Charles Leong, Macau, 2020, GP de Macau, F4, Fórmula 4

O GP de Macau de F4 de 2020

Não foi um GP de Macau como a gente está acostumado. Por causa da pandemia, a corrida realizada no fim de semana no Circuito da Guia foi bem diferente dos últimos anos.

Em primeiro lugar, os carros de F3 deram lugar aos de F4. E, em segundo, praticamente não houve a presença de pilotos estrangeiros.

Não que os nomes de fora da China estivessem proibidos de competir. Mas com a quarentena obrigatória para quem chegasse de outros países e com pouco apoio de patrocinadores – afinal, o turismo, muito afetado pela covid, é uma das principais fontes de Macau – não houve incentivos para a participação de estrangeiros.

Assim, o único representante de outro país em 2020 foi o britânico Robert Huff, bancado pela MG da China, que correu na prova para carros TCR.

Como foi o GP de Macau de F4

Já, no GP, dois pilotos de Macau eram as principais atrações da corrida. Ambos tentavam repetir André Couto, até então o único representante do antigo enclave português a já ter triunfado no Circuito da Guia.

O primeiro é Charles Leong, campeão da versão asiática da F-Renault, em 2017, e que nos últimos anos ensaiou uma transição para o automobilismo europeu, mas que nunca saiu do papel. O outro, Andy Chang, conquistou bons resultados na sua época do kartismo, no começo da década passada, mas não conseguiu repeti-los quando fez a transição para os monopostos ao estrear logo em uma F3.

Por um lado, eles tinham a vantagem de já terem experiência no próprio traçado de Macau. Por outro lado, eram praticamente estreantes na F4, enquanto os demais competidores estavam disputando a temporada 2020 da versão chinesa do certame.

Mesmo assim, a experiência dos dois falou mais alto, e a dupla de Macau fez a dobradinha no GP, com Leong recebendo a bandeira quadriculada na frente.

Aliás, entre os favoritos para as três principais corridas deste ano – F4, GT3 e TCR -, ele foi o único a levar a melhor.

No TCR, Huff de fato cruzou a linha de chegada em primeiro, mas acabou punido em 30s por ter causado o acidente que resultou no abandono de Ma Qing Hua (ex-Formula E e WTCR). Com os dois principais nomes fora da briga, o triunfo ficou com Zhang Zhi Qiang, companheiro de Ma na Lynk & Co.

E no GT3 as expectativas estavam voltadas para o veterano Daryll O’Young, com ampla experiência internacional e que costumava disputar a corrida de Macau quando ela era aberta a estrangeiros. Só que uma punição na corrida de classificação o jogou para fora do top-10 no grid, e o piloto de Hong Kong só conseguiu se recuperar até o quarto posto. A primeira colocação foi de HongLi Ye, que chegou a correr de Euroformula Open no começo da carreira e estava defendendo a Mercedes.

Outro lado bom do fim de semana foi ver que as corridas em Macau puderam ser realizadas mesmo durante a pandemia. Circuitos de rua costumam ser os mais afetados porque dependem do público pagando ingresso para acontecer, além de causarem aglomerações, mas o GP acabou acontecendo normalmente por lá.

Agora fica a expectativa para que a corrida em 2021 possa voltar a atrair alguns dos principais nomes do automobilismo internacional.

Você pode clicar aqui para ver os resultados completos do GP de Macau de 2020, assim como os das principais categorias do automobilismo mundial no fim de semana.

Rob Huff, Macau, GP de Macau, 2020, MG, TCR
Rob Huff, da MG, foi o único estrangeiro em Macau em 2020 – fotos do post: macau/gcs

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s