Após duas etapas sem a presença de nenhum piloto brasileiro, a Indy chega ao Texas com dois representantes do país no grid para a primeira rodada dupla de 2021: Tony Kanaan e Pietro Fittipaldi farão seus retornos à Ganassi e à Dale Coyne, respectivamente.

Além deles, o Brasil terá Helio Castroneves na categoria americana, mas sua estreia está marcada apenas para a sexta etapa do ano, as tradicionais 500 Milhas de Indianápolis.

Veja abaixo o que podemos esperar de Kanaan, Fittipaldi e Castroneves em 2021:

Tony Kanaan na Ganassi 2021

Kanaan retorna à escuderia que defendeu de 2014 a 2017, período em que passou longe de lutar pelo título. Sua volta à esquadra foi possível a partir da chegada de Jimmie Johnson à Indy. O heptacampeão da Nascar vai participar apenas das etapas em circuito misto e de rua, o que abriu espaço para outro piloto competir nos ovais.

O escolhido foi Kanaan. O brasileiro já tinha anunciado que 2020 seria seu último ano na Indy, mas mudou de ideia uma vez que não pôde ter a despedida que esperava por causa das arquibancadas vazias ao longo da temporada passada.

Mas não ache que Kanaan tenha sido contratado pela Ganassi para fazer figuração ou como uma recompensa pela carreira vitoriosa que ele teve.

O brasileiro foi trazido com o objetivo de aumentar as chances de a escuderia conquistar as 500 Milhas de Indianápolis, prova que não vence desde 2012, com Dario Franchitti.

Nos últimos anos, o time de Chip Ganassi dependia de Scott Dixon para ganhar a tradicional corrida. Assim, se o neozelandês enfrentasse qualquer tipo de problema, as chances acabavam. Agora, Kanaan, que continua andando muito forte em ovais, chega para aumentar a possibilidade de um triunfo. Fora que a esquadra vive boa fase, com Alex Palou tendo vencido em sua estreia pelo time em Barber.

Além das etapas em ovais da Indy, Kanaan disputa a Stock Car e a nova SRX, categoria criada por Tony Stewart em 2021. Ano cheio para ele.


Pietro Fittipaldi na Dale Coyne 2021

Fittipaldi retorna à Dale Coyne após ter disputado parte da temporada 2018 pela escuderia, em um ano no qual pretendia se dividir entre Indy, Super Formula e WEC, mas que acabou afastado das pistas na maior parte do tempo por causa de um grave acidente sofrido em Spa-Francorchamps.

Por coincidência, no Texas, o brasileiro assumirá o carro número 51 da escuderia, que foi guiado pelo ex-F1 Romain Grosjean nas duas primeiras etapas deste ano.

Para quem não lembra, Fittipaldi fez sua estreia na F1 no ano passado, pela Haas, justamente com um equipamento com o número 51 e também no lugar de Grosejan, que estava se recuperando daquele forte acidente no Bahrein.

O neto de Emerson Fittipaldi também terá um 2021 bastante movimentado. Além de participar das etapas em ovais, ele compete na ELMS e segue como reserva da Haas na F1.

Tendo passado boa parte da temporada passada fora das pistas, Fittipaldi tem como principal objetivo para este ano fazer sua carreira se firmar. Isto é, escolher a qual campeonato vai se dedicar e mostrar que tem condições de andar na frente com frequência.

Nisso, a Indy pode ser uma boa. Nas seis corridas que competiu em 2018, ele conseguiu resultados promissores como 11º posto em Gateway, mesmo largando no fim do grid, e um nono lugar em Portland. Isso tudo ainda se recuperando das lesões sofridas em Spa.


Helio Castroneves na Meyer Shank 2021

Castroneves nunca escondeu que preferia ter continuado na Indy quando a Penske, em 2018, decidiu transferi-lo para a Imsa.

No campeonato de provas de longa duração, o brasileiro demorou para se firmar, mas conquistou o título de 2020 – o primeiro de sua carreira – com direito a uma sequência de quatro vitórias e um segundo lugar nas últimas seis provas. A boa fase continuou no começo de 2021 com o primeiro lugar nas 24 Horas de Daytona.

Com a saída da Penske da Imsa, o brasileiro encerrou sua passagem de mais de 20 anos pela tradicional escuderia e colocou como foco para 2021 o retorno aos monopostos.

Deu certo. Ele fechou contrato com a Meyer Shank, equipe que, assim como ele, também vem da Imsa. Castroneves vai guiar o segundo carro da esquadra em seis provas, a maioria na segunda metade da temporada.

É que a equipe preferiu expandir para dois carros na Indy a passos de tartaruga, fazendo poucas corridas e avaliando o resultado delas. Tem dado certo. Com Jack Harvey, o outro titular, a estratégia foi a mesma, e o britânico vai se firmando como um dos mais promissores da categoria.

Castroneves, assim, terá como objetivo ajudar a construir a Meyer Shank, ao mesmo tempo em que poderá mostrar que pode andar bem mesmo longe do ambiente da Penske.

Seu principal trunfo será as 500 Milhas de Indianápolis, onde já ganhou três vezes, e a equipe de Michael Shank recebe suporte técnico da Andretti, sempre favorita na prova. Assim como Kanaan, Castroneves vai correr na SRX em 2021.

Você pode clicar aqui para ver os resultados completos da rodada dupla da Indy 2021 no Texas, assim como os das principais categorias do automobilismo mundial no fim de semana.

foto do topo: indycar/rf1/divulgação

Helio Castroneves vai correr na Indy 2021 pela Meyer Shank, que tem se destacado com Jack Harvey – foto: honda/divulgação