Cinco pilotos brasileiros vão disputar as 12 Horas de Sebring, corrida que marca o encerramento da temporada 2020 da Imsa – e também das principais categorias do automobilismo americano no ano.

Tradicionalmente, essa prova acontece no mês de março, mas neste ano acabou adiada por oito meses em função da pandemia do coronavírus.

Assim, a corrida ganhou ares mais dramáticos, uma vez que pela primeira vez o título vai estar em jogo por lá.

Confira abaixo quem são os brasileiros nas 12 Horas de Sebring de 2020, incluindo os que estão na luta para ficar com a taça da Imsa:

Os brasileiros nas 12 Horas de Sebring

Helio Castroneves (Acura Penske nº 7): É o fim de uma era. Nesse clima que o brasileiro vai disputar as 12 Horas de Sebring neste fim de semana. Esta será sua última corrida pela Penske, equipe que defende desde o ano 2000.

Para o ano que vem, a Penske já anunciou que não fica na Imsa e autorizou seus pilotos a procurarem outro lugar para correr. Castroneves, então, acertou com a Meyer Shank para voltar à Indy em 2021 e tomar parte de seis provas, e é possível que guie pela escuderia nas corridas de longa duração na Imsa.

E sua despedida da Penske pode ser em grande estilo. Afinal, Helio é o líder da tabela da Imsa com dois pontos de vantagem para a dupla da WTR, formada por Ryan Briscoe e por Renger van der Zande.

Na etapa realizada em Sebring em julho, logo que a Imsa voltou da pausa provocada pela pandemia, Castroneves e Ricky Taylor, com quem divide o carro da Penske, não foram bem, fechando em sétimo. Mas desde então eles ganharam em Road America, Road Atlanta, Mid-Ohio e Laguna Seca e foram segundo colocados na Petit Le Mans, subindo na tabela.


Pipo Derani (Action Express Cadillac nº 31): de contrato renovado para a próxima temporada da Imsa, Pipo pode entrar para a história caso ganhe as 12 Horas de Sebring. Ele pode chegar a quatro vitórias na carreira na tradicional prova, igualando o desempenho de Allan McNish e Frank Biela, apontado como alguns dos melhores pilotos de corridas de longa duração.

E há bons motivos para o brasileiro ficar otimista. É que ele também triunfou na corrida deste ano em Sebring, que foi disputada assim que a Imsa voltou da pausa provocada pela pandemia.

Além de perseguir o tetra nas 12 Horas, Derani disputa o título. Ele soma 233 e precisa tirar uma diferença de nove pontos para Castroneves e Ricky Taylor, o que equivale a vencer a corrida e torcer para os adversários não fecharem no top-5.

Nas corridas de longa duração, o brasileiro também acumula uma vitória nas 24 Horas de Daytona e outra na Petit Le Mans.


Felipe Nasr (Action Express Cadillac nº 31): dessa vez, o ex-piloto de F1 chega às 12 Horas de Sebring como um coadjuvante. É que, apesar de dividir o carro da equipe Action Express com Pipo Derani, Nasr não tem chances de ser campeão.

O motivo é que ele ficou de fora da corrida em Daytona, realizada assim que a Imsa voltou da pausa da pandemia, porque na época tinha contraído a covid-19. E, como ele corre em dupla com Derani, jamais conseguiria ultrapassar o companheiro.

Em sua carreira, Nasr já ganhou as 12 Horas de Sebring no ano passado, temporada em que também trinfou na Petit Le Mans. E, em 2018, foi campeão da Imsa.

Para 2021, o brasileiro renovou o contrato com a Action Express, mas pode ser que acabe aparecendo em algumas corridas da Indy, pela Carlin. O plano era disputar os dois campeonatos em 2020, mas acabou indo por água abaixo quando a pandemia modificou as agendas de ambas as categorias, causando inúmeros choques de data.


Matheus Leist (JDC Miller Cadillac nº 85): a transição do jovem piloto brasileiro da Indy para a Imsa em 2020 não foi boa. Correndo pela equipe JDC-Miller, a única que não tem apoio direto de alguma montadora, ele participou de quatro corridas até agora e fechou três delas em oitavo – na última posição da divisão DPi.

Sebring pode ser a última chance de mostrar resultado.

Ele ainda não está garantindo para o ano que vem na categoria. A JDC-Miller só confirmou um carro até agora, com o trio francês formado por Loïc Duval, Tristan Vautier e Sebastien Bourdais. Com a diferença que Duval agora será um dos titulares, uma vez que Bourdais retornará à Indy, pela Foyt.


Augusto Farfus (RLL BMW nº 24): Farfus, como sempre, é o brasileiro do grid com maior experiência nas corridas de longa duração. Pela BMW, já venceu as 24 Horas de Nurburgring, em 2010, e a Copa do Mundo de carros GT, em Macau, há dois anos. Em 2019 e em 2020, levou a melhor na divisão GTD nas 24 Horas de Daytona.

O brasileiro teve um 2020 bastante cheio, tomando parte das principais provas do endurance, como as 24 Horas de Daytona, Nurburgring, Spa-Francorchamps e até de Le Mans, quando fez sua estreia pela Aston Martin.

Em meio a tudo isso, ainda foi o piloto de testes da Hyundai, no eTCR, categoria de turismo para carros elétricos. A expectativa é que em 2021 ele continue se dividindo entre a BMW e o eTCR, cuja estreia está prevista para o começo do ano que vem.

Agora que você conhece quem são os pilotos brasileiros nas 12 Horas de Sebring de 2020 pode clicar aqui para ver os resultados completos da etapa, assim como os das principais categorias do automobilismo mundial no fim de semana.

foto do topo: brian cleary/fgcom/divulgação

12 Horas de Sebring, 12h Sebring, pilotos brasileiros, Imsa, 2020, Felipe Nasr, Pipo Derani, Matheus Leist, Helio Castroneves, Augusto Farfus
Confira quem são os cinco pilotos brasileiros na disputa das 12 Horas de Sebring da temporada 2020 da Imsa – imagem: andy blackmore
12 Horas de Sebring, 12h Sebring, pilotos brasileiros, Imsa, 2020, Felipe Nasr, Pipo Derani, Matheus Leist, Helio Castroneves, Augusto Farfus
Os demais carros das 12 Horas de Sebring 2020 – imagem: andy blackmore