Caio Collet acaba de encerrar a temporada 2020 da F-Renault Eurocup deixando a impressão de que poderia ter ido ainda melhor que o vice-campeonato conquistado. Tudo por causa de dois abandonos na reta final, que custaram suas chances de título.

O primeiro, em Imola, aconteceu enquanto o brasileiro buscava ultrapassar Victor Martins na luta pela primeira colocação. Outro competidor, o espanhol David Vidales, perdeu o controle do carro, deslizou na freada até acertar Collet, tirando o brasileiro da disputa.

O segundo, na verdade, foram duas quebras mecânicas em Hockenheimring, tanto antes da classificação, que o relegou à oitava posição do grid, quanto durante a corrida do domingo.

Nessas duas provas em que Collet não completou, Martins, que ficou com o título, somou 43 pontos, diante de nenhum do brasileiro. No fim da temporada, a diferença entre eles foi de 44. Ou seja, foram justamente os abandonos que tiraram Collet da briga pela taça. Não estou dizendo que, sem esses problemas, ele teria sido campeão, mas que esse foi um dos pontos que decidiram a disputa.

Outro foi o desempenho em classificações. O brasileiro perdeu de Martins tanto no número de poles conquistadas ao longo da temporada (10×3 para o francês) quanto em posição média de largada (3,2 contra 1,9).

2020 positivo para Caio Collet

Ainda assim, Collet tem bons motivos para celebrar. O vice-campeonato significou o melhor resultado de um piloto brasileiro na F-Renault Eurocup desde o título de Augusto Farfus, em 2001.

Além disso, o brasileiro tem como empresário Nicolas Todt, o mesmo que cuida da carreira de Charles Leclerc, Felipe Massa, entre outros. Isso significa que o jovem piloto deverá ter acesso a equipamento de escuderias de ponta quando der o próximo passo da sua carreira.

Aliás, uma reportagem da mídia britânica, publicada na última semana, disse que o piloto é disputado por Prema e ART, as duas melhoras escuderias da F3, para 2021 e deverá correr por uma delas, apesar de nada estar assinado ainda.

Assim, a ideia é que ele possa repetir Oscar Piastri, australiano que, assim como o brasileiro, integra a academia de jovens pilotos da Renault e que saiu da F-Renault Eurocup, em 2019, direto para o título da F3 neste ano.

Você pode clicar aqui para ver os resultados completos de Caio Collet na última etapa da F-Renault Eurocup em 2020, assim como os das principais categorias do automobilismo mundial no fim de semana.

Caio Collet, F-Renault, Fórmula Renault, Eurocup, 2020
Caio Collet conquistou cinco vitórias na temporada 2020 da F-Renault Eurocup – fotos do post: renault sport dppi/fgcom/divulgação