foto Manuel Maldonado

O próximo Maldonado no caminho da F1?

Quando Pastor Maldonado conquistou a vitória no GP da Espanha de 2012, encerrando um jejum de mais de sete anos sem triunfos da Williams na F1, uma foto chamou a atenção.

Não era nenhuma da comemoração pelo inacreditável triunfo. Na imagem, Maldonado carregava nas costas seu primo, fugindo do incêndio que tinha tomado conta dos boxes da equipe britânica pouco depois da bandeirada (veja mais abaixo).

Na época, Manuel Maldonado tinha apenas 13 anos de idade e estava dando seus primeiros passos no esporte a motor. Hoje, sete anos mais tarde, prestes a completar 20, o piloto venezuelano assinou com Motopark para a disputa da temporada 2020 da Euroformula Open.

A esquadra alemã é considerada a mais forte do campeonato, tendo levado seus representantes a 16 vitórias em 18 etapas no ano passado, além de ter conquistado o título com Marino Sato, o segundo lugar com Liam Lawson e o quarto posto, com Yuki Tsunoda.

Por contar com o principal equipamento da categoria, Maldonado pode ser considerado um dos fortes concorrentes ao título de 2020.

A carreira de Manuel Maldonado

Ele vem de três bons anos na F3 Inglesa. Quando chegou ao campeonato do Reino Unido, em 2017, parecia que estava dando um passo maior que a perna. Na época, ele tinha como experiência uma única temporada nos monopostos, na F4 Italiana, onde não marcou nenhum ponto e até não conseguiu se classificar para uma das provas.

Tinha tudo para dar errado no certame britânico. Mas aos poucos Maldonado foi evoluindo. Primeiro passou a chegar entre os dez primeiros com certa regularidade. Depois, em 2018, obteve suas duas primeiras vitórias, sempre na bateria que contava com a regra do grid invertido.

E, em 2019, num ano que a F3 Inglesa teve um grid fortíssimo, o venezuelano triunfou em Silverstone e fechou o campeonato em sétimo, com quatro outros pódios. Atrás dele na classificação ficaram nomes como o americano Kaylen Frederick, que fez certo sucesso na USF2000, e Hampus Ericsson, irmão mais novo de Marcus Ericsson, da Indy.

Para 2020, a Motopark ainda não anunciou todos os seus pilotos, mas Maldonado já sabe que terá como companheiros o americano Cameron Das, que não deve participar de todas as etapas uma vez que também está confirmado na F3, e o alemão Nicklas Krutten, vindo da F4.

Ou seja, com concorrência menor dentro da própria escuderia alemã, o venezuelano pode pensar em ser competitivo.

O que pode complicar para ele é que a Euroformula Open estreia um novo carro em 2020, o Dallara 320, feito nos moldes dos antigos F3 – com a turbina do motor na lateral – mas equipado com o halo.

A chegada do novo equipamento, portanto, poderá nivelar todas as equipes e diminuir a vantagem que a Motopark teve no ano passado.

Ainda assim, é uma boa chance para Maldonado mostrar a evolução que vem tendo na carreira e, quem sabe, sonhar em chegar à F1, assim como seu primo fez na década passada. E você pode clicar aqui para ver como o grid da Euroformula Open 2020 está sendo formado.

foto do topo: euroformula open/divulgação

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s