Quando comecei acompanhar as categorias de base da F1, eu pensava que esses programas para jovens pilotos, como é o caso do Red Bull Junior Team, tinham alguma mística na hora de selecionar seus integrantes.

Isto é, essas iniciativas estariam sempre um passo à frente das concorrentes, sejam porque tinham olheiros com anos de experiência espalhados pelo mundo, sejam porque criaram algum algoritmo muito eficiente que consegue mostrar quais competidores estão sobressaindo mesmo quando não correm pela melhor equipe.

Mas, às vezes, a justificativa para esses programas assinar com algum jovem piloto é muito mais simples: os chefões do Red Bull Junior Team estavam assistindo a alguma corrida e esse competidor que foi o vencedor.

É o caso de Isack Hadjar, novo integrante do Red Bull Junior Team em 2022. No ano passado, ele foi o primeiro colocado na etapa de Mônaco da F-Regional by Alpine, mesmo sendo um novato na categoria e enfrentando competidores dos programas da Mercedes e da Ferrari.

As corridas de Mônaco eram preliminares da F1 e, portanto, os chefões da Red Bull já estavam no Principado e aproveitaram para assistir ao que acontecia no campeonato de acesso. Ficaram impressionados com Hadjar, e rapidamente o acerto foi feito. O francês só passou a fazer parte do Junior Team neste ano, mas desde o fim de 2021 já corria com um capacete com as cores da fabricante de energéticos.

Outro exemplo é o de Noel Leon, que parecia destinado a seguir carreira na Nascar do México até que, em dois anos seguidos, foi campeão da F4 Mexicana e da F4 USA.

Com apoio de Sergio Pérez, Leon passou a contar com o suporte do Red Bull Junior Team e neste ano vai trocar o continente americano pelo automobilismo europeu. Seguindo os passos de Hadjar, vai acelerar na F-Regional by Alpine, pela Arden.

Quem já passou pelo Red Bull Junior Team

Na história do Red Bull Junior Team, há vários casos como esses. Em 2016, Richard Verschoor ganhou a rodada de abertura da extinta F4 Norte-Europeia, em Sochi, disputada como preliminar na F1. Para a etapa seguinte, ele já alinhou seu carro com as cores da Red Bull. Na época, deu certo, e ele ficou com o título ao acumular mais dez vitórias (seguidas), mas acabou dispensado do programa alguns anos mais tarde.

E houve a história de Luis Leeds, contemporâneo de Sergio Sette Câmara no Junior Team, que voou da Austrália para o México, levou a melhor na corrida da F4 no Hermanos Rodríguez de 2015, que aconteceu horas antes do GP da F1 e meses depois foi integrado ao programa da fabricante de energéticos.

Alguém até pode questionar se esse não é um critério muito simples para um programa de jovens pilotos que gasta milhões de dólares todos os anos.

Mas faz sentido essa tática da Red Bull. Diferentemente das demais academias de equipes da F1, a iniciativa rubro-taurina nunca se propôs a desenvolver novos talentos. O que ela faz é assinar com jovens que considera promissores e dar a eles a chance de ter equipamento competitivo em busca de chegar o quanto antes à principal categoria do automobilismo mundial.

Ou seja, ao assistir a uma corrida desses pilotos, o Red Bull Junior Team considerou que fazia sentido investir neles. Até porque, se desse errado, era só dispensar logo depois – o que acontece bastante por lá…

Só que a Red Bull também já mostrou ter suas cartas na manga. Um bom exemplo foi ter apostado no americano Jak Crawford, que estava tendo relativo sucesso nas categorias do Road to Indy, recebeu uma chance na Europa, em 2020, e não decepcionou ao ser vice-campeão da F4 Alemã. Em 2022, ele é um dos favoritos ao título da F3.

E o que falar de Daniel Ricciardo? O australiano tinha começado a carreira correndo na Austrália, na Ásia e ainda era praticamente um desconhecido na Europa quando foi convidado a participar de uma seletiva para o Red Bull Junior Team no fim de 2007. Foi aprovado e descolou uma das principais vagas na F-Renault Eurocup no ano seguinte, iniciando sua trajetória que anos mais tarde o levaria à F1.

Richard Verschoor venceu uma corrida que os chefões do Red Bull Junior Team estavam assistindo e na etapa seguinte apareceu com o carro pintado nessas cores – foto: red bull content pool