foto de Alexander Albon

2019 World of Motorsport Rookie of the Year

Quando criei o World of Motorsport, em 2010, me inspirei nos esportes americanos para montar um sistema de pontuação para analisar o desempenho dos pilotos novatos na F1.

Na época, a principal categoria do automobilismo mundial não tinha uma classificação à parte para os estreantes.

Aliás, continua não tendo. Neste ano, o prêmio de novato do ano da F1 de fato foi entregue, mas o vencedor foi escolhido após votação pela internet, que não levou necessariamente em conta o desempenho de pista.

Aqui, no World of Motorsport, a avaliação é diferente. Após cada GP do ano, tenho pontuado os competidores que estão no primeiro ano no certame no clássico formato 10-6-4-3-2-1, que foi usado pelo campeonato na década de 1990, além de dar bônus a eles para cada ponto que marcassem na temporada normal.

Explicando, um piloto que chegar em nono e ser o mais bem classificado entre os calouros, por exemplo, leva 12 pontos: dez referentes à liderança entre os novatos e mais dois pelo nono posto.

Em 2019, foram quatro os pilotos disputando o prêmio: Lando Norris, Alex Albon, George Russell e Antonio Giovinazzi.

Alguém até pode questionar por que o italiano da Alfa Romeo entrou nessa, se ele já havia estreado na F1 em 2017, quando disputou dois GPs substituindo o então lesionado Pascal Wehrlein.

É que pelas regras daqui, apenas duas corridas  não tiraram o status de novato de Giovinazzi. Ele começou 2019 sem conhecer a maior parte das pistas do calendário e tinha pouquíssima experiência a mais que seus adversários.

Tanto que essa vantagem não fez nenhuma diferença. O piloto da Alfa só foi pontuar na nona corrida do ano, enquanto Albon e Norris já tinham top-10 desde o Bahrein, na segunda etapa da temporada.

E como Russell estava a bordo de uma Williams sem condições de ser competitiva, a briga ficou mesmo entre Norris e Albon.

Se levarmos em conta apenas as 12 primeiras corridas, a vantagem era do piloto da McLaren, com 12 pontos a mais que o adversário da Toro Rosso. Mas foi aí, entre as etapas da Hungria e da Bélgica, que a Red Bull resolveu rebaixar Pierre Gasly por causa dos fracos resultados mostrados até então.

Albon é que foi chamado para a segunda vaga da escuderia. E como as regras do novato do ano daqui beneficiam quem pontua com frequência, ele fez valer o bom equipamento para disparar na classificação.

Pelas regras explicadas lá em cima, o tailandês somou 259 pontos, contra 186 de Lando Norris e venceu o World of Motorsport Rookie of the Year de 2019.

A pontuação, aliás, é um recorde. Desde 2010, quando comecei avaliar os pilotos que estreiam na F1, ninguém teve um desempenho tão bom. Até então, o maior número de pontos tinha sido de Kevin Magnussen, em 2014, com 229. E Jean-Éric Vergne, dois anos antes, havia acumulado 200.

É claro que agora há mais corridas por temporada (o que aumenta o número de pontos distribuídos), mas Albon foi inteiramente beneficiado pelo equipamento da Red Bull, uma das três melhores equipes do grid.

Agora fica a dúvida para ver se o tailandês será capaz de manter a evolução em 2020 e se firmar como um dos grandes nomes da atual geração da F1 ou se seguirá caminhos similares aos de Magnussen e Vergne, que, ou ficaram em equipes medianas, ou nem mais estão na principal categoria do automobilismo mundial.

Lando Norris
Se valesse só a parte da temporada com Albon na Toro Rosso, Lando Norris é que teria vencido o World of Motorsport Rookie of the year – foto: mclaren/divulgação

Alías, vencer o World of Motorsport Rookie of the Year nem sempre é uma boa. Vitaly Petrov (campeão de 2010), Paul di Resta (2011), Vergne, Esteban Gutiérrez (2013) e Jolyon Palmer (2016) também não estão mais na F1.

Magnussen e Lance Stroll (que triunfou em 2017) correm por times medianos, sem perspectivas de irem para as grandes escuderias. Restam Max Verstappen (novato de 2015) e Charles Leclerc (2018), que vingaram e lutaram por pódios e vitórias na última temporada.

Qual desses caminhos será que Albon vai seguir?

Lembrando que para 2020, há apenas um único estreante no grid da F1: Nicholas Latifi, que assinou pela Williams. Ou seja, ele será o novato do ano, a menos que algum outro nome chegue com a temporada já iniciada, obtendo bons resultados. Pelo visto, não será uma disputa tão emocionante…

Confira abaixo a pontuação etapa por etapa do Rookie of the Year (clique na imagem para aumentar, se necessário):

resultado do novato do ano do World of Motorsport

foto do topo: honda/divulgação

Leia os textos do especial de fim de ano:
> 5 jovens promessas para ficar de olho em 2020
As vitórias do Brasil em 2019 no automobilismo
> Quiz Autosport 2019
As agendas da velocidade de 2019
> 10 anos de World of Motorsport

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s