Enquanto Toyota, Alpine e Glickenhaus estão duelando pela vitória na edição 2021 das 24 Horas de Le Mans, outras montadoras vão se preparando para as próximas temporadas tanto do WEC quanto da Imsa (quando a partir de 2023 haverá uma convergência dos regulamentos).

Uma delas é a Cadillac, que ainda não anunciou oficialmente a participação na nova geração dos protótipos da Imsa, chamados de LMDh.

Mas, antes mesmo da chegada do novo regulamento, a montadora americana deve passar por algumas mudanças para o campeonato de 2022.

Já se sabe que Kevin Magnussen não vai continuar na Ganassi e está de malas prontas para a Peugeot, que retorna ao WEC a partir do ano que vem, tendo construído um hipercarro.

Outro que também não deve seguir na marca é Felipe Nasr. O brasileiro tem propostas de Porsche e Ferrari para 2023 e deve se transferir para a fabricante alemã, cujos carros serão alinhados pela Penske.

A única dúvida é sobre quando Nasr deixará a Cadillac. Tanto Ferrari quanto Porsche só vão estrear seus protótipos em 2023, então haveria tempo para que ele ficasse por mais um ano na marca americana. Mas a permanência é complicada, porque as montadoras não costumam querer manter um piloto – e revelar os segredos do novo carro para ele – quando já se sabe que o competidor está de saída para uma rival.

Além disso, há incertezas sobre a continuidade da equipe Action Express (onde Nasr e Pipo Derani atualmente correm) na Imsa. Nas últimas semanas, houve um boato de que ela seria adquirida pela Hendrick, da Nascar, mas esse rumor tem sido negado por ambos os lados.

Mas já se sabe que a Ganassi é que assumirá o posto de equipe de fábrica da Cadillac, tanto na Imsa quanto no WEC, posto que hoje divide com a Action Express. E costuma ser muito difícil um time cliente vencer os que contam com apoio direto da montadora.

Por isso, ficar na Action Express pode não ser um bom negócio.

A Ganassi na Imsa 2022

Com a Ganassi expandindo para dois carros e ao menos duas vagas abertas com as saídas de Magnussen e Nasr, a Cadillac realizou no começo de agosto um teste para avaliar possíveis competidores.

Segundo o site da revista americana Racer, participaram da atividade Earl Bamber (bicampeão em Le Mans e que recentemente teve seu contrato rompido pela Porsche), Oliver Askew (que busca uma vaga na Indy) e Alex Lynn (da Mahindra, na Formula E).

A grande surpresa é Bamber, por se tratar de um piloto com quase dez anos de ligação com a Porsche e que poderia fazer parte dos planos da marca alemã (ou de alguma outra do Grupo Volkswagen).

E os nomes especulados também mostram como o mercado de pilotos nos protótipos terá forte concorrência nos próximos anos. Afinal, a Cadillac perde dois ex-F1 (Magnussen e Nasr) e pode ter dois jovens (Lynn e Askew) que ainda tentam se firmar como profissionais.

Você pode clicar aqui para ver os resultados completos das 24 Horas de Le Mans 2021, assim como os das principais categorias do automobilismo mundial no fim de semana.

A Hendrick é especulada na Imsa em 2022 comprando a Action Express – foto: richard prince/cadillac photo/divulgação