Quem acompanhou a F1 em 2021 se acostumou a ver Max Verstappen, Lewis Hamilton e Valtteri Bottas dividirem a maior parte dos pódios. Situação parecida aconteceu no kartismo, no ano passado, com três pilotos dominando as principais competições da modalidade na divisão OK: o italiano Andrea Kimi Antonelli, o brasileiro Rafael Câmara e o britânico Arvid Lindblad.

Passado quase um ano, Antonelli, considerado o principal nome da academia da Mercedes, vem tendo uma temporada histórica, com 15 vitórias em 24 corridas nas F4 Italiana e Alemã. Ele lidera ambos os campeonatos.

Câmara, que assinou pela Academia da Ferrari, vem sendo o principal adversário do italiano. É o vice-líder na Itália e só ocupa o terceiro posto na Alemanha porque perdeu as duas últimas rodadas da categoria. Disputou 21 corridas até agora nesses dois campeonatos e fechou 15 delas no pódio, com direito a três vitórias e uma pole.

Já Lindblad, integrante do Red Bull Junior Team, acompanhava tudo isso pela televisão.

Isso porque o britânico ainda não tinha completando 15 anos, a idade mínima para um piloto poder participar dos campeonatos de F4 chancelados pela FIA.

Longe das corridas, Lindblad vinha tendo um 2022 de altos e baixos. No kartismo, perdeu parte da temporada por causa de uma fratura na mão, mas vinha obtendo bons resultados, como o terceiro posto no Mundial, apesar de ser um novato na divisão KZ2, os karts com marcha.

Pela Van Amersfoort, equipe que levou Oliver Bearman, também do Reino Unido, aos títulos da F4 Alemã e Italiana no ano passado, Lindblad vinha participado de treinos privados. Chegou a liderar uma das sessões, em Vallelunga, mas foi a bordo do antigo carro da F4, considerado mais rápido que o atual. De qualquer forma, mesmo com o equipamento de 2022, esteve sempre entre os ponteiros.

Como acaba de completar 15 anos, Lindblad vai fazer sua estreia na F4 Italiana neste fim de semana, na etapa do Red Bull Ring.

Sua chegada ao campeonato, marca, portanto, o reencontro dos três pilotos que dominaram o kartismo no ano passado e que devem se topar nas categorias de base muitas e muitas vezes no caminho rumo à F1.

Além disso, Lindblad é a esperança da Van Amersfoort de recuperar os bons resultados e de impedir Antonelli a continuar batendo recordes em 2022.

Só que é muito cedo para exigir algum desempenho do britânico. Apesar de ser realmente um competidor muito promissor, leva desvantagem na experiência acumulada. Afinal, Câmara e Antonelli já participaram de quase 30 corridas de F4 (contando também o torneio dos Emirados Árabes) neste ano.

É mais realista pensar em Lindblad como favorito ao título da F4 Italiana e da F4 Alemã em 2023 que em alguém capaz de já chegar ganhando.

E isso pode representar uma vantagem para o britânico. Afinal, como a expectativa é que tanto Antonelli quanto Câmara subam de categoria em 2023, Lindblad poderá ter menos concorrência nos campeonatos de base e se firmar como um nome com potencial para um dia chegar à F1.

Você pode clicar aqui para ver os resultados completos da etapa do Red Bull Ring da F4 Italiana, assim como as demais principais categorias do automobilismo mundial no fim de semana.

carro da Van Amersfoort, laranja e preto, na F4 Italiana, fazendo curva para a direita e cercado por dois carros vermelhos e branco da Prema
Arvid Lindblad chega à F4 Italiana 2022 num momento em que a equipe Van Amersfoort busca se aproximar da Prema – foto: aci csai/divulgação