foto de Jimmie Johnson

Quem será o substituto de Jimmie Johnson na Nascar

Ainda falta quase um ano para Jimmie Johnson se aposentar da Nascar, mas já começaram as especulações sobre quem será o substituto do piloto mais vitorioso da categoria norte-americana nos últimos anos.

Não vão faltar opções para ocupar o carro número 48 da equipe Hendrick. É que, além de esse ser um dos melhores equipamentos da categoria, calhou de que o mercado de pilotos da Nascar no fim de 2020 deverá ser bastante agitado, porque é um momento em que muitos pilotos estarão em fim de contrato com suas equipes, livres, portanto, para assinar com outras.

Mesmo com as várias opções, há um favorito para ser o substituto de Johnson: Kyle Larson.

Com seis vitórias nas últimas quatro temporadas, o piloto da Ganassi se tornou o principal nome da Chevrolet na categoria, sem contar quem já tem contrato com a Hendrick. E ele vem batendo na trave na hora de disputar o título: em 2017 e em 2019 chegou até a fase semifinal.

Como a Ganassi não é uma das grandes da Nascar, uma ida para a Hendrick pode significar a melhora que Larson precisa para entrar de vez na luta por campeonatos junto com os representantes da Joe Gibbs, Stewart-Haas e Penske.

Mas um eventual acerto dele com a Hendrick vai depender de a escuderia resolver voltar a apostar em veteranos.

É que nos últimos anos, o time tem optado por dar chances aos mais novos. Após as aposentadorias de Kasey Kahne, Dale Jr e Jeff Gordon, a Hendrick não foi buscar nomes consagrados em outras escuderias.

Na verdade, e equipe preferiu dar oportunidades para quem ela já conhecia bem. Chase Elliott, por exemplo, foi trazido da Xfinity, onde havia sido bicampeão pela equipe de Dale Jr (time parceiro da Hendrick), mesmo caminho feito por William Byron, campeão da divisão intermediária em 2017.

Já Alex Bowman, que assumiu o 88, já tinha experiência na principal divisão da Nascar, mas só foi escolhido para a vaga porque era o piloto de testes da própria Hendrick.

Fazendo um parêntese, é justamente o oposto da filosofia da escuderia no fim dos anos 2000. Naquela época, ela perdeu seus jovens, como Kyle Busch e Brian Vickers, para outras equipes e preferiu investir em estrelas como Mark Martin, Kahne, Earnhardt e até mesmo Casey Mears.

Outro problema para uma eventual contratação de Larson é que o piloto costuma correr durante a temporada de midget, um campeonato disputado de oval de terra dos EUA em dias da semana. A Ganassi nunca o proibiu, mas a Hendrick é conhecida por vetar que seus competidores se coloquem em risco em outras categorias – até porque acidentes são frequentes nesses midgets.

Assim, se não der certo o acordo da Hendrick com Larson, há outros veteranos no mercado. Um deles é Erik Jones, que renovou contrato com a Joe Gibbs apenas para 2020 e tem sua vaga ameaçada com a chegada de Christopher Bell (mais nova aposta da Toyota) na divisão principal.

Outras opções seriam Clint Boywer, que também só tem contrato com a Stewart/Haas para 2020 e Matt DiBenedetto, que impressionou neste ano andando pela Leavine Family, uma escuderia apenas mediana da Toyota.

Outras opções para a vaga de Jimmie Johnson

Agora, se a Hendrick voltar a preferir investir em jovens, o mercado está um pouco mais complicado do que no momento das chegadas de Elliott e Byron.

Olhando para a equipe de Dale Jr na Xfinity, o único jovem confirmado para 2020 é Noah Gragson, que não conquistou nenhuma vitória em 2019, em seu ano de estreia no certame.

A escuderia também terá Daniel Hemric em algumas etapas, depois de o piloto ter sido demitido na RCR pelos seus fracos resultados em seu primeiro ano na Cup. Por mais que Hemric possa merecer uma nova chance, é difícil defendê-lo na Hendrick se já não deu certo em um time menor.

Há, ainda, a opção de puxar John Hunter Nemechek, que assinou com a pequena Front Row para fazer as últimas etapas da Cup em 2019, foi bem e deve ser mantido na escuderia para o ano que vem. Para 2021, ele teria caminho livre para mudar de time. Lembrando que o pai do piloto, Joe Nemechek, defendeu a Hendrick no começo de sua carreira, em 2002 e 2003.

E quem pode dar o pulo do gato é Ross Chastain. Tendo disputado quase 80 corridas entre as três principais divisões da Nascar neste ano, o piloto conhecido por comemorar suas vitórias amassando uma melancia vai tomar parte da Xfinity em 2020 pela mediana Kaulig, mas não esconde que seu objetivo é descolar uma boa vaga na Cup em 2021. Aos 27 anos de idade, ele não é mais nenhum jovem, mas ainda terá muito tempo para evoluir na Nascar e poderá ser uma boa opção para o número 48 da Hendrick.

foto do topo: jim fluharty/hhp/chevy/divulgação

foto de Kyle Larson
Kyle Larson será um dos pilotos mais disputados no mercado de piloto da Nascar antes da temporada 2021 – foto: alan marler/hhp/chevy/divulgação

 

2 comentários sobre “Quem será o substituto de Jimmie Johnson na Nascar

    1. Hoje o nome mais provável para substituir JJ é o TYLER REDDICK, mostrou ser arrojado e com certeza as vitórias virão com o decorrer da temporada, é um bom nome para a aposta.

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s