Qual Felipe Drugovich iria disputar a temporada 2022 da F2? Aquele que impressionou em 2020, pela mediana equipe MP, ao conquistar uma pole e três vitorias em seu primeiro ano na categoria ou o que enfrentou dificuldades para andar na primeira posição mesmo pela forte esquadra UNI-Virtuosi no ano passado?

Essa era a grande questão sobre o que esperar do piloto brasileiro neste ano. E talvez tenha precisado de somente duas etapas para descobrirmos a resposta.

Na segunda rodada da temporada 2022, Drugovich, que neste ano está de volta à MP, sobrou. Na sexta-feira, conquistou sua segunda pole-position na F2 ao fazer uma volta mais de 0s5 mais veloz que o terceiro colocado. Uma infinidade em se tratando de um campeonato em que todos correm com o mesmo equipamento.

No sábado, o brasileiro saiu de décimo para terceiro em uma prova sem erros, porém discreta. De um lado, conseguiu economizar equipamento para atacar nas voltas finais e ganhar uma série de posições. Do outro, se aproveitou de problemas dos adversários, como a bizarra punição a Dennis Hauger, que liderava, e a desclassificação de Jake Hughes.

Já no domingo, na principal corrida do fim de semana, Drugovich não teve adversários. Largou bem, manteve a ponta na primeira curva e sumiu a partir daí. Só não liderou de ponta a ponta, porque estava na estratégia de começar com o pneu macio e, assim que a janela de paradas fosse aberta, trocar para o duro. Como resultado, quando voltou à pista após os pits, era o 14º, mas na liderança virtual. Conforme os adversários foram parando – ou mesmo sendo ultrapassados pelo brasileiro – ia avançando.

Com esse desempenho dominante, assegurou seu segundo pódio do fim de semana e, de quebra, pulou para a liderança do campeonato com 45 pontos, 11 a mais que Liam Lawson, o segundo colocado.

A boa fase de Drugovich em 2022 não fica restrita somente à etapa da Arábia Saudita. No Bahrein, há uma semana, já tinha andado bem, embora os resultados não mostrassem isso tão claramente. É que na abertura do campeonato ele não conseguiu fazer uma volta limpa na tomada de tempo, ficando com a décima posição no grid de largada (o que lhe rendeu a pole na prova com o grid invertido).

Ainda assim, avançou no domingo, quando saiu de décimo no grid para sexto na bandeirada.

Até onde vai a boa fase de Felipe Drugovich na F2 2022

Para as próximas etapas, resta ver como a equipe MP continuará se comportando. Depois das duas primeiras rodadas de 2022, já ficou claro que o time tem condições de brigar por poles, pódios e vitórias com o brasileiro. A questão é se será capaz de fazer isso com a consistência necessário para que Drugovich possa lutar pelo título.

Lembrando que em 2020, no ano que o brasileiro já tinha defendido a esquadra holandesa, da mesma forma como houve a pole em Silverstone e as vitórias no Red Bull Ring, em Barcelona e no Bahrein, também teve fins de semana como Spa-Francorchamps, Monza e Sochi, onde passaram longe pela luta pelos pontos.

E consistência pode ser fundamental para decidir o campeão da F2 em 2022. Afinal, alguns dos principais candidatos à taça estão tendo problemas neste começo de temporada.

Theo Pourchaire, por exemplo, só pontuou em uma das quatro baterias realizadas até agora (com a vitória na corrida longa do Bahrein), e Jehan Daruvala, na sempre favorita Prema, ainda não encaixou uma boa classificação até agora (foi sétimo em Sakhir e 14º em Jeddah), mas vem conseguindo se recuperar nas provas, tanto que já obteve dois pódios.

Você pode clicar aqui para conferir os resultados completos de Felipe Drugovich na etapa da Arábia Saudita da F2, assim como os das demais principais categorias do automobilismo mundial no fim de semana.

Felipe Drugovich, F2, Fórmula 2, 2022, vitória, Arábia Saudita, MP
Antes do início da temporada, havia dúvidas sobre se Felipe Drugovich conseguiria retomar a boa fase na F2 em 2022. E o piloto já começou a respondê-las – foto: dutch photo agency/kgcom/divulgação