Andrea Dovizioso recebeu uma inesperada segunda chance na MotoGP em 2021. Depois de abandonar a categoria no fim do ano passado, para tirar um ano sabático, por não ter chegado a um acordo para renovar seu contrato com a Ducati, o italiano foi chamado para integrar a SRT, a equipe satélite da Yamaha.

Seu retorno ao campeonato mundial de motovelocidade só aconteceu porque Maverick Viñales, que até o ano passado parecia ser o líder da Yamaha na era pós-Valentino Rossi, teve seu contrato com a marca rompido repentinamente.

Viñales já tinha sido liberado do vínculo com a fabricante no fim deste ano (apesar de estar garantido no grid do ano que vem), mas acabou demitido ainda em meio ao campeonato por causa de uma polêmica manobra no Red Bull Ring, quando tentou estourar seu motor propositalmente por estar frustrado com a falta de desempenho na corrida austríaca.

Para o lugar de Viñales, a Yamaha promoveu Franco Morbidelli, que estava na SRT. É justamente na vaga que o italiano ocupava, como companheiro de Valentino Rossi, que Dovizioso entrou.

Andrea Dovizioso na equipe satélite da Yamaha em 2021

Ao menos por enquanto 2021 deve ser um ano perdido para o experiente competidor. Dovizioso, em seu retorno à MotoGP, não conta com apoio de fábrica. Nessas últimas etapa da temporada, ele terá à disposição um equipamento defasado. Tanto que em Misano terminou somente em 21º. Com a mesma moto, Garrett Gerloff foi 17º em Assen e Jake Dixon, 19º em Silverstone.

A situação, porém, pode melhorar em 2022. Dovizioso será um dos pilotos da nova equipe RNF, que substituirá a SRT como esquadra satélite da Yahama e, aí sim, contará com o equipamento de fábrica, o mais atualizado possível.

Assim, o ano que vem será fundamental para o italiano mostrar que ainda pode ser competitivo na MotoGP e, quem sabe, um dia voltar a lutar pelo título. Do contrário, comprovará que a saída da Ducati e o ano sabático na temporada 2021 foram um mau negócio para ele.

Você pode clicar aqui para ver os resultados completos da etapa de Misano da MotoGP, assim como os das principais categorias do automobilismo mundial no fim de semana.

Andrea Dovizioso, MotoGP, Ducati, 2020
Pela Ducati, Andrea Dovizioso foi três vezes vice-camepeão da MotoGP – foto: gold & goose/red bull content pool