Olha que boa notícia para quem acompanha os pilotos brasileiros que estão em busca de um dia chegar à F1. Rafael Câmara, de 16 anos de idade, é um dos quatro selecionados para a seletiva que acontece nesta semana em Maranello e pode valer uma vaga na Academia da Ferrari a partir de 2022.

A seletiva da Ferrari é disputada de uma maneira um pouco diferente das demais academias/junior team das equipes da F1.

Para participar, os jovens pilotos precisam ser indicados por algum dos parceiros da Academia da Ferrari ao redor do mundo. A fabricante de kart Tony Kart tem direito a uma vaga na seleção para alguma promessa do automobilismo europeu que use seu equipamento. A Escuderia Telmex aponta um representante das Américas, e o Motorsport Australia (órgão que chancela o automobilismo australiano) seleciona um nome de destaque da Ásia ou da Oceania. Por fim, a própria Ferrari pode convidar alguém em quem está de olho.

Câmara, assim, se garantiu ao ser indicado pela Escudería Telmex.

Sua presença na seletiva nem de longe é uma surpresa. O brasileiro foi um dos três kartistas que mais se destacaram ao longo de 2021, tendo sido campeão do WSK Super Master Series e vice do Europeu. Falta ainda o Mundial, marcado para o fim de outubro na Espanha.

Só que os outros dois competidores que dominaram a atual temporada do kart já fazem parte de algum time da F1, com Andrea Kimi Antonelli integrando a academia da Mercedes e Arvid Lindblad sendo apoiado pela Red Bull. Ou seja, o brasileiro é a última oportunidade de a Ferrari contar com um dos nomes mais promissores da atual geração em seu programa.

O que esperar de Rafael Câmara na seletiva da Academia da Ferrari?

Câmara, aliás, chega à seletiva credenciado pelos bons resultados nos treinos de F4 de que participou nas últimas semanas. Em um teste privado, no autódromo de Adria, na Itália, foi o mais rápido a bordo do carro da Prema. Na semana seguinte, guiou pela Cram em Monza, junto com o atual grid da F4 Italiana, liderou boa parte das sessões e foi o terceiro na soma dos tempos.

Como a Academia Ferrari vai colocar os pilotos da seletiva para andar de F4, nesse quesito o brasileiro estará bem adaptado.

O problema para ele é que o atual campeão da F4 Italiana, o britânico Ollie Bearman, também está entre os quatro convidados para a atividade em Maranello.

Bearman foi o grande nome das F4 em 2021 e pode ser tornar o primeiro piloto da história a ser campeão tanto do campeonato italiano quanto do alemão no mesmo ano. Isso depois de um 2020 promissor, de estreia nos monopostos, com vitória em ambas as categorias.

De um lado, o britânico pode ser considerado favorito à seletiva da Academia da Ferrari pelas 14 vitórias conquistadas na F4 em 2021 até agora e também por estar em seu segundo ano na modalidade. Do outro, pode ser uma faca de dois gumes. Bearman terá que lidar com uma pressão maior para ter um bom desempenho, enquanto todos esperam que Câmara ande tão bem quanto um competidor que está trocando o kartismo pelos carros de fórmula.

A eles se juntam o finlandês Tuukka Taponen, que também obteve bons resultados no kartismo neste ano, e o australiano Jesse Lacey.

Julia Ayoub e Antonella Bassani na seletiva da Academia da Ferrari

Lembrando que outra vaga na Academia da Ferrari 2022 será disputada por duas brasileiras: Julia Ayoub e Antonella Bassani estão entre as 14 selecionadas para a segunda fase do programa Girls on Track, que acontece na próxima semana.

No ano passado, elas chegaram à decisão em Maranello, mas acabaram derrotadas pela belga Maya Weug. Já a francesa Doriane Pin, a outra finalista, foi selecionada pelo programa Iron Dames e tem impressionado em provas de GT3 neste ano.

Antonalle Basssani, Seletiva, Girls on Track, 2021, Academia da Ferrari
A brasileira Antonella Bassani foi uma das quatro finalistas da seletiva Girls on Track que valia uma vaga na Academia da Ferrari em 2021 – foto: eversports/fia/divulgação