imagem de Lando Norris

Pagenaud deve ser punido por arruinar a corrida virtual da Indy?

Quando Roger Penske comprou a Indy no fim do ano passado, surgiu a dúvida sobre se a equipe dele deveria continuar na categoria.

Afinal, uma vez que o americano se tornara dono do campeonato, quais eram as garantias de que sua escuderia não seria tratada de forma especial?

A resposta aos críticos era que Penske construiu, ao longo de décadas, grande credibilidade nos seus negócios, então ele, mais do que ninguém, seria capaz de separar as funções de dono do certame com as de dono de equipe.

A temporada ainda nem começou por causa da pandemia do novo coronavírus, mas calhou de a primeira polêmica da Indy 2020 ser justamente com a Penske.

Tudo aconteceu na etapa virtual das 500 Milhas de Indianápolis – chamada de 175 Milhas de Indianápolis – disputada no sábado, dia 2.

Na parte final da prova, Simon Pagenaud, o atual ganhador da Indy 500, se envolveu em um acidente quando lutava pela vitória. A batida do francês fez com que os três carros da McLaren, liderados por Lando Norris, da F1, assumissem a ponta.

A partir daí, o caos tomou conta da corrida virtual. Primeiro, Norris sumiu da classificação, e o veículo de Pagenaud apareceu voando, indicando que havia acontecido uma batida entre eles. Depois, Pato O’Ward deu na traseira de Marcus Ericsson, tirando os dois da batalha pela ponta. Por fim, quase na linha de chegada, Santino Ferrucci, que estava em segundo, bateu no então líder Oliver Askew, impedindo a vitória do americano.

Melhor para Scott McLaughlin, também da Penske, que escapou de toda a confusão e cruzou a linha de chagada na frente.

Depois da corrida, Ferrucci tentou se defender dizendo que buscava o vácuo do carro de Askew, quando os dois se enroscaram, e Norris disse que estava chateado com as atitudes de alguns pilotos da Indy.

Indianápolis sempre tem uma boa dose drama, e na versão virtual não foi diferente. Fim da história, certo?

Nada disso. Foi aí que apareceu um vídeo da transmissão que Pagenaud fazia para seus seguidores durante a corrida, mostrando o francês estacionado nos boxes nas voltas finais e dizendo que ia tirar Norris da prova.

Em seguida, o que o francês fez foi retornar à pista após ter seu equipamento consertado, andado bem devagar até que o piloto da McLaren se aproximasse e jogasse o carro na direção dele, causando o acidente e o abandono de ambos.

Críticas a Simon Pagenaud

Pela manobra, Pagenaud foi bastante criticado nas redes sociais, principalmente pelos fãs de Norris.

Mas o problema é que até agora, nem a Indy, nem a Penske, nem o próprio francês se manifestaram sobre o ocorrido.

É aí que retorna aquela crítica sobre os pilotos da Penske serem tratados de forma diferenciada porque o dono do time é também o comandante da categoria.

Até agora, só um dos executivos da plataforma iRacing, onde as corridas virtuais são realizadas, é que falou. Ele declarou que, por ser um campeonato particular, não pode interferir com eventuais punições a Paganeud, mas admitiu que o francês tornou o grande momento das corridas virtuais na TV americana (uma vez que as 175 Milhas foram transmitidas pela NBC nos EUA) em uma grande piada.

Lembrando que o ex-piloto de F1 Scott Speed foi suspenso do iRacing há alguns anos por uma manobra parecida, ao tentar tirar outro piloto da corrida de propósito.

É só videogame?

Se olharmos as redes sociais, da mesma forma como os fãs de Norris estão irritados com Pagenaud, há quem defenda deixar para lá o que aconteceu, pois tudo aconteceu no simulador, não no mundo real.

Mas há um ponto em comum entre as corridas nos games/simuladores e as provas reais: os fãs.

O campeonato da Indy no iRacing foi promovido como substituto dos autódromos durante a pandemia.

Quem assistia às etapas no iRacing nos sábados à tarde já sabia que existem diferenças entre o mundo real e o virtual, como o ambiente informal – com os pilotos podendo conversar e fazendo piada entre eles durante a prova. Mas esses espectadores também esperavam que algumas regras fossem seguidas, e a corrida tivesse um formato tradicional.

Quando acontece de o último colocado sair dos boxes para bater de propósito no líder, o espectador se sente enganado pela Indy, porque a categoria tinha vendido para ele que essa era uma corrida mais ou menos real, não uma bagunça entre amigos.

E se a pessoa se sente enganada, a Indy como um todo perde credibilidade. Afinal, da próxima vez, pode ser que esse fã desista de assistir a alguma corrida do campeonato, seja real, seja virtual.

Por essa razão o episódio envolvendo de Pagenaud, mesmo tendo acontecido nos games/simuladores, é grave e deveria acarretar algum tipo de punição.

Você pode clicar aqui para ver os resultados completos das 175 Milhas de Indianápolis, assim como os da principais categorias nos games/simuladores no fim de semana.

imagem de Simon Pagenaud
Simon Pagenaud saiu como o grande vilão das corridas virtuais da Indy – imagens do post: iRacing

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s