Marcus Ericsson não só colocou seu nome na história ao vencer a edição de 2022 das 500 Milhas de Indianápolis como também embolsou uma boa grana.

O sueco recebeu US$ 3,1 milhões (o equivalente a R$ 14,7 milhões) por ter conseguido segurar Pato O’Ward e Tony Kanaan nas voltas finais da Indy 500 deste ano. Nunca um ganhador da corrida mais importante do calendário da categoria americana tinha ficado com tanto dinheiro.

Quando Roger Penske comprou o campeonato e a pista de Indianápolis, no fim de 2019, prometeu premiações recordes aos vencedores das 500 Milhas. Só que nos dois primeiros anos, 2020 e 2021, dá para dizer que quase foram recordes negativos.

Por causa da pandemia, das corridas realizadas sem público ou com capacidade limita e da proibição a camarotes, o dirigente demorou para conseguir cumprir sua promessa.

Mas para a prova deste ano foram 325 mil ingressos vendidos (além da chegada de novos patrocinadores, como a renovação do vínculo com Shell e Gainbridge), o que permitiu aumentar o dinheiro distribuído aos 33 competidores.

A premiação de verdade na Indy 500

Ao todo, mais de US$ 16 milhões (R$ 76 milhões) foram repartidos, com Ericsson ficando, evidentemente, com a maior porcentagem do valor.

Mas agora chegamos à pergunta do título. Quanto realmente o sueco vai embolsar desses US$ 3,1 milhões? Não dá para saber exatamente ao certo, mas é possível fazer uma estimativa.

De uma maneira geral, os competidores têm acordos com suas equipes sobre o quanto da premiação ficará para eles e o quanto será distribuído entre mecânicos, engenheiros, administrativo e dirigentes. Algumas escuderias podem escolher oferecer uma menor parte do dinheiro a seus pilotos em troca de eles não precisarem levar patrocínios. Outras escolhem fazer o contrário.

Quando foi campeão em 2018, Will Power revelou que ficou com um pouco menos que 50% do prêmio, com o restante sendo partilhado entre os integrantes da Penske.

Ou seja, caso a Ganassi tenha aplicado uma regra parecida, Ericsson teria ficado com em torno de US$ 1,5 milhão (mais de R$ 7 milhões). Nada mal para alguém que ficou marcado como piloto pagante em seus anos de F1, não é mesmo?

Você pode clicar aqui para conferir os resultados completos das 500 Milhas de Indianápolis de 2022, assim como os das principais categorias do automobilismo mundial no fim de semana.

Will Power, no carro prateado, cruza a linha de chegada de tijolos na frente, com a famosa pagoda em verde ao fundo
Vencedor das 500 Milhas de Indianápolis de 2018, Will Power foi quem entregou quanto os pilotos da Indy realmente ganham – foto: scott r. lepage/lat/chevy racing/divulgação/LAT for Chevy Racing