Gui Peixoto, F3 Inglesa, 2020, Carlin

Com Guilherme Peixoto, a F3 Inglesa 2020 vai vingar?

Entre as categorias que foram à pista no fim de semana, a F3 Inglesa não era a que estava cercada pelas maiores expectativas.

Afinal, hoje ela tem apenas o mesmo nome que o campeonato que um dia revelou Ayrton Senna, Nelson Piquet e Rubens Barrichello.

A antiga F3 Inglesa, fundada em 1951 e que teve 12 pilotos brasileiros entre seus campeões, morreu em 2014 resultado da falta de participantes em meio a brigas políticas internas, aumento de custos para competir e concorrência com uma fortalecida F3 Euro, que atraía todos os principiais jovens talentos da época.

Coube ao ex-piloto de F1 Jonathan Palmer recriar o campeonato, em 2016, no que é considerada uma Super-F4, uma categoria cujo carro é uma versão evoluída do F4, mas que não chega próximo do desempenho da atual F3.

E tem dado certo. Pela nova F3 Inglesa, já passaram Lando Norris, Colton Herta, Jamie Chadwick, Matheus Leist e Guilherme Samaia, que hoje está na F2.

Em 2020, a categoria voltou a ter um brasileiro: Guilherme Peixoto. No ano passado, ele fez a transição do kartismo para a F4 USA, terminando o ano com uma pole e dois pódios. Agora, ele acaba de se mudar para o automobilismo europeu pela Carlin, tradicional equipe britânica, que conquistou dois dos últimos três títulos disputados.

Mas sua tarefa será das mais complicadas. No ano passado, a F3 Inglesa reuniu um grid fortíssimo, e pilotos que não tiveram tanto destaque em 2019 optaram por ficar mais um ano no certame. Mais experientes, esperam lutar pelo título em 2020.

E é esse duelo entre novatos promissores e veteranos talentosos que deve marcar a temporada da F3 Inglesa. Confira abaixo em quem devemos ficar de olho:

Veteranos da F3 Inglesa 2020:

Kaylen Frederick (Carlin): companheiro de Peixoto em 2020, o americano é considerado um dos favoritos ao título. No ano passado, venceu duas vezes e fechou em nono na tabela. Agora, mais experiente, já igualou em uma só rodada o mesmo número de triunfos de 2019.

Assim como o brasileiro, ele também fez a transição dos EUA direto para a F3 Inglesa. Em 2017, ele tinha se destacado ao terminar a USF2000, finalizando a temporada em quarto, com apenas 14 anos de idade.

Kiern Jewiss (Douglas): ao conquistar o título da F4 Inglesa, em 2018, o britânico parecia que estava no auge da carreira. Até porque, além da taça, foi observado de perto pela Academia da Ferrari. No fim, não entrou no programa de Marnaello e optou por ficar no Reino Unido na F3 pela equipe Douglas, que não está entre as maiores do certame.

Em 2019, a parceria rendeu só uma vitória, mas outros oito pódios. Agora, ele renovou contrato com o time e espera lutar pela taça.

Ulysse de Pauw (Douglas): o belga ficou conhecido por se um antigo companheiro de equipe de Caio Collet na época do kartismo – e os dois voltaram a se encontrar na da F4 Francesa. Mas enquanto o brasileiro assinou com a academia da Renault na F1, seu rival preferiu seguir caminho no Reino Unido. Foi o sétimo na temporada passada com dois pódios.

Nazim Azman (Carlin): vindo da Ásia, o malaio conquistou duas vitórias no ano passado, ambas em provas que conta com o grid invertido. Aliás, uma curiosidade, enquanto a maior parte dos campeonatos inverte os oito ou dez primeiros, na F3 Inglesa a alternância de posição é total. O primeiro larga em último e vice-versa. Neste ano, pela sempre favorita Carlin, Azman espera que os resultados também venham nas corridas principais dos fins de semana.

Novatos da F3 Inglesa 2020

Kush Maini (Hitech): era para o piloto indiano disputar a F-Renault Eurocup neste ano como companheiro de equipe de Collet, mas acabou deixando o campeonato de última hora por falta de patrocínio em decorrência da crise da pandemia. Ainda assim, arrumou uma vaga na Hitech na F3 Inglesa e já mostrou a que venho tendo conquistado um pódio.

Piers Prior (Lanan): apesar de ser um estreante na categoria, o britânico tem bastante experiência nos monopostos. Durante muitos anos, ele foi considerado um dos nomes mais promissores do Reino Unido, mas não tinha dinheiro para seguir a carreira. O jeito era participar de testes  e de certames amadores. Agora, ele ganhou a grande chance em um campeonato maior.

Louis Foster (Double R): com quatro vitórias nas primeiras seis corridas da F4 Inglesa em 2019, parecia que esse piloto britânico ia ficar com o título. Mas aí Zane Maloney iniciou sua sequência de triunfos, e Foster caiu para terceiro na tabela. Agora, sem o adversário (que foi para a Euroformula Open), ele promete lutar pela taça da F3 Inglesa.

Nico Varrone (CDR): o argentino foi o grande destaque das corridas virtuais da F3 e da F4 Inglesa durante a pandemia e agora tenta transformar o sucesso do digital também no mundo real. E olha que ele já tem uma vitória na F3 Inglesa. É que ele disputou algumas etapas do ano passado se preparando para a transição para o automobilismo europeu e já subiu no degrau mais alto do pódio.

Agora que você conhece os principais pilotos da F3 Inglesa 2020, basta clicar aqui para conferir todos os resultados da primeira etapa do campeonato, em Oulton Park.

foto do topo: gavin baker/fgcom/divulgação

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s