foto Caio Collet

Caio Collet nos treinos da F-Renault Eurocup 2020 em Valência

Antes de o surto de coronavírus paralisar praticamente todas as atividades do esporte a motor no mundo, a F-Renault Eurocup foi uma das últimas categorias a ir à pista para dois dias de treinos de pré-temporada, em Valência.

Os testes marcaram o retorno de Caio Collet ao carro pela primeira vez desde que o piloto brasileiro passou 14 dias em quarentena, em um hotel na Espanha, por causa da epidemia.

Collet não estava entre os casos confirmados do novo coronavírus, mas um hóspede do hotel foi diagnosticado com a doença, então as autoridades espanholas decidiram isolar o local por duas semanas. Além do brasileiro, o francês Hadrien David, que andou pela equipe MP em Valência, e o dinamarquês Christian Lundgaard, da F2, estiveram de quarentena.

E nestes testes de pré-temporada Collet mostrou que o tempo isolado não o prejudicou. Ele foi o mais rápido, ao marcar o tempo de 1min29s063, sendo 0s2 mais veloz que o francês Victor Martins, o segundo colocado.

Collet na verdade teve seu melhor desempenho no segundo dos dois dias de testes na Espanha. No primeiro, tinha terminado em quinto, com Martins sendo o líder. Mas os ajustes feitos pela equipe R-Ace de um dia para o outro deram certo, e o brasileiro conseguiu ficar com a primeira colocação na soma dos tempos.

Segundo colocado nas atividades, Martins está com sangue nos olhos. É que ele foi o vice-campeão da categoria em 2019 e só perdeu o título porque uma das corridas que ele venceu foi paralisada mais cedo devido à forte chuva, e apenas metade dos pontos foram distribuídos. Se a prova tivesse ido até o final, e Martins, confirmado o triunfo, ele é que ficaria com o caneco.

Por não ter sido campeão, o francês acabou dispensado da academia de jovens pilotos da Renault – da qual Collet também faz parte – e não conseguiu subir para a F3 em 2020. Como resultado, ele assinou com a ART Grand Prix, que estreia na F-Renault, para liderar o time nessa nova empreitada. Será o terceiro ano consecutivo de Martins no certame.

O terceiro posto em Valência ficou com o russo Mikhail Belov. No ano passado, ele tinha disputado a F4 Italiana, onde era um dos favoritos ao títulos, mas terminou longe da taça. Dessa vez, assinou com a equipe M2, vinda da Toyota Racing Series, em busca de mais sucesso.

A quarta colocação também foi de outro piloto vindo da F4 Italiana: o estoniano Paul Aron, que já tem contrato com a Mercedes. Ele será companheiro de Martins na ART e promete dificultar a vida do francês em 2020. Só que a F-Renault Eurocup costuma ser um campeonato onde novatos costumam ter dificuldades. No ano passado, por exemplo, Collet tinha sido o melhor entre os estreantes, sendo o quinto colocado na classificação geral.

Outro veterano ficou com a quinta posição, Lorenzo Colombo. O italiano tinha sido um dos destaques da categoria em 2018, quando lutou por poles e vitória andando pela mediana equipe JD. Só que no ano passado ele decepcionou. Assinou com a poderosa MP, era considerado um dos favoritos e fechou o ano só na quarta posição, bem longe da luta pelo título. Agora, Colombo vai correr pela Bhaitech, esquadra italiana que fez parte da metade de trás do pelotão no ano passado.

Kush Maini e Petr Ptacek, dois companheiros de Collet na R-Ace, ficaram em sexto e sétimo, respectivamente. A expectativa é que eles lutem por pódio neste ano, mas que o brasileiro consiga ficar à frente deles.

Grégoire Saucy, no terceiro carro da ART, foi o oitavo, enquanto o belga Ugo de Wilde fechou com a nona colocação. Uma curiosidade sobre o piloto da Arden é que, em 2019, ele ganhou logo em sua estreia na F-Renault, em Monza, mas jamais subiu ao pódio novamente.

Outro veterano completou o grupo dos dez primeiros colocados, o espanhol Xavi Lloveras, que assinou com a GRS, um dos menores times do certame.

Destaques da F-Renault Eurocup

Um dos destaques negativos dos treinos em Valência foi o mau resultado da equipe MP, sempre considerada uma das favoritas. O francês Alessandro Ghiretti, em 17º, foi o melhor representante da esquadra, uma posição à frente de Hadrien David. Sinal de que a escuderia pode ter escondido o jogo na Espanha.

Já o destaque positivo foi o grid enorme, com 26 pilotos tendo participado dos testes, É quase três vezes mais o que a F-Regional reuniu em seus treinos em Paul Ricard, no fim do mês passado.

Só que alguns dos inscritos na pré-temporada da F-Renault não estão confirmados para o ano todo. É o caso das mulheres Marta García, Belén Garcia e Fabienne Wohlwend, que tomaram parte das atividades como uma forma de se prepararem para a nova temporada da W Series, uma vez que o equipamento das duas categorias é bastante parecido.

Uma segunda semana de pré-temporada estava marcada para o circuito de Barcelona, mas foi cancelada por causa da propagação do coronavírus. A primeira etapa da temporada 2020 está agendada para o dia 9 de maio, em Silverstone, mas resta ver se ela vai mesmo acontecer por causa da epidemia.

Você pode clicar aqui para ver como está sendo formado o grid da F-Renault Eurocup em 2020.

E abaixo você pode conferir a soma dos tempos dos treinos em Valência (clique na imagem para ampliar, se for necessário).

resultados da F-Renault Eurocup 2020
resultados dos treinos coletivos da F-Renault Eurocup 2020 em Valência
foto de Fabienne Wohlwend
Destaque da W Series no ano passado, Fabienne Wohlwend foi chamada para testar o carro da F-Renault Eurocup de última hora – foto: xavi bonilla/dppi/renault/divulgação

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s