Confira neste post as fotos do novo carro da Williams para a temporada 2021 da F1, o FW43B, e o que esperar da equipe que foi a última colocada no ano passado:

Pilotos da Williams na F1 2021:
6 – Nicholas Latifi (CAN)
63 – George Russell (ING)

A Williams só não mudou de nome, mas a equipe que vai alinhar no GP do Bahrein, para a primeira etapa da temporada 2021 da F1, é muito diferente da que esteve no Red Bull Ring, no início do campeonato passado.

Por causa da crise econômica em razão do contexto global que estamos vivendo e também da falta de resultados dos últimos anos, a tradicional escuderia britânica foi vendida, em meados de 2020, para o Dorilton Capital, um grupo americano de investidores.

Como resultado, a família Williams deixou o time após o GP da Itália, e, pela primeira vez desde os anos 1960, não haverá nenhum representante da tradicional família de garagistas no paddock da F1.

Para o lugar deles, a esquadra promoveu Simon Roberts para a função de chefe de equipe e contratou Jost Capito, antigo homem-forte da Volkswagen no WRC, para o posto do CEO. Isso sem falar no retorno de Jenson Button à escuderia que o revelou para a F1, agora como consultor.

Com tantas mudanças na estrutura, fazia sentido manter a dupla de pilotos, formada por George Russell e por Nicholas Latifi, e apostar na continuidade como uma forma de tentar melhorar os resultados. Em 2020, pela primeira desde 1977, a escuderia terminou uma temporada da F1 sem pontuar.

Latifi é quem traz o dinheiro. Seu pai fez fortuna no ramo alimentício e é um dos homens mais ricos do mundo. Inclusive, já chegou a emprestar dinheiro para a esquadra no passado. Como a Williams está se recuperando de uma crise econômica, fazia todo sentido mantê-lo. Mas o canadense também já se mostrou um piloto bastante confiável para um pagante. Em ritmo de corrida, ele conseguiu acompanhar Russell no ano passado e chegou perto de pontuar, sendo o 11º no Red Bull Ring, em Monza e em Imola.

Já Russell teve um 2020 de altos e baixos. O britânico ficou conhecido por andar para trás nas corridas. Ele costumava passar para o Q2 sem maiores dificuldades, mas acabava as provas longe da zona de pontos. Seu melhor resultado pela Williams foi o 11º lugar em Mugello. Já seu momento inesquecível foi quando bateu sozinho, atrás do safety-car, em Imola, em uma prova que tinha todas as chances de pontuar.

Mas tudo mudou quando Russell foi chamado pela Mercedes para substituir Lewis Hamilton em Sakhir. Em sua estreia pelo time de fábrica, o britânico mostrou do que é capaz. Liderou os treinos livres, ultrapassou o companheiro de equipe, o experiente Valtteri Bottas, duas vezes e só não venceu porque a montadora germânica fez uma trapalhada nas paradas de boxes, e ele ainda sofreu com um pneu furado no fim da corrida. Ao menos pontuou.

Se houve continuidade na dupla de pilotos, o mesmo pode ser dito sobre o equipamento. O carro da Williams para a temporada 2021 da F1 é o FW43B, literalmente uma versão B do FW43 usado no ano passado. Como uma maneira de cortar custos, as escuderias tiveram bastante limitação no que podiam desenvolver para este ano, então a opção da escuderia inglesa foi manter a base e fazer mudanças pontuais.

Alguém pode questionar se essa era uma boa escolha depois da primeira temporada sem pontuar em mais de 40 anos.

Por exemplo, enquanto boa parte dos times do grid optou por um bico arredondado, seguindo a tendência iniciada pela Mercedes, a Williams manteve a peça em formato de “M”, com uma parte central mais densa e dois suportes na lateral mais grossos.

As principais mudanças foram feitas nos bargeboards (a peça que fica entre o sidepod e o eixo dianteiro; veja foto mais abaixo), nos sidepods e no assoalho, como um maneira de se adaptar às novas regras da F1 (que exigem o assoalho mais próximo dos carros) e também às necessidades da nova versão do motor da Mercedes.

Assim, a Williams montou toda a parte do radiador mais próxima do assoalho, o que deixou o sidepod ainda mais enxuto e com uma transição mais suave para a traseira do carro. Essa é uma maneira de aumentar o fluxo de ar para a parte de trás do equipamento, onde fica o difusor, e tentar compensar a downforce perdida pelas novas regras do assoalho.

PONTOS FORTES DA WILLIAMS 2021 NA F1

A chegada do Dorilton Capital promove certa estabilidade para a equipe britânica após anos de problemas econômicos e de necessidade de buscar pilotos pagantes (muitas vezes de qualidade duvidosa). Dessa maneira, o time foi capaz de manter Russell, que enfim mostrou por que é considerado um dos principais nomes do grid caso tenha um equipamento à sua altura.

A permanência do britânico se dá em função da parceira com a Mercedes. O propulsor alemão é considerado um dos melhores (ou o melhor) da F1, o que pode ajudar a Williams na tentativa de dar a volta por cima.

PONTOS FRACOS DA WILLIAMS 2021

O pouco tempo entre o fim da temporada passada e o começo de 2021 somado às limitações no desenvolvimento do carro não permitiu que a Williams fizesse grandes avanços no equipamento para. Para piorar, a expectativa é que equipes com o motor Ferrari, como Haas e Alfa Romeo, tenham um desempenho melhor nesta temporada, uma vez que os problemas com o propulsor italiano devam ser corrigidos.

Assim, Russell e Latifi devem enfrentar dificuldades em 2021, mesmo que a Williams tenha se organizado melhor na parte gerencial e administrativa.

Williams, FW43B, F1, 2021, Fórmula 1, F1, novos carros da F1 2021, Williams, novos carros da F1, FW43B, 2021
A lateral do FW43B, o novo carro da Williams para a temporada 2021 da F1, mostra um rake (altura da traseira) elevada e sidepods bem enxutos – foto: williams/divulgação
Williams, FW43B, F1, 2021, Fórmula 1, F1, novos carros da F1 2021, Williams, novos carros da F1, FW43B, 2021
A maior novidade do novo carro da Williams para a temporada 2021 da F1 acabou sendo a pintura – foto:
Williams, FW43B, F1, 2021, Fórmula 1, F1, novos carros da F1 2021, Williams, novos carros da F1, FW43B, 2021
A Williams é uma das poucas equipes da F1 2021 a ter o bico em formato de M em seu novo carro – foto: williams/divulgação
Williams, FW43B, F1, 2021, Fórmula 1, F1, novos carros da F1 2021, Williams, novos carros da F1, FW43B, 2021
Detalhe do bargeboard do novo carro da Williams para a temporada 2021 da F1, o FW43B – foto: williams/divulgação

Abaixo você pode clicar nos links em azul para ver sobre os novos carros da F1 2021:
> Red Bull RB16B
> Mercedes W12
> Ferrari SF21
McLaren MCL35M
AlphaTauri AT02
Alfa Romeo C41
> Alpine A521
> Haas VF-21
> Aston Martin AMR21