Quem ganhou a primeira bateria da etapa de Nova York da temporada 2022 da Formula E? Nick Cassidy, que de fato subiu no degrau mais alto do pódio, ou seu companheiro de equipe, Robin Frijns, que estava em primeiro quando a bandeira vermelha foi acionada?

A polêmica aconteceu quando faltavam por volta de sete minutos restantes da prova, e uma verdadeira tempestade começou a cair em alguns pontos do circuito.

Quando chegaram em uma das retas, os carros aquaplanaram, e quatro dos cinco primeiros colocados bateram com violência: Cassidy, Stoffel Vandoorne, Lucas di Grassi e Edoardo Mortara. Da turma da frente, o único a escapar foi Frijns, que assumiu a ponta.

Como outros acidentes ocorreram também no meio do pelotão, pela quantidade de carros batidos, a direção de prova decidiu acionar a bandeira vermelha. Logo depois, a corrida foi encerrada, fazendo valer o resultado da volta anterior, quando Cassidy ainda liderava.

Evidentemente, quem não bateu e ganhou as posições dos acidentados argumentava que a disputa deveria ter recomeçado, pois ainda tinham sete minutos (mais uma volta) restantes. Já o grupo liderado por Cassidy considerou ter sido prejudicado por uma chuva que veio do nada e forçou seu abandono, sem que nada pudesse ter feito.

E aí, quem está com a razão? A Formula E fez em encerrar a bateria mais cedo?

O resultado final da Formula E 2022 em Nova York

Eu gosto de quando tem um ingrediente de caos em uma corrida. Como a chuva que atingiu as últimas voltas do GP da Rússia, no ano passado, ou que a temporada passada da F1 tenha terminado em bandeira verde, no polêmico GP de Abu Dhabi (sem entrar no mérito se a decisão de Michael Masi foi correta ou errada).

Mas, no caso da Formula E, eu defendo que a prova tenha sido finalizada e fique valendo o resultado de antes da chuva.

Em primeiro lugar, não é tão fácil traçar um paralelo entre a Formula E em Nova York e os GPs da Rússia e de Abu Dhabi. Na F1, por menor que fosse, houve, sim, tempo para que pilotos e equipes entendessem o que estava acontecendo e escolhessem, por exemplo, parar nos boxes ou não. Daí o famoso episódio de Lando Norris ter desobedecido a McLaren, em Sochi, optado por ficar com pneus para pista seca em um asfalto cada vez mais encharcado e acabar perdendo sua primeira vitória na F1.

Entre os carros elétricos, não houve esse tempo de adaptação. A tempestade chegou repentinamente, e os competidores entraram em uma reta do circuito sem saber onde exatamente seria o ponto de frenagem.

Mas, mais do que argumentar se dava para evitar os acidentes em Nova York, é preciso olhar para o histórico da Formula E.

Nos últimos anos, a categoria elétrica ficou marcada por decisões e regras fora do comum, que modificavam os resultados das corridas e deixavam pilotos, equipes, montadoras e fãs sem saber exatamente o que estava acontecendo.

Foi assim, no ano passado, no vexame de Valência, quando o gasto elevado de energia surpreendeu, e alguns pilotos literalmente precisaram estacionar na última volta para não serem desclassificados por exceder o limite do consumo. Ou, em Londres, quando Di Grassi quase venceu ao ultrapassar todos os adversários ao passar pelo pit-lane durante uma entrada do safety-car. Ou, no México, quando Pascal Wehrlein foi desclassificado por um erro de digitação por parte de sua equipe de qual pneu estava no carro dele.

Com situações tão bizarras assim acontecendo frequentemente, tudo o que a Formula E precisava era um pouco de normalidade, isto é, decisões conservadores que premiassem pilotos e equipes que trabalharam melhor ao longo do fim de semana, ainda mais agora que a categoria de carros elétricos se transformou em um mundial da FIA.

Por mais que os fãs gostem de uma corrida maluca, montadoras preferem investir em um campeonato no qual há previsibilidade dos resultados. As fabricantes até conseguem compreender que terminaram no fim do grid, porque erraram no desenvolvimento do equipamento. Mas não costumam entender quando incidentes esquisitos, digamos assim, acabem custando pódios, vitórias e até mesmo títulos.

Você pode clicar aqui para ver os resultados completos da etapa de Nova York da Formula E, assim como os das demais principais categorias do automobilismo mundial no fim de semana.

Assista abaixo ao momento que a chuva chega na primeira bateria da etapa de Nova York da temporada 2022 da Formula E: