Levou 17 anos, mas Rubens Barrichello enfim voltou à Ferrari. Não foi pela F1, é claro. O brasileiro disputou, no fim de semana, a etapa de Vallelunga do GT Italiano 2022, formando dupla com outro veterano da principal categoria do automobilismo mundial: Giancarlo Fisichella.

Apesar de Barrichello e Fisichella terem defendido a Ferrari na F1, a ida deles ao GT Italiano a bordo do modelo GT3 da marca italiana não teve participação direta da escuderia de Maranello.

Eles foram convidados por Fabio Baldini, dono de umas escuderias do campeonato, para competir na corrida que aconteceu nos arredores de Roma. Baldini é conhecido por levar nomes famoso ao GT Italiano. Antes de Barrichello, o convidado tinha sido Jacques Villeneuve, que guiou uma Ferrari com o número 27, o mesmo de seu pai, Gilles Villeneuve, em seus anos de Maranello.

Antes mesmo de os carros irem à pista para as primeiras sessões do fim de semana, a dupla formada por Barrichello e Fisichella já era considerada uma das favoritas.

Físico, como o piloto italiano também é conhecido, é um veterano das corridas de longa duração pela Ferrari. Desde 2009, quando deixou a principal categoria do automobilismo mundial, tem defendido a marca em provas de GT, tomando parte principalmente do WEC.

Barrichello teve menos experiência com esse tipo de equipamento. Após sua passagem pela F1, se dedicou principalmente aos carros de turismo, mas também se aventou em equipamentos como os protótipos da Imsa e também os monopostos da S5000, categoria que ficou conhecida como a “Indy da Austrália”.

A nova vitória de Rubens Barrichello pela Ferrari

Quando deixou os boxes, a dupla de ex-F1 confirmou o favoritismo. Barrichello e Fisichella lideraram praticamente todas as sessões de pista. A única exceção foi uma das classificações, quando o brasileiro ficou com o terceiro melhor tempo, mas nada que impedisse a dupla de largar na pole-position.

Na corrida, a estratégia foi que Fisichella abrisse a prova e entregasse o carro para Barrichello no stint do meio. Daí coube o italiano fechar a corrida e receber a bandeira quadriculada na frente, com uma vantagem de pouco mais de 2s para o Honda dos italianos Jacopo Giudetti e Leonardo Moncini e do espanhol Jorge Cabezas. A diferença poderia ter sido ainda maior se não fossem as entradas do safety-car durante a prova.

Com o troféu na bagagem, Barrichello agora retorna ao Brasil para participar da próxima etapa da Stock Car, em Santa do Cruz do Sul. Atual quarto colocado na tabela, tem chances de conquistar o título. Mas fica também a expectativa para ver se em breve o brasileiro retornará ao comando de uma Ferrari.

Você pode clicar aqui para ver os resultados completos de Rubens Barrichello no GT Italiano, assim como os das demais principais categorias do automobilismo mundial no fim de semana.

Rubens Barrichello e Giancarlo Fisichella, cercado por integrantes da escuderia Baldini, comemorando a vitória com o indicador levantado
Rubens Barrichello e Giancarlo Fisichella comemorando a vitória em Vallelunga pelo GT Italiano – foto: aci csai/divulgação