Considerada um fenômeno das pistas desde a infância, Juju Noda vai passando por um momento conturbado em sua carreira.

Ela foi desclassificada da primeira bateria da F4 Dinamarquesa 2021 ao se envolver em um acidente com Emerson Fittipaldi Jr. Na última volta da prova, ela retardou a freada na primeira curva para tentar ultrapassar o brasileiro, mas travou os pneus, e os dois se tocaram, com o filho de Emerson Fittipaldi abandonando ali mesmo (assista mais abaixo).

Como resultado, os comissários desclassificaram a pilota japonesa e consideraram que “ela não teve respeito pelo adversário” ao ir para o tudo ou nada no lance que culminou com o acidente.

Mas não foi nenhum erro gravíssimo de Noda, para falar a verdade. Já vimos inúmeras tentativas de ultrapassagem mal sucedidas no esporte a motor, que essa em si não chama a atenção. (Apesar de ter sido engraçado ver Emmo tirar satisfações com Hideki Noda, o pai da pilota, após a batida).

Só que os últimos meses da japonesa têm sido complicados, e o acidente com Fittipaldi acaba simbolizando essa má fase.

O primeiro solavanco aconteceu na seletiva do Girls on Track, que poderia valer uma vaga na Academia da Ferrari. Por toda expectativa que a cerca, Juju Noda era considerada uma das favoritas a ganhar a bolsa, mas ela nem sequer chegou à decisão do programa. Caiu nas semifinais e viu Maya Weug (que conquistaria o prêmio), Doriane Pin e as brasileiras Julia Ayoub e Antonella Bassani serem convidadas para a final em Maranello.

A rápida passagem de Juju Noda pelos EUA em 2021

Logo depois, a japonesa anunciou que ia se dedicar ao automobilismo americano em 2021, tendo fechado contrato com a equipe do ex-Indy Jay Howard para correr na F4 USA.

Sua passagem pelos EUA durou somente um campeonato de pré-temporada (onde ela não andou bem) e um treino livre da rodada de abertura, em Road Atlanta, (quando foi a mais rápida). Da noite para o dia, a pilota anunciou que estava abandonando o campeonato antes mesmo do treino que definiria o grid de largada. O motivo nunca foi divulgado.

Como forma de ser manter na ativa em 2021, Noda retornou à F4 Dinamarquesa, onde já havia corrido no ano passado.

Pela experiência já acumulada em 2020 e pelo talento que tem, ela é considerada a favorita ao título. Na rodada de abertura, em meados de maio, conquistou dois segundos lugares e esteve na briga pela vitória até o fim, mas acabou superada por um veterano piloto local chamado Mads Hoe, que corre com um equipamento denominado F5 (um antigo carro de F-Ford com asas dianteira e traseira).

Já na segunda etapa, neste fim de semana, ela foi superada por Fittipaldi na classificação e estava atrás do brasileiro até o momento do acidente.

Por um lado, pode ser que a pilota esteja começando a sentir a pressão. Afinal, desde sua infância, ela foi apontada como fenômeno, mas não está conseguindo os resultados que se espera dela. Por outro, a pilota já mostrou inúmeras vezes que tem muito talento e pode dar a volta por cima o quanto antes. Só resta ver se não será tarde demais, porque, enquanto os incidentes acontecem, Mads Hoe está disparando na liderança da F4 Dinamarquesa 2021.

Você pode clicar aqui para conferir os resultados completos da segunda etapa da F4 Dinamarquesa 2021, assim como os das principais categorias do automobilismo mundial no fim de semana.

E abaixo você confere o acidente entre Juju Noda e Emerson Fittipaldi Jr e os pais dos pilotos discutindo:

foto do topo: noda racing/divulgação