A Toyota Racing Series sempre se aproveitou de ser o primeiro campeonato do ano para atrair pilotos. Era a oportunidade de os jovens se destacarem na Nova Zelândia, em janeiro e em fevereiro, enquanto o automobilismo europeu estava de férias por causa do inverno congelante no hemisfério norte e da proibição de testes privados nessa época do ano.

Mas a categoria tem enfrentado problemas para organizar a temporada de 2021. O primeiro é que a Nova Zelândia é um dos países com medidas mais rígidas, durante a pandemia, para quem chega de outros países. Além de encontrar as fronteiras fechadas, os viajantes ainda precisam se submeter a 14 dias de quarentena obrigatória.

Tudo porque o país foi um dos primeiros a conseguir controlar o vírus e passou os últimos meses com uma rotina praticamente normal, sem máscaras nem distanciamento social.

O outro é a concorrência com a F3 Asiática, que alinha o mesmo equipamento de F3 – portanto, concorre para atrair os mesmos pilotos -, e no ano que vem realizará todas suas etapas em Dubai e em Abu Dhabi, onde não há tantas restrições para a chegada de estrangeiros e ainda é muito mais perto da Europa.

Para acirrar essa concorrência, a F3 Asiática distribui pontos na superlicença e ainda montou um calendário nos antigos moldes da TRS: serão cinco rodadas triplas, entre o fim de janeiro e o início de fevereiro, em cinco fins de semana consecutivos.

O contra-ataque da TRS veio com medidas bastante criativas.

Quem vai correr na Toyota Racing Series 2021

Primeiro, a categoria anunciou que a temporada 2021 será disputada em apenas três fins de semana, diminuindo os custos para participação.

O objetivo é atrair competidores da própria Nova Zelândia, que não têm o mesmo orçamento da estrelas das categorias de base da Europa. A lição veio de 2018, quando a TRS, em um período de transição no comando do campeonato, teve um grid bastante enxuto e precisou apostar em pilotos da casa para completar o pelotão.

Em segundo lugar, decidiu que o tradicional GP da Nova Zelândia será realizado na primeira rodada da próxima temporada, não mais na que encerra, como vinha acontecendo nos últimos anos.

O GP ainda foi transformado em um “desafio das estrelas”, que terá a participação de pilotos neozelandeses famosos. Entre os confirmados estão Ken Smith, de 79 anos de idade, um dos nomes mais conhecidos no país, e Chris van der Drift, com passagem pelo automobilismo europeu e pelo asiático nos últimos anos.

Campeão da Supercars, da Austrália, em 2016, Shane van Gisbergen também já assinou para correr no GP da Nova Zelândia, mas sua presença ainda não está confirmada. Tudo vai depender da data em que ele precisará voltar ao território australiano para cumprir a quarentena obrigatória por lá antes do início do campeoanto da Supercars.

E talvez a notícia mais surpreendente até agora tenha sido a volta da equipe Tasman, a mesma pela qual André Ribeiro e Tony Kanaan correram na Indy há cerca de 25 anos. O time alinhará um carro para Van der Drift com um layout bastante parecido com o de Ribeiro na década de 1990.

Por fim, a organização da Toyota Racing Series conseguiu do governo neozelandês a permissão para que pilotos estrangeiros possam entrar no país e correr. Eles ainda precisarão passar pela quarentena obrigatória, mas não haverá nenhum outro impedimento burocrático. Só resta ver se haverá interessados, uma vez que a F3 Asiática oferece um pacote melhor neste momento.

Com poucos pilotos confirmados até agora, ainda resta dúvidas sobre se a TRS terá um grid competitivo em 2021. Mas o campeonato ter conseguido sobreviver em um momento tão difícil é uma ótima notícia. Afinal, do atual grid da F1, Lando Norris, Lance Stroll, Nikita Mazepin e Yuki Tsunoda correram por lá. Já os dois últimos campeões do certame, Liam Lawson e Igor Fraga, acabaram, logo em seguida, contratados pelo Red Bull Junior Team.

E a expectativa é que a categoria possa continuar por muitos anos revelando novos talentos do automobilismo mundial.

Você pode clicar aqui para ver como o grid da Toyota Racing Series 2021 está sendo formado.

foto Igor Fraga
Igor Fraga é o atual campeão da Toyota Racing Series – foto: toyota racing/divulgação