Emerson Fittipaldi Jr. vive uma situação curiosa em 2021. De um lado, o filho do bicampeão da F1 pode ser o campeão da divisão destinada aos carros de F4 da F4 Dinamarquesa. De outro, deve acabar derrotado na classificação geral.

Essa confusão não é fácil de explicar. Em primeiro lugar, a F4 Dinamarquesa não é uma F4 oficial da FIA. A categoria é organizada segundo um regulamento próprio e, como consequência, não oferece aos primeiros colocados pontos para a superlicença.

São duas as principais diferenças da F4 Dinamarquesa para os campeonatos da FIA, como a F4 Inglesa e a F4 Italiana. A primeira é que pilotos com 14 anos de idade, como é o caso do brasileiro, podem competir. Nos outros campeonatos, é preciso completar 15 anos.

A segunda é que, para aumentar o grid, existe uma subcategoria chamada de F5. São antigos carros de F-Ford, mas adaptados com asas dianteira e traseira.

Aí que está a confusão. Fittipaldi lidera entre os pilotos da F4, mas está atrás de um competidor da F5 na classificação geral.

Mas isso pode acontecer? Ou os representantes de F4 deveriam estar sempre na frente?

O que é a F5 da F4 Dinamarquesa

De fato, os F4 deveriam ser a divisão principal. São equipamentos com motor que chega a 160 hp, possuem aerodinâmica refinada, construção mais recente, mas pesam ao menos 645 kg. Os F5 são mais antigos, podem alcançar até 145 hp, mas são bem mais leves, pesam ao menos 510 kg. Em algumas pistas, como Ring Djursland, os F5 podem, sim, levar alguma vantagem.

Em outras temporadas, os participantes da divisão F5 já tinham se mostrado competitivos, embora em 2021 seja a primeira vez que estejam levando a melhor contra os F4. Além de ter o líder na classificação geral, os representantes da F5 já venceram quatro das 12 provas realizadas.

Quem vem fazendo a diferença para a F5 é um piloto dinamarquês chamado Mads Hoe, que lidera a tabela. Trata-se de um veterano de 23 anos de idade que está na categoria desde que ela foi criada, em 2017. E, antes disso, ele já tinha acumulado experiência em campeonatos de F-Ford na própria Dinamarca.

Ou seja, por mais que o F5 não seja um equipamento tão bom quanto o F4, Hoe vem sobressaindo pela experiência acumulada, vencendo quando e possível e evitando se envolver em problemas. Das 12 provas realizadas, não abandonou nenhuma e só uma vez não foi ao pódio na classificação geral.

Com mais um triunfo neste fim de semana, em Padborg Park, ele soma 224 pontos, contra 163 de Fittipaldi (que também conquistou uma vitória em Padborg) e 136 de Jacob Bjerring, outro representante da F5.

Com 150 pontos ainda em jogo nas duas últimas etapas da temporada 2021 da F4 Dinamarquesa, tudo pode acontecer na classificação final, mas a vantagem de Hoe para o brasileiro é considerável. E assim podemos ver o filho de Emerson Fittipaldi ser o campeão entre os F4 da F4 Dinamarquesa, mas não o ganhador na classificação geral.

Você pode clicar aqui para ver os resultados completos da F4 Dinamarquesa 2021 em Padborg Park, assim como os das principais categorias do automobilismo mundial no fim de semana.

Na imagem abaixo, você pode comparar o F4, da Juju Noda, com o F5, de Mads Hoe.