Lance Stroll vinha fazendo uma temporada 2020 na F1 digna de elogios. Em um ano em que se esperava muito de seu companheiro de equipe, Sergio Pérez, por causa do bom desempenho do carro da Racing Point, era o canadense quem estava conquistando os melhores resultados do time.

Em Hungaroring, em uma prova disputada com pista secando, Stroll terminou em quarto, desempenho que repetiu depois em Barcelona.

Mas a cereja do bolo veio no louco GP da Itália, em que o canadense voltou a subir ao pódio na principal categoria do automobilismo mundial ao fechar em terceiro.

O problema é que a partir daí as coisas desandaram para ele. Em Mugello, Stroll bateu sozinho no fim da prova enquanto tentava lutar por mais um pódio. Na Rússia, abandonou logo na primeira volta ao ser tocado por Charles Leclerc – quem nem sequer foi investigado. E, por fim, em Nurburgring não correu e foi substituído por Nico Hulkenberg.

Para piorar a situação, agora saiu a notícia que Stroll ficou de fora do GP disputado na Alemanha porque foi diagnosticado com o novo coronavírus, em um caso que teria sido abafado pela própria Racing Point.

Lance Stroll com coronavírus

É que o canadense já estava sentindo os sintomas da doença no sábado – o famoso piriri -, mas só foi diagnosticado com a covid-19 quando já estava de volta à Suíça, onde mora, no domingo.

Pode parecer pouco tempo de intervalo, mas foi o suficiente para que engenheiros e mecânicos da Racing Point não fizessem novamente o teste para diagnosticar o vírus, e a escuderia pôde correr normalmente.

Assim, nos dois meses que separaram o GP da Itália e o GP de Portugal, que será realizado neste fim de semana, a boa fase de Stroll deu lugar a acidentes e polêmicas.

Além disso, a falta de resultados do canadense coincide com a melhora de desempenho de Pérez, que terminou as duas últimas corridas, na Rússia e em Nurburgring, na quarta colocação, ultrapassando seu companheiro na tabela de pontos.

Lembrando que para o ano que vem Pérez não vai continuar na Racing Point – que passará a se chamar Aston Martin – e será substituído por Sebastian Vettel. O mexicano é especulado na Williams, mas ainda não tem vaga garantida para 2021.

Já Stroll, que vinha conseguindo deixar o estigma de só estar na F1 porque é filho do dono de uma das equipes, vai precisar remar para tentar recuperar o terreno – e a confiança – perdidos.

O lado bom para ele é que a corrida neste fim de semana será disputada no circuito do Algarve, em Portimão, uma pista que é comparada a Barcelona por suas características de retas curtas e curvas de raio longo. E na Espanha a Racing Point se saiu muito bem, com seus carros ficando atrás apenas de Mercedes e Red Bull, com Stroll em quarto e Pérez em quinto.

foto do topo: daimler/divulgação

Racing Point RP20, F1 2020, Formula 1, novos carros da F1 2020, Racing Point 2020, RP20, Sergio Pérez, Lance Stroll
Sergio Pérez e Lance Stroll começaram a temporada 2020 da F1 cercados de expectativas – foto: racing point/divulgação