Para quem gosta de acompanhar sobrenomes (e também alguns nomes) famosos correndo, o carro número 15 da Charouz na temporada 2022 da F3 tem sido uma atração à parte.

Em Zandvoort, Mansell perdeu a vaga e quem entrou no famigerado carro 15 foi Schumacher.

Estamos falando, é claro, de Christian Mansell, piloto australiano que não tem nenhum parentesco com Nigel Mansell, e de David Schumacher, filho de Ralf, primo de Mick e sobrinho de Michael.

Mansell comandou o carro número 15 nas etapas de Hungaroring e de Spa-Francorchamps, mas não foi bem, tendo obtido um 22º lugar, logo na estreia, como melhor resultado.

Neste fim de semana, há um choque de datas entre a F3 e a Euroformula Open, o outro campeonato no qual o australiano compete. Como Mansell é o vice-líder da categoria e tem (uma remota) chance de título, preferiu priorizar a Euroformula.

A volta de Schumacher à F3 2022

Para seu lugar, a Charouz chamou David Schumacher, que neste ano tem disputado a temporada completa do DTM. O alemão já tinha comandando o carro número 15 antes na F3 2022. Tinha sido na etapa de Imola, onde terminou em 12º na corrida do domingo, desempenho que, se não foi brilhante, ao menos não comprometeu.

O curioso é que na F1 nunca houve uma substituição de Mansell por Schumacher quando o assunto é os campeões mundiais.

O alemão estreou pela Jordan, em 1991, mas na etapa seguinte já estava na Benetton, escuderia que defendeu até 1995. Na temporada posterior, acertou com a Ferrari. Já o britânico, nesse período, estave na Williams. Em 1993, teve uma passagem pela Indy, na Newman-Haas, e depois voltou para a Williams e ainda andou pela McLaren e foi só.

Mas você acha que a mística do carro 15 da Charouz acabou? Então está enganado!

O que dizer do piloto que começou a temporada nele: Ayrton Simmons? O britânico de origem espanhola não tem nenhum parentesco, evidentemente, mas foi, sim, batizado em homenagem a Senna.

Só que a passagem de Simmons pelo equipamento foi bem curta. Durou apenas a rodada de abertura da F3 2022, no Bahrein, com o piloto conquistando um 18º e um 19º lugares.

A “estratégia” de apostar em sobrenomes e em nomes famosos, entretanto, não vai dando certo para a Charouz. Até antes da etapa de Zandvoort, o time tinha somado um único ponto nesta temporada, com o décimo posto de Francesco Pizzi, que não vem de nenhuma família conhecida, em Imola.

Após a Holanda, vai faltar apenas a rodada de Monza para terminara o campeonato da F3. Aí fica a expectativa de quem estará no “carro VIP” da Charouz na Itália. Será Pedro Piquet? Emerson Fittipaldi Jr? Nico Prost? Ou então Jos Verstappen?

Você pode clicar aqui para ver os resultados completos de David Schumacher no carro 15 da Charouz em Zandvoort, assim como os das demais principais categorias do automobilismo mundial no fim de semana.

Nigel Mansell, de bigode e terno, olhando para o lado direito
Nigel Mansell não tem nenhum parentesco com Christian Mansell, mas viu seu sobrenome de volta ao paddock da F1 em 2022 – foto: mark thompson/getty images