Eu gosto daquele meme em que as pessoas comparam onde estavam no começo da última década e o que fizeram agora no fim. Bom, no dia 1º de janeiro de 2010 eu estava estreando o World of Motorsport e, agora, dez anos depois, olha nós aqui escrevendo outra vez.

Tem sido uma jornada de altos e baixos. Lembro que no começo deste site eu costumava ter três visualizações por dia, sendo que duas eram da minha própria família. Uma década depois ainda bem que a audiência disparou e, só em 2019, ela foi 36% maior que no ano anterior.

O conteúdo também mudou nesse tempo todo. No começo da década, eu estava um pouco perdido sobre o que escrever aqui. Antes os textos eram mais atemporais, falando um pouco mais da história – recente – do automobilismo. Hoje, acabam sendo mais quentes, explicando o noticiário. E vendo pelos números da audiência, tem sido um acerto.

O que não mudou é que sempre houve espaço para falar de campeonatos menos conhecidos. Em 2010, escrevi bastante sobre a F3 Inglesa (até pela presença de vários brasileiros por lá) e, em 2019, também falei sobre essa mesma categoria, embora desta vez sem nenhum representante do país.

Também é legal olhar para trás e ver que muitas vezes acertei o que publiquei por aqui. No ano passado, encontrei um post antigo, de 2012, dizendo que Josef Newgarden tinha todos os elementos para ser um futuro ídolo da Indy, e olha só quem é o atual campeão da categoria.

Mas enquanto os números do World of Motorsport só aumentaram no último ano, não dá para ignorar que 2019 foi um ano complicado para o jornalismo especializado em automobilismo.

Reginaldo Leme e Lito Cavalcanti, dois dos profissionais mais experientes do país, saíram do trabalho que estavam na TV. Fora do Brasil, a empresa que edita a revista britânica Autosport deu início ao processo de fechar a publicação e só voltou atrás por causa das inúmeras reclamações que recebeu.

E o site e-racing365, que era a referência na cobertura da Formula E, parou de falar da categoria dizendo que não era mais financeiramente viável ir para todas as provas, como eles faziam.

Vendendo o meu peixe, posso dizer que ainda bem que existam publicações independentes com tantos anos de experiência para tentar suprir esse buraco na cobertura especializada do esporte a motor. Da mesma forma, sempre há espaço para que todos criem conteúdo na internet, como o próprio Lito vem fazendo com seu podcast.

O automobilismo em 2020

Falando do automobilismo em si, 2020 não deve ser um ano decisivo, mas será um momento em que deveremos ter alguma indicação de para qual caminho o país está indo. Será que é para o fundo do poço? Ou será que estamos deixando a crise para trás?

Talvez o assunto mais importante neste momento seja a sede do GP do Brasil, uma briga que envolve São Paulo e o Rio. Há inúmeras notícias sobre a pista carioca ainda não existir, mas as obras ainda não começaram, segundo o cronograma previsto, então dá tempo de toda a estrutura estar pronta para uma corrida em 2021.

A principal dúvida, na verdade, é se o projeto vai ter o dinheiro necessário para sair do papel, ainda mais em um momento que o orçamento do governo federal está cada vez mais restrito e a própria cidade do Rio de Janeiro enfrenta crise nas finanças.

O problema todo é caso a F1 feche contrato com os promotores de Deodoro, deixe Interlagos e só descubra tarde demais que não havia dinheiro para fazer o circuito Rio, e o Brasil acabe sem nenhuma corrida. Como a pista precisa começar a ser construída nestes primeiros meses de 2020, este é um assunto que em breve voltará ao noticiário.

Outro ponto para ficarmos de olho é se o Brasil vai parar de ter pilotos tanto na Indy quanto na F1, situação impensável há duas décadas. Por enquanto, o único representante do país confirmado nesses certames é Tony Kanaan, que aos 43 anos está próximo de se aposentar. Fica a dúvida se dará tempo de surgir um sucessor – competitivo – até que ele decida parar de correr.

E com a Band, ao menos por enquanto, tendo desistido de transmitir a categoria, a situação não parece ter uma solução imediata.

O que sempre ajuda é o país ter uma categoria de base forte, que revele talentos para as principais categorias do automobilismo mundial. Desde o fim da F3 Brasil, após a temporada 2017, não há nenhum campeonato por aqui para os mais jovens.

Tem um grupo que pretende trazer a F4 para o Brasil neste ano, com a primeira etapa prevista para acontecer no fim de abril, em Interlagos. O anúncio tinha sido feito no fim de agosto de 2019, e desde então não houve muitas notícias. Então vamos ver se vai sair do papel.

Ou seja, os próximos meses devem ser bastante importantes para o automobilismo brasileiro, e você pode acompanhar aqui no World of Motorsport todo o desenrolar desses episódios.

foto do topo com o pessoal da Alfa Romeo acessando este blog: alfa romeo/divulgação

Leia os textos do especial de fim de ano:
> 5 jovens promessas para ficar de olho em 2020
As vitórias do Brasil em 2019 no automobilismo
2019 World of Motorsport Rookie of the Year
Quiz Autosport 2019
As agendas da velocidade de 2019