foto Carl Edwards

Carl Edwards merece ir ao hall da fama da Nascar?

Enquanto o automobilismo está paralisado por causa da pandemia do novo coronavírus, os campeonatos estão aproveitando essa época para tratar dos assuntos de seus bastidores.

Na Nascar, o tema desta semana é os pilotos que estão concorrendo para entrar no Hall da Fama da categoria, em um premiação que está marcada para acontecer no início do ano que vem.

Um dos escolhidos deverá ser uma unanimidade: Dale Earnhardt Jr, bicampeão da categoria que hoje é a Xfinity e eleito o mais popular da Nascar por 15 temporadas consecutivas.

Mas o nome que traz mais polêmicas é o de Carl Edwards, vice-campeão da Nascar em 2008 e 2011 e que se aposentou de supetão logo após ser derrotado na última etapa de 2016, quando era considerado um dos favoritos ao título.

Confira abaixo 4 motivos para que o americano não seja considerado um hall of famer neste momento.

1 – Nunca foi campeão da Cup

Edwards chegou muito perto de levantar a taça em 2011, quando terminou empatado com Tony Stewart no número de pontos, mas perdeu nos critérios de desempate – por ter menos vitórias durante a temporada.

Em 2008, a situação foi a oposta. Ganhou nove corridas, contra sete de Johnson, mas somou menos pontos que o adversário durante os playoffs (na época não havia o sistema de eliminação nos playoffs a cada três corridas).

2 – Sumiu

A derrota para Stewart em 2011 foi sua primeira grande decepção na carreira, até por ser o favorito disparado naquele ano.

Em 2016, ele sofreu outro baque. No sistema de que quem terminasse na frente em Homestead-Miami seria o campeão, Edwards liderava a corrida na parte final, mas se envolveu em um acidente com Joey Logano depois de ter uma relargada ruim.

Semanas após a corrida, ele anunciou que estava se aposentando da Nascar e nunca mais pilotou na categoria. Desde então, vive em uma fazenda no estado americano do Missouri, onde cuida de seus negócios. Uma curiosidade é que ele considerou concorrer nas eleições para o senado americano, em 2018.

3 – Efeito Kyle Busch

O principal título de Edwards na Nascar foi da divisão que hoje é a Xfinity na temporada 2007.

Mas dá para questionar se naquele ano ele não fez mais do que a obrigação. Edwards foi um dos três pilotos da Cup que disputaram todas as etapas da divisão intermediária naquela temporada, sendo que os outros dois eram jovens inexperientes. Ele dominou o campeonato e fechou com 600 pontos a mais que o vice.

Em comparação, Kevin Harvick, o quarto na tabela, participou de nove corridas a menos que os demais competidores e somou só 200 pontos a menos que o segundo colocado.

A crítica, portanto, é a mesma que se faz hoje em dia a Kyle Busch: que seus números e conquistas são inflados porque corre em divisões menores contra adversários menos experientes e sem os mesmos recursos financeiros.

4 – As novas regras do Hall da Fama da Nascar

Para 2021, a Nascar mudou a forma como os nomes são indicados ao Hall da Fama. Primeiro é selecionado um grupo com 15 concorrentes, que serão avaliados por jornalistas, dirigentes e ex-pilotos.

Antes, esse painel indicava os cinco que iriam direto para o Hall da Fama. Só que agora a Nascar diminuiu esse número para três. E um deles precisa ser necessariamente alguém que fez parte dos primeiros anos do campeonato, quando a estrutura toda era mais amadora.

Edwards, portanto, disputa as outras duas vagas destinadas a quem fez parte dos anos mais recentes contra outros nove competidores, incluindo Dale Jr, o favorito. Tarefa bastante complicada.

E a favor de Carl Edwards?

Seus defensores costumam argumentar que há pilotos no Hall da Fama que jamais venceram um título de alguma divisão da Nascar, então Edwards, com sua taça de 2007, mereceria a indicação.

Além disso, ele triunfou em 28 corridas na Cup, mais do que qualquer um dos concorrentes de 2021 – e comemorou quase todas elas dando um salto mortal para trás. Fora isso, teve bom desempenho em praticamente toda a carreira e lutou pelo título da divisão principal por duas montadoras diferentes (Ford e Toyota).

Outro ponto é que Edwards fez bastante sucesso como comentarista da TV americana nas provas de divisões intermediárias, e esse trabalho de “promover o esporte”, como é chamado pelos americano, também deveria ser levado em consideração.

Resta ver se esses argumentos serão o suficiente para convencer aos votantes a elegê-lo para o Hall da Fama da Nascar em 2021.

Em tempo: Carl Edwards foi um dos últimos pilotos a ter uma cena escrita só para ele em uma série de TV. Foi na quinta temporada da série 24 Horas, que foi ao ar em 2006 e que aqui no Brasil era transmitida pela Globo.

foto do topo: toyota gazoo racing/divulgação

foto Carl Edwards
Carl Edwards costumava comemorar suas vitórias de uma maneira curiosa, dava um salto mortal para trás na hora que saía do carro – foto: nigel kinrade/autostock/ford/divulgação

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s