Gabriel Bortoleto começou 2022 com um objetivo: correr na F-Regional Asiática, no início do ano, para chegar mais preparado à versão europeia da categoria e recuperar a boa fase que um dia o levou a ser considerado um dos kartistas mais promissores do mundo.

Por enquanto, o plano vem dando certo. Logo na segunda prova da temporada, o brasileiro conquistou sua primeira vitória e se colocou entre os candidatos ao título.

De quebra, tornou-se o primeiro piloto do Brasil a ganhar uma corrida em 2022, mantendo uma tradição de 13 anos com ao menos um representante do país subindo ao degrau mais alto do pódio já no mês de janeiro.

Como foi a vitória de Gabriel Bortoleto

Para falar a verdade, o triunfo em Yas Marina não foi dos mais complicados. Bortoleto foi beneficiado pela regra do grid invertido: por ter chegado em décimo na primeira prova do fim de semana, foi colocado na posição de honra na segunda bateria e jamais foi superado pelos adversários.

O brasileiro precisou lidar com duas intervenções do safety-car, por acidentes no meio do pelotão, mas em ambas foi capaz de relargar bem e não ser incomodado. Como resultado, cruzou a linha de chegada 0s9 na frente do espanhol Lorenzo Fluxa, seu companheiro de equipe na R-Ace.

Levando em conta a vitória na Ásia e o bom desempenho mostrado até aqui, sem dúvida nenhuma, Bortoleto vai para sua segunda temporada na F-Regional by Alpine (que começa no fim de abril) muito mais bem preparado que em 2021.

Afinal, estamos em janeiro, e ele já assinou contrato com a equipe R-Ace (uma das melhores do campeonato) e está aproveitando o torneio de inverno na Ásia para ganhar mais quilometragem com o equipamento e se acostumar aos métodos de trabalho do time francês.

No ano passado, o brasileiro viveu o oposto. Trocou de escuderia, da DR para a FA, a poucos dias da primeira corrida, depois de uma pré-temporada que tinha deixado a desejar.

A mudança compensou, mas os resultados só vieram na segunda metade da temporada. Tanto que, nas últimas oito corridas, Bortoleto pontuou em seis, com direito a um pódio no Red Bull Ring.

Assim, a expectativa para o restante de 2022 é que desde o começo da F-Regional by Alpine ele esteja na briga por pódios e, quem sabe, até por vitória.

Você pode clicar aqui para conferir os resultados completos de Bortoleto na F-Regional Asiática, assim como os das principais categorias do automobilismo mundial no fim de semana.

As vitórias do Brasil nas pistas em janeiro

Além do primeiro triunfo brasileiro em 2021, Bortoleto conseguiu manter uma sequência de 13 anos consecutivos com pilotos do país ganhando provas em janeiro.

Como o primeiro mês do ano é de poucas corridas no automobilismo mundial, nem sempre os brasileiros têm muitas oportunidades para subir ao degrau mais alto do pódio. Mas isso nunca os impediu de sobressair.

Abaixo você pode conferir quem, assim como Bortoleto, já levou a melhor nos primeiros 31 dias de cada ano.

2010: André Negrão (Brazil Open) e Lucas Foresti (Toyota Racing Series)
2011: Lucas Foresti (Brazil Open) e Vinicius Perdigão (USF2000 Winterfest)
2012: Lucas Foresti (Brazil Open) e Oswaldo Negri (24h de Daytona)
2013: Felipe Guimarães (Brazil Open), Bruno Bonifacio e Pipo Derani (Toyota Racing Series)
2014: Felipe Guimarães e Leandro Florenzo (Brazil Open) e Christian Fittipaldi (24h de Daytona)
2015: Tony Kanaan (24h de Daytona)
2016: Pedro Piquet (Toyota Racing Series), Pietro Fittpaldi (MRF Challenge) e Pipo Derani (24h de Daytona)
2017: Pedro Piquet (Toyota Racing Series)
2018: Christian Fittipaldi (24h de Daytona)
2019: Leo Lamelas (Prototype Challenge) e Augusto Farfus (divisão GTLM das 24 Horas de Daytona)
2020: Jonatan Jorge (Prototype Challenge), Caio Collet (Toyota Racing Series) e Augusto Farfus (24h de Daytona)
2021: Felipe Nasr, Pipo Derani (Imsa), Helio Castroneves (24 Horas de Daytona)
2022: Gabriel Bortoleto (F-Regional Asiática)

Gabriel Bortoleto voltou a vencer justamente num ano em que precisa se firmar entre as grandes promessas do automobilismo europeu – foto: dutch photo agency/quickcomunicacao/divulgação