Pouco mais de dois meses atrás, quatro pilotas, de 14 a 16 anos de idade, chegaram a Maranello para disputar uma vaga na Academia da Ferrari pela seletiva Girls on Track, da FIA Na época, a holandesa Maya Weug sagrou-se vencedora. Agora, no começo de abril, todos os envolvidos no projeto já começam a colher os resultados.

Weug, por exemplo, garantida na Academia da Ferrari, assinou contrato para disputar a F4 Italiana 2021 pela equipe Iron Lynx, que foi uma das boas surpresas da temporada passada. Nos treinos de pré-temporada realizados até agora, a holandesa esteve na briga para ficar entre os 15 primeiros colocados, o que não deixa de ser um resultado promissor, uma vez que o grid da categoria reúne mais de 30 pilotos, e há muitos veteranos em 2021.

Não se assuste se você vir alguma notícia dizendo que Weug, na verdade, vai correr por um time chamado Iron Dames. Esse é o nome dado à iniciativa da FIA para promover a presença de pilotas no esporte a motor, e há escuderias chamadas assim no WEC, na ELMS e na Le Mans Cup.

Assim como acontece com Weug cna F4 Italiana, as Iron Dames, como as pilotas que fazem parte dessa iniciativa são conhecidas, correm em carros preparados pela Iron Lynx.

E quem acaba de ser contratada pelas Iron Dames é Doriane Pin, a francesa de 16 anos de idade que também disputou a seletiva em Maranello por uma vaga na Academia da Ferrari.

Ela vai tomar parte neste ano da Le Mans Cup, categoria que faz a preliminar da ELMS e também das 24 Horas de Le Mans. Pin (de azul na foto do topo) dividirá uma Ferrari 488 GT3 com a experiente italiana Manuela Gostner, uma das integrantes das Iron Dames desde o início do projeto em 2019.

Onde vão correr Julia Ayoub e Antonella Bassani

Das quatro pilotas que estiveram em Maranello, resta ver o que o futuro reserva para as brasileiras Julia Ayoub e Antonella Bassani. Elas estavam se preparando para fazer a transição para os monopostos, no começo de março, mas, como se sabe, o automobilismo está em suspenso no Brasil pelo momento em que estamos vivendo.

Será que elas seguirão o caminho de Weug e Pin e um dia correrão por equipes apoiadas pela FIA/Ferrari?

Para responder a essa pergunta, é preciso lembrar que há uma diferença entre Weug e Pin para as duas brasileiras: a idade. Enquanto as duas primeiras já completaram 16 anos de idade, Ayoub tem 15 e Bassani, somente 14. E muitos campeonatos exigem que os competidores tenham ao menos 16 anos.

Além disso, as duas brasileiras ainda podem participar da seletiva valendo a vaga na Academia da Ferrari neste ano. As inscrições foram abertas recentemente, e neste primeiro momento são as federações nacionais (como a CBA, no Brasil) que determinam quais pilotas tomarão parte do processo.

Ou seja, nada impede que as duas voltem a Maranello no fim do ano e busquem a vaga que escapou para 2021.

A Ferrari, aliás, está bem interessada na Seletiva Girls on Track. Tanto que o projeto teve o contrato renovado e acontecerá ao menos até 2023. Com isso, ao menos quatro pilotas poderão ingressar na Academia da Ferrari nesse período.

Maya Weug foi confirmada na F4 Italiana 2021 pela equipe Iron Lynx – fotos do post: iron dames