Maio é considerado o mês mais importante do ano para o automobilismo. É nele que acontece a disputa das 500 Milhas de Indianápolis, da Indy, do GP de Mônaco da F1 e das 600 Milhas de Charlotte, da Nascar.

Neste ano, as três provas não serão realizadas no mesmo dia, como vinha acontecendo nas últimas temporadas. Mas há um lado bom nisso: separadas, acabam ganhando ainda mais espaço.

E nas 500 Milhas de Indianápolis de 2021 três pilotos brasileiros vão em busca de tomar o tradicional leite dado ao ganhador. Confira quem são e o que esperar de cada um deles:

Tony Kanaan (Ganassi Honda – nº 48)

De certa forma, nem era para Kanaan disputar as 500 Milhas de Indianápolis de 2021. O veterano piloto baiano já havia anunciado sua aposentadoria da Indy, marcada para o fim do ano passado, mas acabou voltando atrás, ao dizer que não teve uma despedida como queria, já que a temporada de 2020 foi realizada sem público.

Tendo decidido permanecer na Indy, Kanaan assinou um contrato de duas temporada com a Ganassi para dividir o carro de número 48 com Jimmie Johnson. Enquanto o heptacampeão da Nascar corre anos circuitos mistos e de rua, o brasileiro é escalado nos ovais.

Mas se a temporada de Johnson até agora está sendo marcada pela mudança de ares e pela adaptação aos monopostos, Kanaan carrega mais responsabilidade. Afinal, ele foi contratado pela Ganassi com o objetivo de aumentar as chances de a equipe ser campeã das 500 Milhas.

A última vez que a escuderia levou a melhor na tradicional prova foi no já distante ano de 2012, com Dario Franchitti. Nos últimos anos, a esquadra estava dependendo somente de Scott Dixon, e quando o neozelandês enfrentava problemas, a Ganassi ficava sem chances de triunfo.

Para este ano, a expectativa é que o esquadrão formado por Dixon, Kanaan e por Álex Palou (além de Marcus Ericsson) possa fazer frente aos quatro carros da Penske e aos seis da Andretti.

Por enquanto tem dado certo. Dixon largará na pole, enquanto todos os seus companheiros estarão entre os nove primeiros do grid.


Helio Castroneves (Meyer Shank Honda – nº 06)

Após 20 anos defendendo a Penske, Castroneves chega às 500 Milhas de Indianápolis fazendo sua estreia pela Meyer Shank.

A escuderia tem obtido bons resultados com Jack Harvey, que neste ano esteve na luta pela vitória no misto de Indianápolis até enfrentar problemas e foi o quarto colocado em São Petersburgo.

Castroneves foi contratado para liderar a expansão da Meyer Shank para dois carros (também correrá em Nashville, na próxima visita da Indy ao misto de Indianápolis, em Portland e em Laguna Seca), além de melhorar o desempenho do time em ovais. Afinal, estamos falando do piloto que ganhou as 500 Milhas em 2001, 2002 e 2009.

Na busca pelo tetra, o principal trunfo de Castroneves é a parceria técnica que a Meyer Shank tem com a Andretti, esquadra que sempre é favorita em Indianápolis, com vitórias de Ryan Hunter-Reay, Takuma Sato e Alexander Rossi.

Além disso, o brasileiro chega em boa fase, tendo sido campeão da Imsa em 2020 (conquistando o primeiro título de sua carreira) e vencido as 24 Horas de Daytona no início deste ano.


Pietro Fittipaldi (Dale Coyne Honda – nº 51)

Assim como aconteceu na F1, no fim do ano passado, Fittipaldi está dividindo com Romain Grosjean o carro número 51 da Dale Coyne na Indy em 2021.

Na última etapa, no misto de Indianápolis, com esse mesmo equipamento, Grosjean largou na pole e estava na briga pela vitória até ser superado por Rinus VeeKay.

Fittipaldi, então, assumiu o veículo para a prova no oval e não vem fazendo feio. Classificou-se em 13º no grid (à frente de Takuma Sato, campeão do ano passado) e derrotou Scott McLaughlin, da Penske, na disputa para ver quem seria o melhor novato.

Se Kanaan e Castroneves chegam às 500 Milhas de olho na vitória, um bom objetivo para Fittipaldi pode ser ficar entre os dez primeiros. Na rodada dupla do Texas, o brasileiro estava justamente na luta pelo top-10 até perder algumas posições nas voltas finais e cruzar a linha de chegada em 13º. Na segunda corrida por lá, abandonou no engavetamento da largada.

Agora que você já sabe quem são os brasileiros nas 500 Milhas de Indianápolis, pode clicar aqui para ver os resultados completos da Indy, assim como os das demais principais categorias do automobilismo mundial no fim de semana.

Leia outros textos do especial Indy 500 2021:
> Indy 500 de 2021: é o fim da Tríplice Coroa?
> Quando a McLaren quase foi para a Indy nos anos 1980

foto do topo: RF1/divulgação

Tony Kanaan, Indy, 500 Milhas de Indianápolis, 2021, Ganassi
Tony Kanaan tem boas chances de vitória na edição 2021 da 500 Milhas de Indianápolis – foto: honda/divulgação