der Garde, campeão da World Series by Renault em 2008 e destaque da GP2 ano passado e Sergio Pérez,  talentoso piloto mexicano que traz o apoio da gigante Telmex.

Oliver Turvey na iSport
Oliver Turvey, da McLaren, é a aposta da iSport para voltar ao topo

A iSport aparece como terceira força para 2010, a equipe conta com o britânico Oliver Turvey, que recentemente assinou com a McLaren e foi vice de Alguersuari na F3 Inglesa de 2008, e com o italiano Davide Valsecchi, que conquistou a GP2 asiática. A quinta equipe que merece destaque é a fraquíssima DPR, que chega animada com os bons tempos de Michael Herck na pré-temporada e com o vice-campeonato de Giacomo Ricci, na Ásia.

Lembram que eu falei de dez novatos? Alguns deles são bem gabaritados. Além de Bianchi, Bird, Turvey e Arabadhziev, vamos ter pilotos como Marcus Ericsson, que fez parte da boa geração de 2008 da F3 Inglesa e competiu em 2009 pela TOM’S, no Japão, a fim de preparar-se pra a prova de Macau. O sueco vai correr na Super Nova ao lado de Josef Kral, outro estreante.

Quem também apostou em dois novatos foi a Ocean RT, equipe de Tiago Monteiro. O campeão da International Formula Master, Fabio Leimer, se juntará ao veterano piloto da F3 Inglesa Max Chilton. Já a Racing Engineering trouxe o alemão Christian Vietoris, considerado a sombra de Hulkenberg, para substituir Lucas di Grassi. Vietoris foi vice campeão da F3 Euro Series em 2009 e será companheiro do espanhol Dani Clos.

A DAMS tornou-se Renault F1 Junior Team e manteve Jerome D’Ambrosio, que terá Ho Pin Tung como parceiro. Nas últimas temporadas, o belga dividiu a equipe com outro asiático: Kamui Kobayashi. Ficou faltando falar da Arden, que terá o venezuelano Rodolfo Gonzalez ao lado do novato Charles Pic (irmão do Arthur Pic, conhecido do leitor do World of Motorsport) e a Trident que terá o venezuelano Johnny Cecotto Jr e o sul-africano Adrian Zaugg, que retorna à GP2 após dois anos.

Perceberam que eu repeti venezuelano no parágrafo anterior? Os dois meninos, ao lado de Pastor Maldonado, formam o maior exército de um país na GP2. Serão três venezuelanos e três britânicos em 2010. E pensar que teve ano que Brasil, Espanha e Itália disputavam essa honra. O que a PDVSA não faz né?

ART  Grand Prix
A ART traz Jules Bianchi e Sam Bird para confirmar o favoritismo