Com Sergio Pérez como novo companheiro de Max Verstappen na Red Bull, o grid da F1 para a temporada 2021 está quase completo. Falta só o anúncio da provável renovação de Lewis Hamilton com a Mercedes, com a equipe já tendo dito que é questão de tempo para o negócio ser fechado.

Os acordos para correr na principal categoria do automobilismo mundial são o primeiro passo de um complexo mercado de pilotos, que costuma envolver nomes de quase uma dezenas de categorias.

Para 2021, não foi diferente, as saídas de Alex Albon, Daniil Kvyat, Romain Grosejan e Kevin Magnussen não só permitiram a chegada de Nikita Mazepin, Mick Schumacher e Yuki Tsunoda, além do retorno de Fernando Alonso, mas também tiveram impacto na Indy, na Imsa e, é claro, na F2 e na F3.

Confira abaixo um resumo do mercado de pilotos envolvendo as vagas da F1 2021:

Fernando Alonso volta à F1

Alexander Albon -> reserva Red Bull
Sergio Pérez -> Red Bull
Sebastian Vettel -> Aston Martin F1
Carlos Sainz -> Ferrari
Daniel Ricciardo -> McLaren
Fernando Alonso -> Renault (Alpine)
Juan Pablo Montoya -> McLaren (Indy 500 somente)

A principal “dança das cadeiras” da F1 para 2021 envolveu praticamente apenas pilotos da própria categoria. O estopim foi a saída de Sebastian Vettel da Ferrari, que não teve seu contrato renovado após seis anos.

Para o lugar do alemão, a escuderia italiana contratou Carlos Sainz, liberando uma das vagas na Mclaren para Daniel Ricciardo e, consequentemente, promovendo o retorno de Fernando Alonso à F1, que teve dois anos sabáticos, na Alpine.

A última peça no dominó foi a confirmação de Sergio Pérez, ganhador do GP de Sakhir de forma surpreendente, como novo parceiro de Max Verstappen, na Red Bull.

Uma curiosidade é que a McLaren aparece duas vezes nesse vai-e-vem: primeiro, com a troca de Sainz por Ricciardo e, segundo, com Juan Pablo Montoya assumindo o terceiro carro da equipe na Indy, inscrito apenas nas 500 Milhas de Indianápolis.

Yuki Tsunoda mexe com a F2 2021

Daniil Kvyat – > ?
Yuki Tsunoda -> Alpha Tauri
Dan Ticktum -> Carlin F2
Marcus Armstrong -> Dams F2
Theo Pourchaire -> ART F2
? -> ART F3

A ida de Yuki Tsunoda para a AlphaTauri, a equipe satélite da Red Bull, vai acabar mexendo bastante com o grid da F2. Para a vaga que ele ocupava na Carlin na categoria de acesso, o mais cotado é o polêmico Dan Ticktum, que estava na Dams.

Marcus Armstrong, da Academia da Ferrari, é o favorito para substituir o britânico na equipe francesa, e Theo Pourchaire subirá da F3 para a F2, permanecendo na ART. Quem vai correr na ART na F3 ainda não está definido, mas Caio Collet está entre os mais cotados neste momento.

Kevin Magnussen na Ganassi

Kevin Magnussen -> Ganassi (Imsa)
Nikita Mazepin -> Haas
Juri Vips e Liam Lawson -> Hitech F2
Igor Fraga -> Hitech F3
? -> Charouz F3

Nikita Mazepin subiu para a F1 trazendo uma fortuna para a Haas e impactando ao menos quatro categorias. Ele entra no lugar de Kevin Magnussen, que deixa o time americano após quatro temporadas e, a partir de 2021, vai andar na Imsa, pela Ganassi.

Sua antiga vaga na Hitech, na F2, deve ir para Juri Vips e para Liam Lawson (uma vez que Luca Ghiotto também deve deixar o time britânico), parceiros no Red Bull Junior Team. Os dois, porém, ainda não foram anunciados oficialmente. Enquanto Vips não disputou nenhuma temporada completa em 2020, Lawson sobe da F3, na qual conquistou três vitórias. Seu posto será ocupado por Igor Fraga, seu antigo rival na época da Toyota Racing Series.

O brasileiro ia competir pela Hitech na última corrida da temporada 2020, mas foi impedido pela Charouz, sua equipe no restante da temporada. A estreia na casa nova veio nos treinos coletivos de pós-temporada, quando Fraga liderou uma das sessões.

Mick Schumacher chega à F1

Romain Grosjean -> ?
Mick Schumacher -> Haas
Oscar Piastri -> Prema F2
Dennis Hauger e Arthur Leclerc -> Prema F3
David Vidales -> Prema F-Alpine
? -> JD F-Alpine

Era questão de tempo para que Mick Schumacher estreasse na F1. E em 2021 ele vai correr na Haas, na vaga que era de Romain Grosjean. O francês, aliás, era especulado na Foyt, na Indy, mas ele não deve confirmar tão cedo seus planos para o próximo ano, em virtude do grave acidente que sofreu no GP do Bahrein.

Para a vaga de Mick, a Prema promoveu Oscar Piastri, campeão da F3 em 2020. Por enquanto, apenas Arthur Leclerc está confirmado como um dos substitutos do australiano. A imprensa internacional aponta Dennis Hauger, que estava na Hitech, como outro futuro contratado da escuderia.

E um dos pilotos que vai disputar pela Prema a F-Alpine (fusão entre a F-Regional e a F-Renault Eurocup) em 2021 será David Vidales, espanhol considerado um fenômeno das pistas e que ganhou logo em sua estreia nos monopostos neste ano.

Agora que você conhece as principais movimentações no grid, pode clicar aqui para conferir quem serão os pilotos na F1 em 2021.

foto do topo: honda racing f1/divulgação

Mick Schumacher, F1, Fórmula 1, Haas, 2021
A chegada de Mick Schumacher é uma das grandes novidades da F1 em 2021 – foto: haas