Enzo Fittipaldi, F3, Fómula 3, 2020, HWA, Academia da Ferrari

Enzo Fittipaldi e Igor Fraga na última etapa da F3 2020

Parece que foi esses dias que a temporada 2020 da F3 começou depois de toda a paralisação em decorrência da pandemia do coronavírus. Mas a verdade é que a última etapa já será disputada neste fim de semana em Mugello.

Não é só impressão que tudo andou mais rápido. Por causa da pandemia, o campeonato começou no início de julho, no Red Bull Ring, e será encerrado menos de dois meses e meio depois. Só a pausa causada pelo coronavírus foi maior. Foram três meses e meio de confinamento, uma vez que a primeira etapa estava marcada para acontecer no Bahrein, em meados de março.

Ou seja, quando começávamos a nos acostumar com o quem-é-quem do grid e em quais pilotos devemos seguir com atenção, já está na hora de vê-los se despedir da F3 e buscar voos mais altos.

Mas antes de dizermos adeus à F3 2020, muita coisa estará em jogo em Mugello. O título, por exemplo, está em aberto.

O australiano Oscar Piastri chega à rodada decisiva no topo da tabela, com 160 pontos. O curioso é que ele só venceu duas vezes até agora. A primeira foi logo na abertura do campeonato e a outra na prova com o grid invertido em Barcelona. Mas ele também foi o mais constante entre os candidatos à taça, com outros quatro pódios ao longo da campanha.

O vice-líder é Logan Sargeant seu companheiro de equipe na Prema, com 152. O americano teve até aqui um ano de altos e baixos. Mostrou que é o mais veloz do grid em uma só volta rápida – com poles nas duas rodadas de Silverstone e em Barcelona -, mas também é bastante inconstante, tendo acumulado quatro abandonos ao longo da temporada.

Também brigam pela taça Theo Pourchaire, novato sensação da ART (136 pontos), Liam Lawson, do Red Bull Junior Team (127); o veterano David Beckmann (123,5) e Frederik Vesti, no terceiro carro da Prema (117,5).

E Enzo Fittipaldi e Igor Fraga?

Quanto aos brasileiros, Mugello vai ser a última chance de eles tentarem se destacar. Até aqui, a temporada de Enzo Fittipaldi e de Igor Fraga tem sido abaixo das expectativas.

Entre eles, Fittipaldi é quem está ligeiramente melhor, tendo marcado nove pontos. O número poderia ter sido um pouco maior. Na etapa anterior, em Monza, ele liderava a corrida do domingo – com o grid invertido -, quando se enroscou com outro piloto e caiu para 19º.

Seu principal problema tem sido as classificações: somente uma vez em 2020 ele largou na metade de cima do grid, até a 15ª colocação. Nas demais etapas, tem sido obrigado a fazer corridas de recuperação. O brasileiro até tem mostrado bom ritmo de prova e que consegue, sim, fazer ultrapassagens. Mas saindo tão de trás acaba complicando na hora de pontuar.

Quanto a Fraga, com um único ponto no ano, é difícil apontar um único problema. Ele começou enfrentando problemas mecânicos constantes no carro da equipe Charouz, se envolveu em toques (dos quais não teve culpa) e ainda dividiu a escuderia com pilotos igualmente inexperientes como ele, dificultando ainda mais na hora de acertar o carro. A exemplo do compatriota, largou constantemente na parte de trás do grid e não tinha tempo de se recuperar até a zona de pontos.

Mugello, assim, é a última chance que ele tem para impressionar. E é muito necessário que consiga. Ainda mais porque Fraga integra o Red Bull Junior Team, programa que é conhecido por não ter muita paciência com seus jovens pilotos e cobrar resultados.

Depois de Mugello, ainda deve ser disputado o GP de Macau de F3. Mas como a corrida está marcada somente para novembro, ela acontece em um momento em que muitos contratos para o ano seguinte já estão fechados, o que pode ser tarde demais para o futuro de alguns pilotos.

foto do topo: dutch photo agency/rf1/divulgação

Oscar Piastri chega à última etapa da F3 2020 na liderança do campeonato – foto: prema/divulgação

2 comentários sobre “Enzo Fittipaldi e Igor Fraga na última etapa da F3 2020

  1. O Igor foi muito bem na etapa passada também até ter problemas. Chegou a ocupar a 6º posição. Infelizmente assim como o Enzo se envolveu em toques e a corrida desandou.

    O ritmo do Enzo em algumas corridas é bem impressionante, na última etapa mesmo se não me engano ele fez 20 ultrapassagens.

    Curtir

    1. O Problema do Enzo, é que seu companheiro Hughes, tá andando na frente, liderando treinos, ganhando corridas (já ganhou duas).Na fórmula regional também andou muito atrás do seu companheiro de equipe, o Frederik Vesti, que ganhou 13 corridas e o Enzo apenas 3. ….

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s