Um dos (muitos) defeitos que a F1 tem é que, em comparação a outras categorias (principalmente as americanas), ela dá pouco destaque para seus novatos. Os pilotos levam anos para chegar ao certame e, quando finalmente estão lá, são poucos divulgados.

Por isso, quando criei o World of Motorsport, em 2010, me inspirei nos esportes americanos para montar um sistema de pontuação para analisar o desempenho dos estreantes na F1.

Nesse sistema que eu criei, após cada GP, tenho pontuado os competidores que estão no primeiro ano no campeonato no clássico formato 10-6-4-3-2-1, que foi usado pela F1 na década de 1990, além de dar bônus a eles para cada ponto que marcassem na temporada normal.

Explicando: um piloto que chegar em nono em uma corrida e ser o mais bem classificado entre os calouros, por exemplo, leva 12 pontos: dez referentes à liderança entre os novatos e mais dois pelo nono posto.

Em 2020, tivemos uma situação bastante atípica, afinal, por quase toda a temporada houve somente um estreante: Nicholas Latifi, da Williams. Ele só teve companhia nas duas últimas etapas, quando Pietro Fittipaldi fez sua estreia na F1 pela Haas e Jack Aitken entrou na vaga que era de George Russell, em Sakhir, quando Lewis Hamilton foi vetado pelos médicos de participar da corrida.

Assim, não é nenhuma surpresa que Latifi foi o ganhador do World of Motorsport Rookie of The Year de 2020.

Talvez tenha sido mais inesperado ele não ter quebrado o recorde de pontuação, mesmo tendo sido o único novato participando. Ele somou 164 pontos (confira a tabela completa mais abaixo) e ficou longe dos 259 obtidos por Alexander Albon no ano passado.

Mas como Latifi terminou tão atrás se não teve concorrência? O canadense da Williams foi o melhor estreante em 16 das 17 provas realizadas (abandonou em Sakhir, justamente quando teve adversários), mas em nenhum momento ele pontuou na classificação da F1. Ou seja, constantemente levou os 10 pontos por ser o melhor calouro, mas jamais garantiu os bônus dados a quem termina no top-10 de uma prova.

Para ser justo, ele bateu na trave algumas vezes. Foi o 11º no Red Bull Ring, em Monza e em Imola. Tivesse um pouquinho mais de sorte e teria pontuado nessas provas. Mas nada que pudesse fazer frente ao recorde estabelecido por Albon.

Honda, AlphaTauri, Yuki Tsunoda, F1, Fórmula 1, 2021, novato do ano
Yuki Tsunoda já aparece como o favorito para ser o novato da F1 em 2021 - foto: honda/divulgação

Mas, como já escrevi aqui muitas vezes, nem sempre é uma boa vencer o World of Motorsport Rookie of The Year.

Vitaly Petrov (campeão de 2010), Paul di Resta (2011), Jean-Éric Vergne (2012)Esteban Gutiérrez (2013) e Jolyon Palmer (2016) não estão mais na F1. Kevin Magnussen (2014) também está deixando a principal categoria do automobilismo mundial e correrá pela Ganassi, na Imsa, no próximo ano.

E o que falar de Albon? De novato recordista em um ano para afastado pela Red Bull no outro. É, Latifi, melhor você abrir o olho…

Desde que comecei a avaliar os novatos da F1, somente três, seja pelo talento, seja pelo dinheiro, se estabeleceram no campeonato: Max Verstappen foi o vencedor do prêmio de 2015, Lance Stroll ficou em primeiro em 2017 e Charles Leclerc levou a melhor em 2018.

Se em 2020 não houve uma briga de verdade pelo Rookie of The Year, a expectativa é melhor para o ano que vem. É quando Mick Schumacher, Nikita Mazepin e Yuki Tsunoda estrearão na principal categoria do automobilismo mundial. Resta ver se a Haas dará uma equipamento mais competitivo a seus pilotos ou se o nipônico da AlphaTauri será o favorito absoluto ao prêmio.

Por fim, vale um parêntese. Se Pietro Fittipaldi um dia for disputar a temporada completa da F1, ele será considerado um novato pelas regras que criei. Participar de dois GPs no ano o deixará melhor preparado que seus eventuais adversários, mas não o suficiente para dar a ele uma vantagem muito significativa.

Confira abaixo a pontuação etapa por etapa do Rookie of the Year (clique na imagem para aumentar, se necessário):

foto do topo: alberto-g-rovi/own work/CC BY 3.0

Confira os outros textos do especial de fim de ano:
> 5 jovens promessas para ficar de olho em 2021
> Os melhores de 2020 no automobilismo mundial
> As vitórias do Brasil em 2020 no automobilismo
As Agendas da velocidade de 2020
> Quiz Autosport 2020
> 11 anos de World of Motorsport