Posted tagged ‘F-Renault Eurocup’

Treinos da F-Renault em Jerez

abril 1, 2014
Bruno Bonifacio dominou os testes em Jerez

Bruno Bonifacio dominou os testes em Jerez

Um das principais categorias de base do automobilismo mundial, a F-Renault Europeia já vive a expectativa do começo da temporada 2014. Com o início marcado para o dia 26 de abril, em Aragón, as equipes se reuniram na última semana, em Jerez de la Frontera, para os dois últimos dias da pré-temporada.

E quem pôde comemorar o ensaio final foi Bruno Bonifácio. Prestes a iniciar o segundo ano na categoria, o brasileiro fez valer o bom equipamento da Prema e terminou com o melhor do tempo dos treinos ao cravar 1min39s708 logo na primeira sessão.

Na verdade, os treinos em Jerez foram conturbados. Como as condições da pista pioraram entre a primeira e a segunda sessão, algumas equipes resolveram fazer simulação de corridas e a chuva deu as caras no segundo dia, a marca obtida por Bonifácio jamais foi superada. Isso, no entanto, não significa que o brasileiro não esteve rápido. Durante a tarde do primeiro dia de treinos, ele voltou a ocupar a primeira colocação ao desbancar o companheiro de equipe Dennis Olsen, mesmo depois de ter chamado uma das bandeiras vermelhas.

Com a maioria dos pilotos tendo obtido o melhor tempo na primeira sessão de pista, Kevin Jörg terminou em segundo, apenas 0s007 atrás de Bruno. Também iniciando a segunda temporada na categoria, o suíço tenta levar equipe de Josef Kaufmann – campeã com Robin Frijns e Stoffel Vandoorne – de volta aos tempos gloriosos.

Vencedor da F4 Francesa no ano passado, Anthoine Hubert fechou a pré-temporada de altos e baixos em terceiro. O garoto foi rápido nas atividades em Paul Ricard e em Jerez, mas não andou tão bem em Aragón. De qualquer forma, ele teve um déficit de apenas 0s141, se consolidando como o melhor novato nos dois dias de treino.

Outro piloto vindo da F4 Francesa, Matevos Isaakyan voltou a brilhar. Embora não tenha sido tão rápido quanto Hubert, o russo de apenas 15 anos conseguiu a quarta colocação e vem mostando que é um daqueles nomes para acompanharmos com mais atenção.

George Russell foi o mais veloz no último dia de treinos

George Russell foi o mais veloz no último dia de treinos

Mais rápido debaixo de chuva, Alex Albon colocou o carro da KTR em quinto, seguido de perto pelo atual campeão da F-Renault Norte-Europeia, Matt Parry. Olsen, na segunda máquina da Prema, foi o sétimo. Stein Schothorst e Andrea Pizzitola vieram na sequência. Os dois pilotos têm como tarefa em 2014 substituir Oliver Rowland na Manor MP, mas, pelo que mostraram até agora, a equipe anglo-holandesa terá que trabalhar até o início da temporada.

Depois de ser anunciado pela Prema para 2014, George Russell resolveu se mudar para a Koiranen de última hora, fazendo a estreia pela nova equipe em Jerez. E a novidade vem dando certo para o novato. Prestes a estrear nos monopostos após anos de destaque no kartismo, o inglês terminou em décimo, mas tendo feito o melhor tempo com a pista secando.

O desempenho de Russell, no entanto, merece uma observação. É verdade que ele liderou a última sessão de treinos com uma vantagem de 0s8 para Max Verstappen. No entanto, além das condições complicadas da pista, as demais equipes estavam mais preocupadas em avaliar o rendimento do equipamento em condições de corrida e, consequentemente, não buscavam fazer tempos rápidos. Por isso, Russell e Verstappen – entre outros – tiveram o caminho livre para terminar na frente.

Ainda falando no holandês, o filho do ex-piloto de F1 foi uma das novidades da sessão de olho em acumular o máximo de quilometragem possível antes da estreia na F3 Europeia.

Quem também estreou em uma nova casa em Jerez foi Andrew Tang. Atual campeão da Toyota Racing Series, o piloto de Cingapura trocou a Jenzer pela Prema e finalizou com a 19ª colocação no combinado. O garoto, porém, ainda busca a liberação do serviço militar obrigatório no país asiático para que possa dar prosseguimento à carreira no automobilismo.

Confira os tempos combinados em Jerez:

temposjerez

Treinos da F-Renault em Barcelona

março 18, 2014
Com um belo layout, Charles Leclerc liderou em Barcelona

Com um belo layout, Charles Leclerc liderou em Barcelona

Uma das principais categorias do automobilismo de base, a F-Renault Eurocup continuou os preparativos para a temporada 2014 com mais dois dias de treinos coletivos no circuito de Barcelona no início desta semana.

As atividades, entretanto, foram um pouco diferentes dessa vez. Como o regulamento da F-Renault determina que caso um piloto for participar de mais de um campeonato da modalidade durante o ano – no caso de combinar o calendário da Eurocup com o da Alps, por exemplo – então ele pode tomar parte de apenas metade da pré-temporada.

Por isso, o grid em Barcelona ficou desfalcado. A ausência mais sentida, claro, foi de Nyck de Vries, que também vai participar da Alps em 2014. Mais veloz nas atividades em Paul Ricard, o holandês da McLaren dessa vez precisou ficar nos boxes da Koiranen e apenas anotar os tempos dos colegas de equipe. Outros que também não andaram na Espanha foram Steijn Schothorst, Jack Aitken, Levin Amweg e Gustav Malja.

Sem alguns fortes concorrentes e com outros favoritos enfrentando problemas mecânicos e de desempenhos, os treinos em Barcelona tiveram uma nova leva de protagonistas.

E ninguém brilhou tanto quanto Beitske Visser. Dispensada do programa do Red Bull Junior Team no fim de 2013, a holandesa está disposta a mostrar que o problema de desempenho ano passado foi mais por causa da equipe – a Motopark na Adac Masters – que falta de talento.

Agora andando pela AVF, Beitske liderou as duas primeiras sessões, o que lhe deu a quarta colocação na classificação geral. No final, a pilota terminou 0s478 atrás de Charles Leclerc, o mais veloz.

Beitske foi a mais veloz no primeiro dia

Beitske foi a mais veloz no primeiro dia

E o desempenho do monegasco também não deixou de ser uma surpresa. Tendo competido no kart até o ano passado, Leclerc vai disputar apenas a F-Renault Alps em 2014 e pode aparecer na Eurocup em etapas esporádicas. Mesmo assim, o garoto rapidamente provou que não é empresariado por Nicolas Todt – o mesmo de Felipe Massa, Pastor Maldonado e Jules Bianchi – por acaso.

Com o tempo de 1min42s304, o piloto foi o mais rápido na manhã do segundo dia de treinos, o suficiente para garanti-lo na ponta. Aliás, a Fortec teve bons motivos para comemorar. Além da liderança de Leclerc, a escuderia inglesa ainda viu Matt Parry – apoiado pela Caterham – completar a dobradinha.

A terceira colocação ficou com Bruno Bonifácio. Dessa vez, o brasileiro não fechou nenhuma sessão na liderança, mas esteve sempre na briga pelo primeiro lugar. No final, o piloto da Prema ficou em terceiro, com um déficit de 0s439.

Apesar do bom desempenho, Bruno disse que os resultados dos testes não são tão importantes, pois Barcelona não faz mais parte do calendário da categoria. No entanto, os treinos serviram para que a equipe Prema recolhesse informações importantes sobre o acerto do equipamento.

Como já dito, Beitske foi a quarta, seguida por Egor Orudzhev. Sem De Vries, coube a D’Agosto colocar o melhor carro da Koiranen em sexto, com Dennis Olsen, na outra Prema, em sétimo. Martin Rump, Kevin Jörg e Anthoine Hubert completaram o top-10. Mais rápido na tarde do segundo dia de atividades, Aurélien Panis foi apenas o 11º.

Também favoritos ao título, Andrea Pizzitola (Manor MP) e Alex Albon (KTR) não tiveram um bom desempenho na Espanha. O francês concluiu apenas em 13º, enquanto o britânico de origem tailandesa enfrentou problemas no carro e foi somente o 16º.

A F-Renault ainda realiza mais dois dias de treinos coletivos, em Jerez de la Frontera, antes do início da temporada.

Confira os tempos combinados de Barcelona:

temposbarcelona

Treinos da F-Renault em Paul Ricard

março 8, 2014
Nyck De Vries liderou na França

Nyck De Vries liderou na França

Uma das categorias mais competitivas do mundo, a F-Renault Eurocup voltou à pista nesta semana para mais dois dias de treinos coletivos, no circuito de Paul Ricard, na França. É verdade que esses testes de inverno não revelam exatamente o que pode acontecer no campeonato, mas já é uma boa indicação do que poderemos ver na pista.

Ou então do que não poderemos ver. Ausente nos treinos do mês passado em Aragón, Max Verstappen não fará parte da F-Renault em 2014. O holandês que brilhou no kartismo nos últimos três anos acertou com a equipe Van Amersfoort e fará a estreia nos monopostos já na F3 Europeia.

Apesar de Verstappen ter ignorado a categoria menor, a Holanda teve bons motivos para comemorar o resultado de Paul Ricard. É que coube a Nyck de Vries, da McLaren, dominar as atividades.

Depois de duas temporadas de altos e baixos no certame, o garoto vem mostrando que fará de tudo para conquistar o título em 2014 e recuperar o status de promessa do automobilismo. O primeiro sinal de que isso será possível veio na última sexta-feira, quando o piloto quebrou o recorde da categoria no circuito francês ao cravar 2min03s021.

Além de comandar os treinos na manhã do segundo dia de atividades, De Vries já havia liderado na primeira sessão de pista, na quinta.

Bruno Bonifácio foi o mais veloz da quinta-feira

Bruno Bonifácio foi o mais veloz da quinta-feira

Com esse resultado, o piloto terminou os dois dias de treino com o melhor tempo no combinado com uma vantagem de 0s180 para Anthoine Hubert, da Tech 1. O gaulês, aliás, tenta acabar com uma maldição em 2014, já que desde Stoffel Vandoorne o campeão da F4 Francesa não conquista bons resultados na carreira na Europa.

Mais rápido em Aragón, Alex Albon ficou com o terceiro lugar na soma dos tempos com a marca obtida na sexta-feira pela manhã. Rival de De Vries no kartismo, o britânico de origem tailandesa está disposto a mais uma vez complicar a vida do ex-colega. Com o carro da ART Junior, Levin Amweg obteve uma boa quarta posição.

Estreando na categoria neste ano, Dennis Olsen colocou o carro da Prema em quinto graças ao tempo obtido na última sessão. O norueguês foi superado pelo companheiro Bruno Bonifacio nas outras três idas à pista – chegando a tomar 1s –, mas pouco a pouco conseguiu reduzir a vantagem até fazer a ultrapassagem.

O brasileiro, porém, não precisa ficar chateado. Bonifacio foi o mais rápido no primeiro dia de atividades, ao vencer De Vries por apenas 0s004. O piloto da Prema chegou a marcar o recorde da pista, mas acabou superado pelo adversário neerlandês.

Com a experiência de quem já conhece as pistas do calendário e com o bom desempenho nesta pré-temporada, o brasileiro está se colocando em posição de brigar por bons resultados – até pódios e vitórias – em 2014.

Victor Franzoni apareceu de surpresa

Victor Franzoni apareceu de surpresa

Ignazio D’Agosto, no segundo carro da Koiranen, foi o sétimo, seguido por Egor Orudzhev, Aurelien Panis Kevin Jörg. Destaque também para Beitske Visser, com o 11º tempo. A ex-pilota do programa da Red Bull parece estar dando a volta por cima na carreira e vem conseguindo resultados positivos com a AVF.

O treino em Paul Ricard ainda contou com a participação de outro brasileiro. Já fechado para correr nos Estados Unidos, Victor Franzoni andou pela China BRT by JCS e completou com a 20ª colocação na classificação geral, tendo sido o 14º mais veloz no primeiro dia de treinos. Para quem estava afastado da categoria e andando com uma equipe nova, não deixa de ser um bom resultado.

Franzoni, aliás, conseguiu ir 0s2 mais veloz que o companheiro de equipe o badalado Matheò Tuscher, que volta ao automobilismo depois de conquistar o vice-campeonato da F2 em 2012. O outro veterano na sessão foi Yannick Mettler, que passou os dois últimos campeonatos na F3 Alemã.

Não foi apenas a F-Renault Europeia que esteve na pista na última semana. Não tão longe da França, algumas equipes da versão Alps do certame estiveram em Monza para um dia de atividades coletivas. Koiranen e AVF, aliás, precisaram dividir os funcionários em duas frentes, já que participaram de ambas as sessões.

E quem levou a melhor nos testes na Itália foi Kuba Dalewski, da Euronova. O polonês marcou 1min49s480 e superou o promissor russo Matevos Isaakyan por 0s204. Atual campeão da F4 Inglesa, Jake Hughes registrou o terceiro melhor tempo, seguido por Alessio Rovera e Roy Geerts, respectivamente vencedores da F-Abarth e da F-Renault 1.6 no ano passado. Você pode clicar aqui para ver o resultado completo de Monza.

A F-Renault Europeia volta à pista agora nos dias 17 e 18 de março, em Barcelona.

Confira os tempos combinados da F-Renault em Paul Ricard:

tempos lecastellet

Ausência sentida

fevereiro 27, 2014
Max Verstappen não participou dos treinos em Aragón

Max Verstappen não participou dos treinos em Aragón

Há alguns dias, escrevi aqui no World of Motorsport sobre os treinos da F-Renault Eurocup em Aragón. Só para relembrar, a atividade teve uma boa disputa entre Nyck de Vries, da McLaren, e Alex Albon, da Lotus, além da presença do brasileiro Bruno Bonifácio, que terminou com a décima colocação no combinado.

Só que enquanto fazia aquele post não me liguei que tão importante quanto os participantes do treino foi uma clara ausência entre os inscritos: Max Verstappen.

Tendo sido campeão de praticamente todos os torneios que disputou no kart, o holandês chegou a treinar pelas principais equipes da F-Renault durante o inverno europeu, mas não esteve presente nessa atividade na Espanha.

Quer dizer, se o filho do ex-piloto da F1 Jos Verstappen tivesse alguma pretensão de disputar o campeonato, faria todo o sentido acumular a maior quilometragem possível até porque ele seria um novato em 2014, competindo contra adversários que vão para o terceiro ano no certame.

No entanto, a ausência de Verstappen não é uma surpresa tão grande assim. Durante o inverno, o holandês testou com Tech 1, Josef Kaufmann, Manor MP e foi especulado na Prema. Todas – menos a Manor MP (que tem apenas uma vaga em aberto) – já anunciaram os trios para 2014 sem o holandês.

Ou seja, ao que tudo indica, a F-Renault Eurocup não está nos planos do garoto para este ano. Sendo assim, onde ele vai correr?

A resposta pode estar em uma declaração dada por Jos ainda no mês de janeiro, quando o filho disputava a Florida Winter Series, um campeonato promovido pela Ferrari e operado pela Prema nos Estados Unidos. Na ocasião, o ex-piloto cobrou um posicionamento dos dirigentes de Maranello para definir o caminho de Max.

“Max está negociando com a F-Renault Europeia, mas também com a F3 Europeia. O estilo dele se adaptou bem à F3. Vamos falar com Luca [Baldisseri, chefe da Academia da Ferrari] e com Rene Rosin [chefe da Prema] porque queremos tomar uma decisão logo”, disse.

Bom, parece que essa decisão já foi tomada.

A F-Renault volta à pista na próxima quinta-feira, dia 6, em Paul Ricard, quando poderemos ver se Verstappen mais uma vez estará ausente, o que praticamente confirma a ida para a F3 Europeia.

Treinos da F-Renault 2014 em Aragón

fevereiro 25, 2014
Alex Albon liderou os treinos em Aragón

Alex Albon liderou os treinos em Aragón

Uma das principais categorias de base do mundo, a F-Renault Eurocup deu o pontapé inicial para a temporada 2014 neste fim de semana, com dois dias de treinos coletivos em Aragón. Foi a primeira oportunidade de ver quem começa o ano melhor preparado e poderá seguir o caminho já traçado por Robin Frijns, Stoffel Vandoorne e Pierre Gasly.

Mas quem dominou essa primeira atividade foram dois velhos conhecidos. Alex Albon, da Lotus, e Nyck de Vries, da McLaren, reeditaram uma rivalidade que vem desde a época do kartismo e se digladiaram na batalha pelo melhor tempo. No fim, melhor para o tailandês, que marcou a volta mais rápida na terceira sessão de pistas e garantiu a liderança no combinado.

De Vries, que chegou a ser especulado como um dos pilotos da Renault na F3, preferiu continuar na F-Renault, pela Koiranen, e já é um dos favoritos. No entanto, dessa vez o neerlandês foi 0s087 mais lento que o antigo adversário.

Só que o duelo entre esses dois pilotos aconteceu apenas na terceira sessão de treinos, quando as condições de pistas estavam melhores. As outras três atividades em Aragón tiveram três pilotos diferentes na frente: Matevos Isaakyan, Kevin Jörg e Andrea Pizzitola.

E foi o russo o maior destaque do treino. Tendo estreado nos monopostos no ano passado na F4 Francesa, o piloto de 15 anos testou pela AVF e foi o mais rápido logo no primeiro dia. A partir daí, o garoto esteve sempre entre os primeiros colocados, encerrando com o terceiro posto na classificação geral.

Callan O'Keeffe treinou com as cores da Lotus

Callan O’Keeffe treinou com as cores da Lotus

Pizzitola, sucessor de Oliver Rowland na Manor MP, foi o quarto, seguido por Jörg, agora na bicampeã Josef Kaufmann. Simon Gachet foi o sexto seguido pelo atual campeão da F4 Francesa, Anthoine Hubert. Levin Amweg, Dennis Olsen e o brasileiro Bruno Bonifácio completaram o top-10.

Bruno, aliás, chegou a testar com o carro de F3 da equipe Prema no fim do ano passado, mas acabou preferindo continuar na F-Renault para continuar o aprendizado. Pela experiência, ele chega em 2014 com condições de entrar na luta por bons resultados. Outro favorito ao título, Egor Orudzhev foi o 11º.

Os treinos em Aragón também foram marcados pela qualidade do grid, mesmo nas equipes menores. Enquanto a Fortec teve os já confirmados Matt Parry e Martin Rump, a Manor escalou Matthew Graham, vindo da F4 Inglesa e dono de um currículo fortíssimo no kartismo.

Outra novidade foi a presença de Callan O’Keeffe pela ART Junior. O sul-africano foi dispensado pelo programa da Red Bull no ano passado, mas competiu com as cores da Lotus na Espanha. Aliás, se essa transferência se confirmar, o garoto repetirá o caminho feito por Albon, que também foi chutado do RBJT, mas acabou bem recebido em Enstone.

O último destaque é a volta de Matheò Tuscher ao automobilismo. O suíço foi vice-campeão da F2 em 2012 – quando tinha apenas 15 anos de idade –, só que desde então não conseguiu retomar a carreira. Ele foi proibido de competir na F-Renault no ano passado porque já tinha experiência em categorias maiores, e a organização achou injusto que ele disputasse a bolsa na World Series by Renault com atletas menos experientes.

Confira os tempos em Aragón:

tempos FR

Primeiro dia de aula da F-Renault em 2014

outubro 22, 2013
Max Verstappen foi a grande atração dos treinos de Barcelona

Max Verstappen foi a grande atração dos treinos de Barcelona

De forma até mesmo surpreendente, Pierre Gasly superou Oliver Rowland e conquistou o título da F-Renault Eurocup, no último fim de semana, em Barcelona. Mas agora isso já é passado. Com o campeonato chegando ao fim, já está no momento em que pilotos e equipes começam os trabalhando de olho no ano que vem.

E o primeiro dia de aula da geração de 2014 da F-Renault aconteceu nesta segunda-feira, dia 21, quando a categoria realizou um treino coletivo no circuito catalão cheio de novatos e garotos vindos diretamente do kart.

Essa atividade já é tradicional e serve para dar as primeiras pistas de pilotos e equipes de 2014. Levando em conta o que aconteceu nos últimos anos, nem todos os garotos que participaram da atividade deverão estar no grid do ano que vem, mas é provável que muitas das caras novas estejam de volta no próximo campeonato.

E o treino desta semana foi cercado de expectativa. Assim como aconteceu há dois anos, quando Nyck De Vries deu as primeiras voltas nos monopostos, dessa vez coube a outro kartista chamar a atenção. Falo de Max Verstappen, claro, que dominou os carrinhos nos últimos anos.

O holandês já estava participando de um extenso programa de testes privados na categoria e acertou com a KTR para guiar o carro usado por Ignazio D’Agosto durante a temporada regular.  No geral, o desempenho dele foi bom, ficando com a oitava colocação e sendo 0s677 mais lento que Gustav Malja. A única diferença é que o sueco andou pela Josef Kaufmann, mesmo time que defendeu em 2013.

Verstappen, no entanto, foi um dos poucos pilotos a não conseguir melhorar o tempo na parte da tarde, quando a pista estava em melhores condições. Como ele teve um problema no fim da sessão matutina, a equipe KTR precisou passar parte do treino da tarde na garagem deixando o equipamento pronto para o holandês. Por isso, ele não foi capaz de se recuperar.

E quem se aproveitou dos problemas do holandês foi George Russell, campeão europeu de kart na categoria KF2 em 2012. O piloto de apenas 15 anos testou pela pequena AV Formula e terminou com a quarta colocação na classificação geral, um desempenho que pode ser considerado muito promissor.

Gustav Malja foi o mais rápido

Gustav Malja foi o mais rápido

No mais, o treino também serviu para ver o badalado estoniano Martin Rump de volta a um carro da F-Renault e a estreia de Anthoine Hubert, campeão da F4 Francesa, na categoria. Entre os campeões de outros certames europeus, Erik Johansson (vencedor da F-Renault 1.6 Sueca) andou pela Koiranen, Robin Hansson (BMW Talent Cup) completou a escalação poderosa da Fortec e Chris Middlehurst (F-Renault Inglesa) testou pela MP.

Matthew Graham (vindo da F4 Inglesa), Tristan Viidas (F4 Francesa) e Matevos Isaakyan (dizer que é um russo promissor já basta nos dias de hoje) também marcaram presença em Barcelona.

Apesar da qualidade do grid, o resultado desse teste praticamente não vale nada. Obviamente, quem disputou a F-Renault em 2013 sai em vantagem por já conhecer o equipamento. A atividade, na verdade, acaba valendo para quem espera fechar algum contrato para o ano que vem e teve essa a oportunidade de impressionar as equipes.

Por fim, o teste ainda teve algumas ausências importantes. Primeiramente, nenhum brasileiro tomou parte da atividade. Levando em conta quem já estava na F-Renault em 2013, ficaram faltando os garotos do campeonato Norte-Europeu. Quase garantidos no grid do ano que vem, Matt Parry, Jack Aitken e Dennis Olsen acabaram abrindo espaço para novatos propriamente dito.

Entre os kartistas, as Ben Barnicoat, da McLaren, e Charles Leclerc, do All Road Managment não testaram. Enquanto o inglês deve fazer a transição para os monopostos no ano que vem, mas pode optar por correr no próprio Reino Unido, o monegasco pode seguir mais uma temporada no kart.

Abaixo você pode conferir os tempos de Barcelona. A origem de cada um dos pilotos está logo após o nome da equipe pelo qual testou. Quem está como ‘segue’ é que continua na F-Renault depois de ter disputado o certame em 2013:

Renault

O esporte venceu na África do Sul

abril 20, 2013
Naomi Schiff disputou a etapa da F-Renault Eurocup em Aragón

Naomi Schiff disputou a etapa da F-Renault Eurocup em Aragón

Matthieu Vaxivière foi o grande nome da primeira etapa da F-Renault Eurocup, neste fim de semana, em Aragón. O piloto da Tech 1 largou na pole-position nas duas baterias e venceu de ponta a ponta. Apesar disso, ele não foi o grande destaque da rodada. Quem mereceu todas as atenções foi Naomi Schiff, pilota da África do Sul que estreou na categoria pela equipe RC.

A importância de Naomi é que ela representa a vitória do automobilismo sobre o apartheid, regime de segregação racial da África do Sul. Durante os quase 50 anos do regime, a F1 jamais se preocupou com a situação humanitária do país. Enquanto os negros tinham os direitos negados pela elite branca, a principal categoria do automobilismo mundial andou por lá praticamente todos os anos entre 1960 e 1985 e retornando em 1992, fingindo que tudo estava completamente normal. Uma vergonha para a categoria.

Por outro lado, outras modalidades tiveram uma relação mais drástica com o momento pelo qual a África do Sul passava. No futebol, por exemplo, o país sofreu diversas sanções pelos órgãos que chancelam o esporte e chegou a ser suspenso pela Fifa por cerca de duas décadas.

No início da década de 1990, o apartheid começou a ser extinto, culminando com a eleição de Nelson Mandela, em 1994, sacramentada no dia 10 de maio daquele ano, quando ele tomou posse. Naomi nasceu apenas oito dias depois.

Eu realmente gostei desse capacete meio estilo Kamen Raider

Eu realmente gostei desse capacete meio estilo Kamen Raider

A garota, na verdade, não teve muito a ver com o apartheid. Filha de um belga com uma mulher nascida em Ruanda, a pilota só voltou a morar na África do Sul quando tinha quatro anos de idade. Embora o pai tivesse conquistado um título de F-Ford nos Países Baixos, ela começou a se interessar pelo automobilismo de forma espontânea, sem saber do histórico da família.

Desde então, ela ganhou diversos campeonatos de kart na África do Sul e representou o país em alguns mundiais. Nos últimos anos, correu de F-Volkswagen no país de origem e fez a transição para a Europa, participando de provas de protótipos. Nesse tempo, porém, ela não deixou o kartismo de lado, onde defende o time Zanardi, o mesmo que já teve Nyck de Vries.

De qualquer forma, Naomi não é o primeiro atleta negro a representar a África do Sul no automobilismo. Só para citar um, algum tempo atrás Adrian Zaugg defendia o país na A1 GP e chegou até mesmo a competir na GP2. Entretanto, é inegável que até hoje a maior parte dos pilotos de lá são brancos.

Por isso, ter uma menina negra competindo em um dos principais campeonatos de base do automobilismo mundial é a prova de que o esporte venceu na África do Sul. Enterrando cada vez mais uma história marcada pelo preconceito e palco de F1 que jamais se importou com a origem do dinheiro.

O sucessor de Stoffel Vandoorne

março 3, 2013
Antes de Stoffel Vandoorne, Benjamin Bailly era a bola da vez no automobilismo belga

Antes de Stoffel Vandoorne, Benjamin Bailly era a bola da vez no automobilismo belga

Enquanto todo mundo se prepara para acompanhar o GP da Malásia da F1, neste fim de semana, uma notícia passou quase que despercebida. A equipe RC, da F-Renault Eurocup, contratou o belga Benjamin Bailly para a disputada da temporada 2013. Este é o retorno do piloto aos monopostos depois de passar os últimos dois anos correndo de protótipos.

Embora seja um acontecimento sem maior importância, o acordo não deixa de ser curioso. É que Bailly foi o primeiro selecionado pelo programa de pilotos da federação belga de automobilismo, em 2009. Ele, aliás, já havia sido dispensado depois de competir na F2 no ano seguinte e não conseguir bons resultados.

Até aí, não é uma história tão diferente do que acontece em qualquer lugar do mundo. O que torna o retorno do belga à F-Renault especial é que o sucessor dele no programa, Stoffel Vandoorne, é o atual campeão da categoria, conseguiu a promoção à World Series by Renault e entrou para o programa de jovens pilotos da McLaren.

Por isso, a volta de Bailly aos monopostos, justamente na categoria que consagrou o compatriota é simbólica. É a forma que ele encontrou de recolocar a carreira nos trilhos e tentar ambicionar um futuro melhor no esporte.

Apesar da volta de Bailly, a federação belga está mais interessada no futuro de Neal Van Vaerenbergh

Apesar da volta de Bailly, a federação belga está mais interessada no futuro de Neal Van Vaerenbergh

Talvez o grande problema de Bailly tenha sido justamente a principal conquista da carreira, o título da F4 Francesa (então chamada Formul’Academy) em 2009. Com a taça, ele foi promovido à não muito promissora F2 e encontrou um grid com pilotos mais experientes, onde não se destacou, mesmo com uma vitória e outros dois pódios.

Mas como praticamente todo mundo que passou pela F2, o belga acabou se queimando e não conseguiu dar prosseguimento à carreira. Enquanto isso, a federação da Bélgica aprendeu com o erro e levou Vandoorne, após o título da F4, para a F-Renault, onde o passo não foi tão maior.

Para encerrar, se Bailly voltou à categoria em que Vandoorne foi campeão, então agora ele virou o sucessor de quem um dia foi antecessor, certo? Não é bem assim. Satisfeita com o desempenho dos jovens pilotos, a federação belga já prepara uma nova promessa para o esporte a motor. Neste ano, eles vão inscrever Neal Van Vaerenbergh, de apenas 16 anos de idade, mais uma vez na F4 Francesa. Alguma dúvida de quem já é o favorito?

Brasileiros se destacam nos treinos da F-Renault

fevereiro 20, 2013
Conhecido mais pela constância que pelo arrojo, Guilherme Silva brigou pela liderança nos treinos de Paul Ricard

Conhecido mais pela constância que pelo arrojo, Guilherme Silva brigou pela liderança nos treinos de Paul Ricard

A F-Renault Eurocup encerrou nesta quarta-feira, dia 6, dois dias de treinos coletivos na pista de Paul Ricard. Essa foi a segunda das quatro de sessões antes do início do campeonato, em abril. É claro que os treinos da pré-temporada não refletem o que pode acontecer durante as corridas, mas pelo que aconteceu até agora não há dúvidas de que a expectativa é ver os brasileiros brigando pelo título.

No primeiro dia de treinos na França, Guilherme Silva foi o mais rápido entre os pilotos do país, terminando na terceira colocação na classificação geral. Bruno Bonifácio foi o 11º, seguido por Felipe Fraga. Victor Franzoni havia marcado o segundo melhor tempo, mas acabou desclassificado após ser reprovado na inspeção técnica depois da atividade.

No segundo dia, foi a vez de Fraga liderar os pilotos do país ao marcar o quinto tempo do dia. O piloto erradicado no Tocantins foi seguido de perto por Silva, enquanto Franzoni terminou em 17º. Bonifácio não treinou por causa do regulamento da categoria.

Levando em conta também os resultados de Aragón, no fim do mês passado, onde o quarteto brasileiro terminou todos os dias de treino dentro do top-15, o mínimo que podemos esperar é que eles briguem por pontos em todas as corridas do ano.

Mas essa meta talvez já não seja o suficiente, e os pilotos do país já possam ser alçados à condição de candidatos ao título, ainda que corram por fora nessa disputa.

Felipe Fraga terá forte concorrência na MP Manor

Felipe Fraga terá forte concorrência na MP Manor

A maior prova disso é o desempenho dentro da equipe Koiranen, onde Silva e Franzoni são companheiros do badalado Nyck De Vries, do programa de pilotos da McLaren. Pelo histórico da carreira, não há dúvidas de que o holandês começa 2013 como um dos favoritos a terminar coma taça. Entretanto, dos quatro dias de treino até agora, ele liderou a disputa interna da escuderia apenas no primeiro. Depois, perdeu uma vez para Franzoni e fechou atrás de Silva nas duas sessões de Paul Ricard.

Aí é questão de lógica. Se De Vries é favorito ao título, mas terminou atrás dos brasileiros, o que podemos esperar dos pilotos do país? Obviamente a taça. Entretanto, o quarteto vai precisar mostrar consistência na luta por pódios se quiser encerrar o ano na primeira colocação.

Além disso, o holandês da McLaren não é o único piloto na briga.  Esteban Ocon, por exemplo, é outro forte candidato. O piloto francês dominou três dos quatro dias de treinos coletivos até agora. Oliver Rowland é mais um que vem colocando tempos consistentes. Fora William Vermont, Jake Dennis, Andrea Pizzitola..

E também tem a equipe de Josef Kaufmann, que venceu os dois últimos campeonatos. O time alemão, porém, parece começar 2013 um pouco mais atrás. Eles só terminaram na frente no último dia de atividades, nesta quarta-feira, com Óscar Tunjo. Apesar desse bom resultado, falta uma maior consistência na frente. E não há dúvidas que a capacidade de conquistar bons resultados em todas as corridas é o que vai definir o campeão em um certame com tantos jovens pilotos rápidos e promissores.

Os dois lados da moeda da F-Renault

fevereiro 2, 2013
Bruno Bonifácio segue na Prema em 2013

Bruno Bonifácio segue na Prema em 2013

Quando Victor Franzoni e Guilherme Silva foram anunciados pela poderosa Koiranen para a disputa da temporada de 2013 da F-Renault Eurocup, escrevi aqui no World of Motorsport que não concordava com a posição deles em participar apenas do campeonato europeu, abrindo mão da F-Renault Alps. Você pode clicar aqui para relembrar.

Claro que essa não foi uma decisão apenas dos dois pilotos e provavelmente houve participação da equipe. Até porque essa não é uma escolha fácil. A organização da F-Renault mudou as regras para 2013 e exigiu que as escuderias optassem entre participar de dois certames (Europeu + Alps ou Norte-Europeu) e perder metade da pré-temporada ou fazer todos os treinos coletivos, mas se limitar apenas a um torneio.

Como a categoria está estreando um novo carro em 2013, fazer a pré-temporada completa como forma de adaptação e desenvolvimento do equipamento faz todo sentido, principalmente para as escuderias que realmente vão disputar o título e precisam chegar forte desde a primeira corrida.

Por outro lado, eu gosto da opção de fazer mais corridas, ainda mais para esses garotos que estão tão no início da carreira.  Acho que desenvolver um garoto de 17 ou 18 anos em apenas sete fins de semana é muito pouco, e não há como simular todas as situações de prova em um treino coletivo. Mas não sou piloto e posso estar enganado.

De qualquer forma, as demais grandes equipes da F-Renault seguiram a Koiranen. A Tech 1, por exemplo, anunciou que apenas o estreante Egor Orudzhev vai participar dos dois campeonatos. Matthieu Vaxivière e Pierre Gasly se dedicarão apenas ao europeu. A Josef Kaufmann, por exemplo, afirmou que o trio titular – Steijn Schothorst, Óscar Tunjo e Gustav Malja – vai correr em apenas algumas etapas do Norte-Europeu. Já a Fortec há muitos anos não mistura o programa da categoria europeia com os demais.

Dito isso, a única equipe que optou por fazer os dois campeonatos com os mesmos pilotos foi a Prema, que anunciou nesta semana a renovação do contrato de Bruno Bonifácio, além da permanência de Luca Ghiotto. Os dois já haviam competido pela escuderia no ano passado na F-Abarth e feito algumas etapas da F-Renault.

Por isso, vai ser interessante ver como será o desempenho quando for estrearem na Eurocup, levando em conta que a primeira corrida está marcada para os dias 27 e 28 de abril, em Aragón, enquanto a Alps – o outro certame que o time vai participar –  já vai ter disputado uma rodada antes. Aí vai dar para pesar e ver se ter perdido metade da pré-temporada fará toda a diferença.

Outra coisa importante é acompanhar como Ghiotto e Bonifácio vão chegar ao fim do ano. Ao contrário dos pilotos da Eurocup, que fazem apenas 14 corridas (ou 15 com Pau), eles vão disputar 28 (ou 29). Ou seja, em qual condição física e mental eles vão estar. Será que fazer o dobro de provas terá algum efeito?

Pode ser que outras equipes menores sigam a decisão da Prema e também disputem dois campeonatos. No entanto, é relevante ver o desempenho da equipe italiana, pois esperamos que eles briguem pelo título. Afinal, além de contar com uma dupla já experiente, estamos falando dos atuais bicampões da F3 Euro.

De qualquer forma, a grande vantagem da Prema na decisão de competir em dois certames é que eles são favoritos absolutos na Alps. Levando em conta os pilotos que foram anunciados até agora – a maioria novatos –, não é nenhum absurdo pensar que eles têm todas as chances de serem campeões.

E vamos falar a verdade. Um título, seja lá qual for, é o suficiente para salvar o ano da equipe. Às vezes até mesmo para que Ghiotto e Bonifácio consigam dar prosseguimento à carreira, já que é mais fácil tentar se vender a um patrocinador falando que é um campeão. É claro que para quem entende de automobilismo, é muito mais relevante terminar no top-5 da Eurocup ao invés de ser campeão da Alps, mas também é importante levar em conta o lado financeiro.


Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 121 outros seguidores