Tony Kanaan, Indy, Ganassi

As diferenças entre Tony Kanaan e Sergio Sette Câmara

Em menos de cinco dias, dois pilotos brasileiros confirmaram onde vão correr em 2021: primeiro foi a vez de Sergio Sette Câmara, que assinou com a Dragon/Penske para a próxima temporada da Formula E. E agora foi a vez de Tony Kanaan acertar seu retorno à Ganassi para dividir o carro número 48 com Jimmie Johnson e participar das provas em ovais da Indy.

Sette Câmara e Kanaan fazem parte dos dois extremos da vida de qualquer piloto.

O primeiro acaba de fechar seu primeiro contrato profissional depois de mostrar muito potencial nas categorias de acesso. O segundo até já tinha planejado se aposentar da Indy no fim da última temporada. Mas acabou mudando de ideia ao considerar ter sido prejudicado pela pandemia.

É sempre curioso quando um piloto decide se aposentar, e acaba voltando atrás logo depois. Histórias como essa são bastante comuns no automobilismo. Mas o caso de Kanaan é um pouco diferente.

Digamos que o brasileiro vai continuar correndo por um motivo de força maior: ele queria uma despedida para valer, com seus fãs nos circuitos, mas o último campeonato da Indy foi realizado praticamente com portões fechados como consequência da pandemia.

E é muito justo que um dos três pilotos brasileiros até hoje a já ter sido campeão da Indy e também a vencer as 500 Milhas de Indianápolis tenha o direito de pendurar o capacete da maneira como quiser.

Ainda mais que agora ele terá na Ganassi um equipamento muito mais competitivo que o da Foyt, onde esteve nas últimas temporadas.

Com Kanaan confirmado nas quatro etapas em ovais em 2021, ao menos nove provas da Indy no ano que vem terão pilotos brasileiros. Helio Castroneves vai andar pela Meyer Shank em seis corridas – e ambos estarão nas 500 Milhas de Indianápolis.

Mais brasileiros na Indy em 2021?

Por outro lado, alguém pode argumentar que depois de mais de 20 anos o Brasil continua dependendo de Kanaan e Castroneves para ter alguma continuidade na Indy.

É verdade. Nenhum outro piloto brasileiro conseguiu se firmar por lá nesse período. Por isso a expectativa é que a partir de agora a gente veja mais jovens, como Sergio Sette Câmara, enfim chegando às principais categorias do automobilismo mundial. Até porque Castroneves e Kanaan não vão correr para sempre.

Isso sem falar que o grid da Indy pode ganhar mais um representante do país para 2021: Felipe Nasr. O brasileiro tinha um acordo para correr pela Carlin nas etapas de 2020 em que não houvesse choque de datas com a Imsa, mas o plano foi abortado por causa da pandemia.

Agora a expectativa é que ele possa retornar aos monopostos no ano que vem. E, quem sabe, dando início à renovação dos representantes do Brasil na Indy.

Você pode clicar aqui para conferir como o grid para a temporada 2021 da Indy está tomando forma.

foto do topo: scott r. lepage/lat/chevy racing/divulgação

foto de Sergio Sette Câmara
Sergio Sette Câmara vai correr pela Dragon/Penske na Formula E em 2021 – foto: geoxdragon/quick/divulgação

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s