A temporada 2022 da MotoGP começou sem alguns dos principais nomes que fizeram sucesso nas últimas décadas.

Valentino Rossi, Dani Pedrosa e Jorge Lorenzo já não estão mais no grid da principal categoria do motociclismo mundial. Mas isso não quer dizer que eles deixaram a velocidade para trás. Em comum, os três estão fazendo em 2022 a transição das duas para as quatro rodas. Veja onde cada um deles está correndo atualmente.

Valentino Rossi no GT3

Um dos principais nomes da MotoGP nas últimas décadas, com sete títulos conquistados na categoria principal, Rossi já vinha ensaiando trocar as duas pelas quatro rodas nos últimos anos.

Nesse tempo, testou pela Ferrari e pela Mercedes na F1, defendeu a marca italiana em corridas de GT e até mesmo participou de etapas do WRC.

Muita gente dava como certa a ida do italiano em 2022 para o WEC (e para as 24 Horas de Le Mans), defendendo uma das equipes clientes da Ferrari.

Mas Rossi surpreendeu ao anunciar um acerto com a Audi. O heptacampeão da MotoGP assinou com a marca alemã para o GTWC Europe, onde defende a poderosa equipe WRT, sempre cotada entre as favoritas. Na divisão endurance, ele divide o carro número 46 com o suíço Nico Müller e o belga Frederic Vervisch, ambos pilotos de fábrica da Audi.

Na única corrida da categoria realizada até agora, o italiano perdeu muito tempo ao enfrentar problemas em uma parada nos boxes, o que o relegou à 17ª colocação na bandeirada. Não fosse isso, tinha ritmo para fechar no top-10.

Apesar de estar correndo pela Audi neste ano, deve ser questão de tempo para vermos Rossi buscar voos maiores e correr em Le Mans.

Dani Pedrosa no Lamborghini SuperTrofeo Europe

Se alguém tentasse adivinhar onde Pedrosa iria correr em 2022, possivelmente chutaria algum campeonato do motociclismo.

Afinal, o espanhol tem sido bastante ativo nas duas rodas. Foi piloto de testes da KTM e até mesmo disputou o GP da Estíria do ano passado, no Red Bull Ring, pela marca austríaca.

Mas ele fechou contrato para disputar três etapas da versão europeia do campeonato monomarca da Lamborghini ao lado do veterano suíço Antonin Borga.

Em Imola, na preliminar do GTWC Endurance, que teve Rossi no grid, Pedrosa e Borga não fizeram feio. Na primeira corrida do fim de semana, largaram na quinta colocação (embora tenham cruzado a linha de chegada em 19º). Na segunda, estavam em oitavo na bandeirada.

Nada mau para quem a gente nem esperava ver nas quatro rodas neste ano.

Jorge Lorenzo na Porsche Cup

A aposentadoria de Lorenzo, após sua passagem desastrosa pela Honda, em 2019, vem sendo bastante curiosa.

O espanhol, bicampeão do mundo na MotoGP, chegou a ser piloto de testes da Yamaha, recebeu uma proposta da Ducati para voltar ao campeonato e brilhou mesmo foi na versão espanhola do reality The Masked Singer, ao terminar com a quarta colocação do show de talentos.

Desde então, ele havia sossegado e integrava a cobertura da MotoGP na Espanha.

Mas surpreendentemente Lorenzo anunciou na última semana que está seguindo os passos dos antigos rivais Rossi e Pedrosa e vai estrear nas quatro rodas em 2022.

O espanhol, mais conhecido por sua passagem pela Yamaha, vai disputar a versão italiana da Porsche Cup. Além disso, também participará como wildcard (prática que conhece bem de seus anos de MotoGP) da Porsche Supercup, em Imola, categoria que faz a preliminar da F1.

Já pensou um dia vermos Rossi, Pedrosa e Lorenzo dividindo um carro em alguma dessas competições?

Valentino Rossi, Audi, GT3, GTWC Endurance Europe, agenda da velocidade
A ida de Valentino Rossi para a Audi foi o grande destaque do início da temporada 2022 do GTWC Endurance Europa – foto: audi/divulgação